O rescaldo

As Festas acabaram e é o momento de fazer as contas. Não nos referimos ainda ao dinheiro gasto. Esse sabe-se que deverá ficar acima dos sessenta mil euros. Para já tem-se lido que tudo correu bem, que foi um sucesso e tudo o mais de bom que se pode escrever. Não podemos negar que foi…

Veja mais

O manda-chuva

Neste momento o Aurélio deverá olhar para o espelho e ver alguém a sorrir. Não que isso tenha a ver com o facto de poder estar contente com o que correu menos bem nas festas da cidade mas por ser o Presidente da AMAI. Deverá andar de sorriso de orelha a orelha! Depois de ter…

Veja mais

Justiça e sangue

Em matérias de justiça sabe-se que às vezes é necessário fazer sangue! Pelo que se sabe, o Álvaro estará muito próximo de partir tudo dentro da câmara. Se o não fizer, ficará por perceber, mais uma vez, quem é que lá dentro manda. Na base do problema está o facto de do chefe de divisão…

Veja mais

A marcha e as festas

Está marcado para Sábado uma marcha de protesto que vai ter lugar em Lisboa. Pelo que lemos (afirmado por si), o secretário do Vítor é um dos que irá estar presente pelo que será menos um nas festas da cidade. Estamos por isso curiosos para saber quantos serão os que irão faltar às festas para…

Veja mais

Colinho do Álvaro

A notícia do dia vem do mundo do futebol. O Jesus passou para o Sporting. Se há coisas que são inesperadas, esta é uma delas. Sabendo-se que o Álvaro é um ferrenho sportinguista e sabendo-se que o “colinho” era algo que era muito falado no tempo em que o Jesus estava no clube rival, estamos…

Veja mais

Está explicado!

Quem o disse foi o Álvaro há dias numa reunião de câmara. Depois do que lemos ficamos na dúvida se a câmara é uma entidade que gere o concelho ou, pelas palavras do seu presidente, um lar da terceira idade. É capaz de ficar por aqui explicado o porquê de tanta coisa funcionar mal. 00…

Veja mais

Fila para férias

Abriram as inscrições para a colónia de férias. Graças a isso o centro não esteve deserto durante a noite. Pelo que conseguimos saber, os pais das crianças começaram a formar fila a partir da meia noite e ali ficaram até que conseguissem fazer a inscrição. Quem ali passou por certo que ficou na dúvida se…

Veja mais

Borracha nos erros

Quem não se recorda da borracha milagrosa que apagava lápis e tinta? Quem a usava tinha a garantia e ficar com o problema resolvido. Mesmo depois dos erros cometidos, a borracha vinha e resolvia o assunto. Isto vem a propósito das Festas da Cidade e dos problemas que surgiram. Ficaria mal se não reconhecêssemos que…

Veja mais

A resposta

Depois do que escrevemos, sabendo nós que o email que enviámos foi identificado como sendo o nosso, não esperávamos que viesse uma resposta da câmara. Ontem às 21:09 recebemos a resposta com o seguinte teor: “Em resposta ao seu e-mail, informamos que caso se trate de venda de produtos que não colidam com os produtos…

Veja mais

Bandeira… verde

A época balnear começou e com ela começam os hastear de bandeira azul. Por cá bandeira azul é algo que, mais uma vez, não vamos ver. Há veraneantes que planeiam as férias tendo em conta as praias que têm bandeira azul e esses serão os que vão, uma vez mais, tirar as praias do concelho…

Veja mais

Nem uma iniciativa!

Passámos o dia na esperança de podermos ser surpreendidos com alguma iniciativa que pudesse ter lugar que, apesar de não agendada, desse às crianças o sentimento de que o dia deles era assinalado. Nada. Já lá vai o tempo em que qualquer um de nós era criança mas não nos custa imaginar o que passará…

Veja mais

A 4 dias e… nada!

Como é evidente, depois do texto que escrevemos no final da semana passada, não estávamos à espera que a câmara desse resposta. Se o fizerem deverá ser para dizerem que têm alguém que responde, como já antes aconteceu, enquanto outros ficam por lá perdidos. O problema é que, a 4 dias do início das festas,…

Veja mais

Natal no verão

Em 2012 o Dia da Criança não foi comemorado. O dia passou sem que as crianças tivessem tido direito a festejar o dia que lhes é dedicado. Hoje acontece o mesmo. Por decisão dos que mandam, o Dia da Criança passa a ser no fim de semana. Em 21012, quando a Cidália dizia que entendia…

Veja mais

Doce, só o açúcar

Ontem, na reunião de câmara, o Vítor informou que não havia qualquer proibição em relação à possibilidade de comerciantes que vendessem coisas doces, tais como farturas ou pipocas, se instalarem durante as festas. Não que duvidemos do que ele tenha dito mas quisemos tirar a limpo o que tinha sido afirmado. Ouvimos quem se queixasse…

Veja mais

Olho fechado

A partir de ontem, o olhar deixa de ser novo para ser fechado! A câmara fechou a porta à possibilidade da associação ficar com o dinheiro que havia recebido no tempo da Cidália. O facto de terem sido entregues documentos sem que justificassem as despesas que disseram que haviam feito levou a que ontem o…

Veja mais

Transparência

Há quem diga que a única coisa transparente que existe é o vidro. Outras há que são quase transparentes e muitas há que deveriam ser mas não são. Há também coisas que se fazem que, podendo ser evitadas, não se entendem. Quando foi o evento do Design um dos patrocinadores foi uma conhecida empresa que…

Veja mais

Um à-parte

Passamos os dias, com as informações que nos vão chegando e com as que procuramos obter, à procura do que vai mal nesta terra, na esperança de que os que mandam possam perder dois minutos a ler e a tomarem conhecimento do que muitas vezes lhes passa ao lado. Esquecemos às vezes que também eles…

Veja mais

Volte face

Pior do que reconhecer um erro, é persistir nele. Hoje na reunião ficou-se a perceber que o erro foi reconhecido, foi corrigido e passou a ser permitido que os comerciantes que tenham actividade de venda de fartura, churros ou pipocas passam a poder fazer parte das Festas da Cidade. O Vítor prestou essa informação e…

Veja mais

Reunião fotográfica

Quando pensamos nas reuniões de câmara, a ideia que fica é que são momentos sérios durante os quais são discutidos assuntos importantes para a terra. Hoje a reunião teve a particularidade de ser o momento em que se pousou para a fotografia. Numa autêntica sessão fotográfica, digna de um momento de campanha eleitoral, um dos…

Veja mais

Basta querer

Durante anos a fio temos ouvido o mesmo discurso dos que mandam. A falta de meios, falta de dinheiro, falta de pessoas, falta disto e mais daquilo tem sido a justificação para que a tenha tenha chegado ao marasmo de que ainda não saiu. Temos vindo a acompanhar as iniciativas que têm vindo a ser…

Veja mais

Vendedores, não!

As festas da cidade continuam a dar assunto, nem sempre pelas melhores razões. Se o ano passado não havia grandes motivos para se poder criticar, até porque era a primeira vez e havia que dar o desconto de erros que são normais para quem inicia algo, este ano parecem não deixar de surgir informações que…

Veja mais

Abaixo os pinheiros

O MpM da Vieira está a divulgar um abaixo assinado que entregou na AF, no final do ano passado, para que fossem cortados os pinheiros que estão no Largo da República. Tendo aquele movimento conseguido eleger membros da lista, não deixa de ser estranho que tenha recorrido ao abaixo-assinado para tentar chegar onde acha que…

Veja mais

Opções estranhas

Sem que o assunto do ex-primeiro ministro seja algo que interesse, não deixa de ser um que tráz ainda à memória o que aqui aconteceu. Referimos à suspeitas de que algo não estaria bem quando a obra da Resinagem foi adjudicada. As suspeitas resultavam do modo como tudo aconteceu mas também pelo facto da entidade…

Veja mais

Ser Presidente cansa!

Quem tinha esperança de poder receber alguma informação do Álvaro esta quinta-feira, na reunião de câmara, pode tirar o cavalinho da chuva. Por essas alturas ele andará ocupadíssimo para os lados de Cabo Verde a fazer aquilo que o Logrado dizia que iria fazer quando foi o tempo de campanha. Juntamente com outros nove presidentes…

Veja mais

Ainda as festas

As Festas da Cidade parecem estar, este ano, envoltas sob um manto de problemas. A forma como tudo foi negociado leva a que haja associações que possam não poder participar. Sabe-se que as associações e colectividades poderão participar sem pagar nada (ao contrário dos que quiserem participar e não sejam associações ou colectividades, que terão…

Veja mais

Caça ao coelho

Amanhã o Coelho estará em Leiria, ao principio da noite, para participar nas comemorações do dia da cidade. Não gostamos de estar mal acompanhados e, como tal, não o iremos ver. Por certo que ele irá descrever o país como um quase paraíso, onde os problemas foram ultrapassados e tudo mais que nos tem vindo…

Veja mais

O candidato, com o passado

Com as presidenciais ainda longe, o número de candidatos ainda deverá aumentar mas hoje há já um jantar para apoiantes do Henrique. É normal que assim seja tanto mais que há que, tanto como obter votantes, angariar quem ajude a suportar os custos da campanha. Não se espera que, quando falar, diga algo de muito…

Veja mais

Custo das festas

Há dias podia ler-se na imprensa que as Festa da Cidade este ano teriam um custo de cerca de cem mil euros. A ideia com que ficámos foi a de que a câmara iria suportar todos os encargos. Ontem lemos que a câmara está a pedir mil duzentos e cinquenta euros aos comerciantes que queiram…

Veja mais

Ou pagas ou pagas!

Hoje não há  televisão que não passe as imagens da agressão em Guimarães. Se por um lado há locais onde parece não haver falta de polícia, outros há onde parece que ela não existe (talvez por estar mais preocupada em saber quem são os que aqui escrevem e não em andarem na rua onde poderiam…

Veja mais

Quem a quer?

Muitos são os que têm criticado a postura do Santos, quer neste mandato quer no anterior, reclamando uma posição mais interventiva. Depois de ter sido rasgado o acordo que o PSD tinha feito com o PS esperou-se que ele pudesse ter uma acção mais visível. Não tem sido tanto quanto se esperaria (apesar de se…

Veja mais

Solução da ARS

Em dia de greve na saúde (mais uma) recordámo-nos do que se passou na reunião de quinta-feira. O Santos fez uma pergunta ao Álvaro que ficou sem resposta relativa a uma reunião na ARS. Pelo que conseguimos saber a reunião teve lugar com o Álvaro e outras duas pessoas, entre as quais o adjunto, e…

Veja mais

Cá estamos!

“Há alguns dias disse publicamente que se a Marinha Grande fosse um pais nós vivíamos numa ditadura e muito provavelmente teríamos policia politica, uma qualquer PIDE. Era impensável que os responsáveis, ou responsável, pelo Largo das Calhandrices dessem a cara, já estavam pendurados numa qualquer árvore da terra. Eu só porque sei ligar um computador…

Veja mais

PSD sem concelhia

Para esta semana esteve agendado um jantar durante o qual os que foram eleitos para a concelhia do PSD deveria tomar posse. Sem explicações, o jantar foi desmarcado. Ainda pensámos que tivesse a ver com o facto de o local para onde esteve marcado estar fechado à segunda-feira mas o segundo local não estava! Tentámos…

Veja mais

AO (2)

“O presente escrito versa sobre uma questão jurídica, que pode ser formulada do seguinte modo: Quando se iniciou e quando terminará o chamado “prazo de transição” do “Acordo Ortográfico” de 1990 (AO90) (sendo que este último é aplicável por via da ratificação do 2.º Protocolo Modificativo, ocorrida em 29 de Julho de 2008)? 1. Um…

Veja mais

AO

É notícia o facto de ser esta semana que o acordo ortográfico passa a ser obrigatório. Sempre escrevemos seguindo as regras que aprendemos há muitos anos e iremos continuar a escrever seguindo essas mesmas regras por discordarmos em absoluto com o que resulta do acordo ortográfico que alguns negociaram. Se o continuarmos a fazer isso…

Veja mais

Freguesia parada

Poucas são as vezes que andamos pela Moita. Calhou ontem andarmos por lá a dar uma vista de olhos ao estado em que se encontra a freguesia. Temos recebido algumas reclamações sobre a inacção da actual Junta e para um problema que tem sido recorrente: poluição. Não é apenas nos Milagres que há descargas a…

Veja mais

Os novos donos

O fenómeno dos independentes fez com que nas últimas eleições o cenário político se alterasse aqui na terra. A necessidade de uma maior abertura aos eleitos fez com que os movimentos, que se afastaram da lógica fechada dos partidos, conseguissem resultados que não eram esperados. Pensámos que os partidos tivessem aprendido. Se com alguns é…

Veja mais