Preocupada!

Nos últimos meses do ano a Cidália anunciou que até ao último dia iria dar a conhecer quem iria ser o candidato pelo seu partido. Sabe-se que a nível nacional havia essa data indicativa para que fornecessem os nomes daqueles que poderão vir a ser os cabeças de lista, mas a dirigente local do partido…

Veja mais

Pré-Campanha

Como é normal, no início do ano os eleitos reúnem com quem deles depende para delinearem os planos para o ano. Já na terça houve reunião para poderem ser apresentados os votos de bom ano e hoje houve uma nova reunião. Seria de esperar que a Cidália, junto da divisão que está sob a sua…

Veja mais

É amanhã!

No final do ano era notícia o facto de o autarca de Ourém poder perder o mandato por ter sido declarado insolvente. Pelo que pudemos à data ler, o motivo que leva a que isso possa acontecer é, para além de imposição legal- «Na Lei Eleitoral dos Órgãos das Autarquias Locais, no artigo 6º, referente…

Veja mais

Trovões

Quando no verão o Vicente anunciou o asfaltamento das ruas do concelho estava já quase completa uma rua que, pelo que nos tem vindo a ser transmitido, se transformou num autentico tormento para quem ali vive. Referimo-nos à Rua da Panificadora. Quando ali passamos nota-se que o barulho que o carro faz ao passar por…

Veja mais

Zero

A imagem provavelmente nada diz a quem não está habituado a consultar o site onde estão os projectos aprovados no âmbito do programa Centro 2020. Quando foi iniciado este programa de apoios comunitários quem manda na câmara fartou-se de falar no assunto. Parecia que ali estava a salvação da terra. Em certa medida estavam correctos.…

Veja mais

Pequena diferença!

No verão o Vicente anunciou que ia pavimentar a Marinha, com um investimento avultado e muitos quilómetros de asfalto a serem espalhados. Pouco depois começamos a ver se espalhada uma fina camada de alcatrão em algumas ruas. Não podemos dizer que somos entendidos na matéria, mas o bom senso sempre nos disse que o que…

Veja mais

Algo estranho!

A Agenda Cultura para o mês de Janeiro foi feita nos últimos dias de Dezembro. Parte-se do princípio que a Agenda serve para dar conhecimento dos que vai acontecer no mês seguinte aos munícipes que não têm acesso à internet ou que não têm como se deslocar com facilidade ao centro. Quão estranho é o…

Veja mais

12 anos depois

O assunto do Bairro do Camarnal foi finalmente resolvido no final do ano. Há anos que o assunto se vinha a arrastar, uns porque não queriam assumir os erros da governação do próprio partido, outros porque não queriam assumir os erros dos outros, mas sempre numa perspectiva de empurrar os assunto para os que se…

Veja mais

Costas voltadas

Já na semana passada se notou que a Elvira assumiu uma posição diferente daquela que tinha sido assumida pelo vereador eleito pelo movimento independente pelo qual ambos fora eleitos. A divergência de opiniões é salutar em qualquer partido ou movimento que vivam em democracia mas hoje pode ler-se um texto por ela assinado onde vem…

Veja mais

Ano novo, vida velha

Não, não vamos falar sobre a forma como decorreram os festejos da passagem de ano. Desde há muito que aqui não há nada e não seria de esperar que a passagem do ano pudesse ser assinalada de uma forma diferente. O que houve no concelho foi na Vieira e S. Pedro, por iniciativa dos locais…

Veja mais

Boa notícia!

O ano não termina sem que possamos dar uma boa notícia. Sabe-se que a câmara atribui apoios às colectividades para os diversos eventos que vão sendo realizados. Espectáculos, concursos ou provas desportivas têm sido, apesar de tarde, contempladas pela câmara. Nunca, até agora, as conhecidas ‘festas’ das colectividades tinham sido merecedoras de apoios. Não temos…

Veja mais

Para rir!

Ontem estavam para ser aprovadas propostas do executivo que iam no sentido de alguns clubes terem que devolver dinheiro porque não apresentaram documentos justificativos das despesas. Só quem não passou por uma colectividade pode achar que de tudo é possível obter documento. Ninguém passa passa recibo de um prémio que recebe de uma rifa premiada…

Veja mais

Passou, mas…

Como, se previa, ontem o orçamento passou na assembleia, mas com algumas surpresas. Depois de uma troca de ‘galhardetes’, com o Pedrosa a comparar a Elvira à ‘Oliva Patroa’ que lhe mereceu resposta à letra, passaram à votação. E aqui surgem as surpresas! O MpM votou contra, alinhando-se assim à posição que foi tomada pelo…

Veja mais

Balanço

Cá estamos próximos do fim de mais um ano e, como é normal, há que fazer o balanço do que aconteceu. Houve coisas boas, mas também as houve más. Fazer uma retrospectiva levar-nos-ia a ter que republicar tudo o que foi escrito porque é impossível sumariar num texto curto tudo o que aconteceu. Foi um…

Veja mais

Procura-se

Passou o Natal e lemos dos eleitos os votos de boas festas. Sentidas ou não, foram expressadas. Nada lemos do vereador que parece andar desaparecido. Desde há muitas semanas que o vereador deixou de dar ‘confiança aos pobres’, como o povo costuma dizer. Nem uma palavra sua tem sido lida ou ouvida. Nada se sabe…

Veja mais

Onde pára a ‘StreetArt’?

“De 4 de agosto a 30 de setembro, decorre o período de “open call” do projeto Marinha Grande Street Art, que tem como propósito a introdução da arte contemporânea em espaços públicos” era o que se podia ler quando há uns meses a iniciativa foi lançada. Passados tantos meses sem qualquer informação, andámos a tentar…

Veja mais

O buraco

A única decisão que se pode dizer que teria impacto e que poderia salvar o ano de mandato do Vicente era a compra da FEIS. Já se sabe que ali está um buraco e de algum modo chegámos a pensar que o futuro poderia estar acautelado. Hoje pode ler-se a afirmação do Vicente de que…

Veja mais

Em jeito de balanço (outra vez).

Sou dum tempo em que tudo se discutia publicamente e dávamos a cara pelas nossas opiniões (certas ou erradas). Apesar de vivermos em liberdade há uns “longos” 42 anos ainda nos vamos refugiando em pseudónimos para emitir opiniões e denunciando aquilo que o merece ser. Claro que ninguém a isso é obrigado (podemos-nos calar como…

Veja mais

Grandeza

A propósito do que o Ministro afirmou há dias, o deputado Pedrosa veio dizer  que “Santos Silva é um homem probo e um político institucionalista, aproveitar uma boca numa conversa privada para o diminuir é já mergulhar num autentico chiqueiro. Ainda assim apressou-se a pedir desculpa. Grandeza, pois claro!“. Conclui-se que pedir desculpa é sinal de…

Veja mais

De novo, água castanha

Hoje, uma vez mais, a água sai assim em algumas torneiras. Uns têm direito a descontos, perdão de consumos e modificações cuja legalidade alguém se encarregará de esclarecer, enquanto outros têm que optar por não consumir por a água ser imprópria para consumo. Assim vamos vivendo aqui na terra onde os que mandam parecem mais…

Veja mais

Balanço

2016 está a chegar ao fim. Para uns poderá ter sido um bom ano, para outros um ano para esquecer. Cada um fará o balanço que melhor se ajustará ao que passaram. Por aqui queremos apenas fazer o balanço do que foi o ano aqui na terra. Quais as coisas boas e más que aconteceram?…

Veja mais

Entre quatro paredes

Desde que o Vicente está à frente dos destinos da câmara que a terra parece estar metida entre quatro paredes, sem que delas consiga sair, como quem está enfiado numa caixa de onde apenas consegue sair quando alguns deixam. O facto de o Vicente continuar a não ser quem decide é disso evidenciador. Quando, no final…

Veja mais

Lido por aí LXIX

«Na ultima reunião foi decidido revogar a compra das antigas instalações da Fábrica Escola Irmãos Stephens. Perante o que foi apresentado a todos os vereadores, não havia outra solução senão aprovar aquela proposta. Votei, no entanto, consciente de que nas últimas deliberações sobre o assunto tinha tomado as decisões corretas. E não sabia de tudo!…

Veja mais

E agora?

Ontem foi tomada a decisão de adiar a compra da FEIS, mas nada foi feito em relação à promessa de arrendamento. Ou seja, revogaram a compra mas mantiveram a promessa de arrendamento a quem ali está sem ter direito para estar. Hoje tivemos acesso ao processo interno da câmara e o que ali está é…

Veja mais

Compra adiada

Às vezes sentimos que aqui na terra andamos como um burro à deriva, sem saber para onde vai nem porque vai. Claro que aqui o ‘burro’ não somos nós! Ontem foi aprovado, como se esperava, o recuo na compra da FEIS. O Vicente informou que assim, em vez de manterem a decisão e ficarem com…

Veja mais

Um passo atrás

Ontem iria ser votada a proposta de aumento salarial de um único funcionário. Sabia-se que a oposição iria chumbar a proposta e, antevendo o que iria acontecer, o Vicente retirou a proposta, não chegando assim a ser votada. Fica ainda assim a intenção. O executivo permanente quis fazer o impensável e criar um ambiente de…

Veja mais

Passou!

Com alguma surpresa, ou talvez não, o orçamento passou! Com os votos a favor do PS, Logrado e Santos, a abstenção do PCP e voto contra do Aurélio o orçamento segue para a AM. Não pensámos que o Logrado desse mais uma pirueta e aprovasse aquilo que disse que votaria contra e mais difícil é…

Veja mais

Mais uma!

Quando pensamos que nada poderia piorar, eis que nos surgem informações, confirmadas, de que afinal ainda é possivel ir-se mais além do que se poderia pensar. Referimo-nos ao que hoje será decidido e ao que foi decidido na última reunião. As instalações da antiga FEIS estão ocupadas por uma empresa desde há vários anos. A…

Veja mais

Coisas boas

Hoje, em conversa com um amigo, fomos ‘acusados’ de falarmos apenas das coisas más que acontecem aqui na terra ou nas ‘asneiras’ ou erros que são cometidos pelos eleitos. É provável que quando olhamos para o que se passa aqui na terra não vejamos o que de bom é feito pelos eleitos e pela câmara.…

Veja mais

Lido por aí LXVIII

«Oportunamente tornei público o meu acordo na compra pela Câmara Municipal da Marinha Grande dos terrenos que constituem o antigo património da Fábrica Escola Irmãos Stephens. Referi a importância desta aquisição, não só pelo seu valor em termos de mais valias e desenvolvimento do centro tradicional da Marinha Grande, mas também pelo que representa em…

Veja mais

“Le mairie sont deux”

No tempo de Luís XIV começou a ser usada a expressão “L’etat c’est moi”. É a frase que marca um período de absolutismo. Há, no entanto, situações em que cabe apenas a quem preside fazer certas coisas. A frase tem fundamento e aplicação para certas e determinadas situações que cabem unicamente a uma pessoa fazê-as.…

Veja mais