Mais um

O constitucional deitou abaixo mais uma lei do Governo. Não sabemos senão aquilo que vem nas notícias e, se o tribunal assim decidiu, deve estar bem decidido. Já sabemos que o Governo não presta. Tem feito asneiras atrás de asneiras e o caminho para o qual está a conduzir o país só pode dar em…

Veja mais

Verdade ou mentira

Já há uns dias que se sabe que foi feita uma proposta para que fosse incluído no orçamento do próximo ano uma verba de cento e cinquenta mil euros para fazer obras no centro de saúde. Sem surpresa, a proposta foi rejeitada com os argumentos de que não se pode ser estar a querer fazer…

Veja mais

Esculpir…

Já há algum tempo que se fala no aparecimento do museu do molde. Numa terra onde a industria de modelação do aço é a que mais dá emprego é normal que se possa querer fazer alguma coisa alusiva a ela. Fazer um museu não é fácil mas também não é uma coisa do outro mundo.…

Veja mais

Adjudicações directas

Durante a campanha falou-se muito sobre as vantagens ou desvantagens das adjudicações directas que são feitas pela câmara. Adjudicar directamente a uma empresa uma obra significa ultrapassar a necessidade de ser feita a adjudicação por meio de concurso público. É vidente que quando se fala em adjudicações directas isso nos leva logo a pensar em…

Veja mais

Todos querem falar

Há uns dias atrás houve o “abraço solidário” ao SAP. Esteve lá quem quis. Como é normal e esperado, quem falou foram os organizadores e, como é natural, o Álvaro. Ainda que se saiba que a capacidade de fazer bons discursos não esteja no rol do que sabe fazer, é normal que seja ele quem…

Veja mais

É triste viver aqui

Esta semana ficámos animados quando lemos que estava planeado um programa de animação para ontem. Insufláveis para as crianças e balões era parte do que estava anunciado. Até pensamos que poderíamos estar na presença de uma mudança no rumo que a terra tem vindo a ter. Não foi o caso. Em frente à câmara encontrámos…

Veja mais

Quem tudo quer…

Nesta época de Natal, há personagens que voltam à nossa memória. Uma delas diz respeito a um avarento que tudo queria, o Scrooge. Lembrámo-nos deste personagem quando hoje lemos o que o Curto veio dizer em relação às negociações entre o PS e o + Concelho. Há uns dias tínhamos lido o Logrado queixar-se de…

Veja mais

Mais Casas

Quando éramos mais novos gostávamos de jogar ao Monopólio. Naquela altura não havia internet nem jogos das consolas e o tabuleiro era o que nos despertava a atenção. O ponto alto do jogo era quando começávamos a comprar casas. Aí é que começava a doer. As casas eram o que mais queríamos porque havia sempre…

Veja mais