A importância das receitas

Quando se vê o que é o aproveitamento que algumas câmaras fazem das potencialidades do turismo, não podemos deixar de fazer algumas comparações com o que temos na terra. Por onde andamos, as empresas que se dedicam ao desenvolvimento do turismo têm apoios das câmaras. Os próprios turistas são beneficiados em termos de impostos quando…

Veja mais

Homem bala

Quando se fala dos políticos comete-se às vezes o erro de pensar que eles são pessoas bem instruídas e com conhecimentos. Erro enorme! Talvez porque na terra está um circo – no mesmo sítio onde há meses o Álvaro achava que era impróprio para estar um em funcionamento – que tem como atracção um “homem…

Veja mais

Destino

Os Portugueses até são boas pessoas. Não reclamam; trabalham (em especial quando emigram); pagam impostos (quando não arranjam forma de fugir); elegem incompetentes para os governar; quando têm oportunidade; reelegem os mesmos ou outros da mesma laia; gostam de fado e futebol; endividam-se para passar férias e ter um carro de grande cilindrada é sinal…

Veja mais

Adivinharam!

Há uns meses lemos isto. Meses depois, quando já se sabe qual a intervenção que tem tido, a quantidade de ausências, o facto de nada mais ter surgido por sua iniciativa e do papel apagado e pouco consequente que tem tido, nas poucas vezes que aparece, temos que concluir que afinal há quem saiba adivinhar…

Veja mais

Queixa e o óbvio

Hoje o PCP saiu com uma previsão que deixou todos surpreendidos. Prevêem que o BPN nos vai custar mais dinheiro! Depois do muito que já se sabe, fazer uma previsão destas, depois do que foi o relatório do TC, é, sem dúvida, algo que nem a Alexandra Solnado conseguiria fazer. Até entendemos que possam querer…

Veja mais

Bom e mau

Com o que se passou, e está a passar, no BES, não há quem não fale no “banco bom” e “banco mau”. A ideia de mau ficou associada à parte sombria que envolveu aquela instituição. Isso levou-nos a pensar se na câmara não haverá também uma parte boa e uma parte má! Quem serão os…

Veja mais

Turista por acaso.

Hoje tentámos por-nos na pele do Vítor. Responsável como é pelo entretenimento aqui na terra, tentámos fazer o que ele faria num dia de domingo, em pleno mês de Agosto. Tal como ele, começamos a manhã a dar uma volta pelos parques. Num, ainda em obras, fomos fazer a contagem das árvores que sobreviveram ao…

Veja mais