A primeira

Pelo que já conseguimos ler e saber, a primeira reunião da câmara decorreu dentro da normalidades, com o Álvaro a mostrar-se mais seguro e o Vicente mais arrogante. Ao contrário do que era esperado, nenhum pelouro foi atribuído. Continua-se sem saber quem irá fazer o quê, apesar de ser certo que o Logrado irá assumir…

Veja mais

Sem saída

Para hoje o movimento “que se lixe a troika” agendou um protesto. Desligado dos interesses partidários e sindicalistas, é mais uma oportunidade para a sociedade civil se poder manifestar contra o que é um dos piores orçamentos de Estado de que há memória. Se em manifestações semelhantes houve divulgação a nível local, pelo que ontem,…

Veja mais

É o destino!

Já há algum tempo que se sabe que a Dâmaso foi vendida. Se há quem entenda que a câmara deveria ter tido um papel mais activo e deveria ter tentado ficar com as instalações, há quem pense o contrário. Opiniões são o que são e valem o que valem! Veio ontem noticiado o nome da…

Veja mais

Jogo de cadeiras

Logo vai ter lugar a primeira reunião do novo executivo. Até pela agenda, não se esperam grandes decisões. Irá ser o momento em que os novos eleitos irão ter a possibilidade de poder começar a mostrar o que valem e ao que vêem. Uma das coisas que irá ser interessante de ver será o lugar…

Veja mais

Santos em brasa

Como era previsível, a nomeação dos que irão ficar ao lado do Álvaro não foi bem vista por aqueles concorreram às eleições e se sujeitaram ao veredicto dos eleitores, não aproveitando a desculpa usada, de poder ser o Álvaro quem escolhe os seus assessores, para conseguirem ocupar os cargos para os quais não foram eleitos.…

Veja mais

Quem manda afinal, quem manda?

Quando éramos novos, uma das séries que gostávamos de ver era uma que contava a história de dois irmãos, numa pequena aldeia que era dirigida pelo J. D. Hogg, conhecido pelo “Boss” Hogg, que comandava tudo. Quem não se lembra dos “Três Duques” e das aventuras que eles tinham! Muitos anos depois parece que estamos…

Veja mais

Mais um tacho

Surgiram ontem os rumores, já confirmados, de que o Álvaro terá escolhido para seu adjunto o número quatro da sua lista. Já confirmada a veracidade do rumor, a verdade é que essa informação caiu como uma bomba junto de muitos que estavam até dispostos a colaborar com o Álvaro e acreditamos que pode mesmo levar…

Veja mais

Três homens no mesmo barco

Depois de ontem ter sido a tomada de posse, aguarda-se a distribuição de pelouros. Sabe-se que não há qualquer interesse dos partidos de deixar que a câmara caia ou que não se encontre uma forma de entendimento, ainda que informal. O cenário de eleições antecipadas levaria a que os partidos pudessem ficar numa posição mais…

Veja mais

Telmo, vencedor

Sem grandes surpresas, o Telmo voltou a ganhar a presidência. Com os seis votos de abstenção, que se presume ter sido da CDU (uma vez que a Susana não esteve presente), o Telmo obteve a totalidade dos votos a seu favor. Não é nada que não se previsse depois do que aconteceu nas Juntas da…

Veja mais

Mais uma cavaca…

A propósito do orçamento de estado para o ano que vem e das inconstitucionalidades que muitos dizem existir, este fim-de-semana ouvimos o Cavaco dizer, lá por onde anda, que não vai pedir a verificação da constitucionalidade antes da entrada em vigor do orçamento. Claro que com isso está a colocar-se ao lado do Governo e…

Veja mais

As bengalas do Álvaro

Logo deverá ficar definido qual será a composição da Câmara e da Assembleia. A julgar pelo que lemos a semana passada no jornal, o Santos não deverá aceitar pelouro já que disse que irá analisar caso a caso o que forem as propostas. Da parte da CDU sabe-se também que não irão aceitar pelouros, que…

Veja mais

Semana dos sete dias

Ontem percebi que realmente a democracia como a conhecemos não é um facto adquirido. Numa discussão agradável e acalorada, a determinada altura entrámos na disputada dos funcionários públicos VS funcionários privados. E entre algumas afirmações interessantes registei uma que me deixou a pensar: “há mais funcionários públicos que privados!” quando perguntei como é que isso…

Veja mais

Temos o que merecemos

“Devia saber que esclareci, em devido tempo, que nunca tive qualquer relação com o BPN ou com as suas empresas, a não ser a de depositante para aplicação de poupanças, quando era professor universitário. Esqueceu mesmo o esclarecimento que, pessoalmente, lhe foi prestado“. O Cavaco disse também que “nunca exercera qualquer tipo de função no…

Veja mais

Negócio na escola

Quando éramos jovens, o significado de “amochar” traduzia-se num jogo entre que duas equipas em que iam saltando alternadamente para as costas dos que estavam “amochados” até que o peso forçava a cair. Com a internet e os jogos de computador tudo mudou e não se vê mais a criançada a ter esse tipo de…

Veja mais

Mau tempo na Junta

Se na Junta da Moita o assunto parece estar mais ou menos definido, na Vieira e na Marinha não será fácil conseguir manter uma governação sem problemas a menos que possam surgir entendimentos. Na Vieira o Vidal poderá ter a vida facilitada, bastando que um dos que está na oposição possa a ele aliar-se. Não…

Veja mais

A ponte não caiu

Não, a ponte sobre o Tejo não caiu, cedeu! O que caiu foi a esperança de que alguma coisa mude. O braço de ferro que o Governo fez com a CGTP deu a vitória ao Governo. No mesmo dia em que é anunciada a proposta de orçamento, o Arménio decide transformar a manifestação a pé…

Veja mais