Música, a que preço?

Uma terra com actividade cultural intensa não pode passar sem ter os instrumentos essenciais que permitam por em andamento os espectáculos que tem agendados. Nada de enganos! Não nos referíamos à nossa. Actividade cultural intensa é nas outras. Cá vamos tendo algumas coisas pontuais. A casa da cultura foi emprestada para as marionetas e teve,…

Veja mais

Regras de protocolo

Ainda a propósito do que aconteceu no Domingo, com o Álvaro a fazer-se representar pelo novo adjunto, fomos dar uma vista de olhos às regras de protocolo nacionais. De acordo com essas regras, um Presidente de Câmara tem o mesmo estatuto protocolar de um Ministro. De acordo com elas, o Primeiro-Ministro pode fazer-se representar, em…

Veja mais

A representação

Não deverá haver quem não tenha momentos em que se sinta em baixo. Cada um tem os seus motivos. Uns podemos adivinhar, outros dizem respeito a cada um. No Domingo acreditamos que o Vicente terá sido uma das pessoas que se sentiu em baixo. Tudo isso porque nas comemorações do 18 de Janeiro o Álvaro…

Veja mais

Seres inúteis

Hoje que se comemora o dia em que os que trabalhavam se revoltaram, não conseguimos deixar de pensar naqueles que  estão à frente de partidos ou de cargos políticos mas que nunca fizeram nada na vida.  São os famosos “boys”. Seres inúteis e sem utilidade que vivem à custa de terem conseguido lugares em partidos…

Veja mais

18 de Janeiro

Comemora-se amanhã mais um aniversário da revolta operária de 1934. Apesar de não ser um assunto que se estude nas escolas, não nos parece que seja um eu deva entrar no esquecimento. Representa muito do que o povo Marinhense já foi. Sabe-se que a câmara contribui sempre com dinheiro para a organização e parece-nos que…

Veja mais

As fontes

Há coisas que se entendem, outras há que são de difícil compreensão. Ontem foi noticiada uma eminente ruptura da coligação que governa a terra. Já há muito que se sabia de alguns problemas e é normal que a oposição possa querer usar alguma coisa de que tenha conhecimento para tentar desestabilizar. Quando isso vem nos…

Veja mais

A que título?

Nem sempre se consegue entrender a forma como os nossos políticos agem! Claro que isso não é novidade! Lemos uma reclamação da direcção de uma colectividade queixando-se de não ter contado com a presença do Álvaro no almoço de aniversário. Entende-se que ele possa não conseguir estar em todo o lado e deveria ter enviado…

Veja mais

Quanto tempo?

A coligação entre PS / PCP dura já há mais de um ano. Apesar de terem defendido ideias diferentes durante a campanha, após a coligação tem-se notado existir uma identidade de ideias e procedimentos entre todos. A coligação é, ainda assim, contrária a tudo o que seria esperado. O PS e PCP pouco ou nada…

Veja mais

Silêncio, não!

Hoje deverá sair a primeira edição após o atentado em Paris. Não a iremos ler e sabemos que haverá quem não deixará de falar no que aconteceu na Nigéria e em muitos outros países onde há loucos que não deveriam sequer ter nascido. Haverá também quem fale na hipocrisia dos que mandam e que patrocinam,…

Veja mais

Assim, sim!

Somos às vezes criticados por apenas apontarmos para o que está mal. A razão é simples: poucas são as coisas boas que acontecem. Desta vez temos que dar conta de algo que nos surpreendeu, pela positiva. Dez é um número como qualquer outro mas neste caso representa o número de minutos que a nova directora…

Veja mais

Incontactável

A semana passada lemos num dos jornais um texto que fez referência ao papel dos inpedendentes na politica local. Quando eles apareceram, desde o tempo do Artur, que tentaram mostrar-se mais próximos dos munícipes. Esse foi, aliás, um dos argumentos que foi usado nas diferentes acções de campanha que tiveram lugar. Não nos pronunciando sobre…

Veja mais

Servir de bandeja

Todos sabem que “não é com vinagre que se apanham moscas”. A mudança de postura do Logrado assenta nessa ideia. Se até há pouco não conseguíamos entender a razão da mudança, tivemos informação que vem, de algum modo, explicar a razão da alteração se comportamento. O Logrado percebeu que não seria mantendo uma posição de…

Veja mais

Desculpas? Para quê?

Alguns saberão a que diz respeito o texto da imagem. Quem tiver a agenda cultural de Dezembro verá que está lá isto. Perguntarão alguns porque é que isto aqui aparece? Simples! Era uma das programações culturais para o mês que passou. Seria uma sessão de cinema para os mais pequenitos. O problema foi que a…

Veja mais

Mudam-se os tempos…

“Li atentamente a vossa entrevista ao Dr. Aurélio Ferreira… como tenho lido as notícias e estado atento às movimentações políticas (partidárias e cívicas) com vista às próximas autárquicas. É publicamente conhecida a minha proximidade ideológica e partidária ao PS, nacional e local. A seu tempo, considerei que as eleições autárquicas de 2005 tinham sido decididas…

Veja mais

“Je suis Charlie”

Um dia depois do atentado que está a movimentar o mundo ocidental, é-nos deixada, às 16:42, uma mensagem privada a propósito do post “Os apoios e a falta deles” com o seguinte teor: “Anónimo??? pensas que destabilizas quem tem luz própria… perdes do teu parco tempo. Alimenta-te de “comida” saúdavel. Que te faça crescer enquanto…

Veja mais

Os apoios e a falta deles

Apesar dos muitos erros que vão sendo cometidos pelos membros do executivo camarário, não consideramos que algum deles faça as coisas por maldade ou com intenção clara de prejudicar. Tendo esse pressuposto em mente, a questão, mal explicada, de alguns apoios que não são atribuídos sempre nos fez alguma confusão. Quando se trata da utilização de…

Veja mais

Só porque sim!

Quando olhamos para as decisões que são tomadas pela câmara esperamos sempre encontrar um fundamento. Justificar o porquê de ser decidida alguma coisa é a única forma que os munícipes têm para poderem saber qual a razão que sustenta essa decisão. Tínhamos assistido à reunião de câmara que deliberou atribuir apoios a alguns clubes. Apesar de…

Veja mais

É só coincidência!

Alguns ainda se recordarão desta imagem. Foi há quase dois anos, depois do temporal que se abateu sobre a terra e deixou a mata irreconhecível. Nessa altura um grupo de munícipes tentou mobilizar os políticos e a população para o problema. O resultado foi o que se vê. Estiveram presentes os que mais tarde vieram…

Veja mais

Má gestão dos cemitérios

Continuamos a ser uma terra que tem uma atenção especial com os seus mortos. Ainda que para muitos possa ser um assunto irrelevante, não o deveria ser para quem manda. Não, não vamos voltar a falar no jazigo que, um ano depois, está ainda sem solução. Esse será um assunto que irá ser arrastado até…

Veja mais

TUMG levada ao colo

 Quem procurar um pouco encontra isto: “As empresas locais, tanto nas relações com os sócios como com terceiros, estão sujeitas às regras gerais da concorrência, nacionais e comunitárias, e devem adotar mecanismos de contratação transparentes e não discriminatórios, assegurando igualdade de oportunidades aos interessados, nos termos legalmente previstos“. Este texto é tirado de uma das…

Veja mais

Haja paciência

Conseguir-se chegar lúcido a uma idade avançada deverá ser uma benção. Alguns conseguem, outros vão envelhecendo sem perceberem que o tempo deles já passou. Soares faz-nos lembrar a Heminia Silva. Quando já não cantava mas apenas fazia uso do nome, sempre que tinha possibilidade de chegar a um palco quase que era necessário que a tirassem…

Veja mais

Sem programação

No final do ano, a câmara deu um novo visual ao site institucional. Tivemos a esperança que a falta de informação actualizada fosse algo que tivesse apenas a ver com a mudança de visual e que em poucas horas tudo seria ultrapassado. Não foi! Mas esta falta de informação levou-nos a tentarmos ir saber o…

Veja mais