Pedir demais

31 de Agosto foi a data limite que um empresário definiu para decidir se faz ou não um investimento de seis milhões de euros no concelho. Tudo isto porque, depois de ter tido uma reunião há três meses com o Álvaro, nada avançou. O empresário não consegue que a câmara integre a sua actividade como…

Shhhh…

O que aconteceu a semana passada era, mais ou menos, esperado. O Álvaro mandou calar um munícipe quando ele quis intervir apenas porque ele não se tinha inscrito com, exactamente, 24 horas de antecedência. Mais uma vez coloca-se o formalismo à frente dos interesses dos munícipes. Claro que se entende que o Álvaro se agarre…

Shhhh…

O que aconteceu a semana passada era, mais ou menos, esperado. O Álvaro mandou calar um munícipe quando ele quis intervir apenas porque ele não se tinha inscrito com, exactamente, 24 horas de antecedência. Mais uma vez coloca-se o formalismo à frente dos interesses dos munícipes. Claro que se entende que o Álvaro se agarre…

Custo das festas

A câmara decidiu, a semana passada, pagar ao STIV. Todo o serviço que é prestado deve ser pago e a câmara decidiu a semana passada pagar pelo que foi feito no 18 de Janeiro. Dito assim pode soar mal mas nós explicamos. Há uns meses o STIV organizou a comemoração dos 80 anos da revolta…

Estacionamento ou árvores

Nem sempre se conseguem entender as razões que levam a que sejam tomadas algumas decisões por parte dos que mandam na terra. Uma das últimas decisões que foi tomada gerou alguma polémica mas agora entendemos a razão de ter sido tomada. As árvores são muitas das vezes um estorvo. Que jeito tem estarem árvores a…

Opções

Quando hoje passámos grande parte do tempo sem água e nos lembramos do que se gastou na Casa da Cultura e na Resinagem não conseguimos deixar de pensar nos critérios de investimento que têm sido usados. Optar entre a conduta dos Altos Picotes ou obras de fachada parece ser uma escolha difícil. Ainda nos lembrámos…

Nada se faz

Hoje, como sempre, o centro estava assim, às moscas. Quatro anos depois do Álvaro ter iniciado funções, não se vê que tenha existido uma única mudança para melhor. Edifícios em ruínas, abandonados ou à mercê de vândalos é o que o centro tradicional tem para oferecer. Longe vão os tempos em que por ali se…

Ivima… para quando?

Quando hoje dávamos volta aos arquivos de imagens, apareceu-nos esta que data de 1918. Longe vão os tempos em que aquele edifício era da Companhia Nacional e Nova Fábrica de Vidros da Marinha Grande, mais tarde Companhia Vidreira Portuguesa. Hoje ele está entregue à câmara e, apesar de se falar que lá irá ser instalado…

Soninho na cultura

É muito provável que a culpa seja mesmo nossa por termos criado expectativas demasiadamente altas no que diz respeito ao que poderia ser a animação que este verão poderia aqui existir. É provável que o que a câmara não está a fazer seja o que esta correcto. Se assim for, seremos nós quem tem que…

Dia negro

Hoje é um dia triste. Deverá ser um dos piores dias do ano. É uma das datas que deveria ter sido apagada do calendário há, pelo menos, setenta e cinco anos e uns dias. Se isso tivesse acontecido Cavaco não teria tido a oportunidade de nascer e hoje não seria a data em que a…

Ciclovias descuidadas

A câmara deu a conhecer as ciclovias que existem no concelho. Para quem gosta de caminhar ou andar de bicicleta é uma das coisas boas que existe. Raras são as vezes que as imagens que são colocadas reflectem a realidade. Neste caso temos que reconhecer que a câmara fez uma escolha acertada que reflecte o…

Preço de saldo

O que é que leva a que um lugar idílico como este esteja ao abandono? O que leva a que a câmara o vá por em hasta pública a preço de saldo? A resposta parece ser simples. O abandono a que aquele parque está votado desde há muito justifica que isso aconteça. Aliás, é até…

Preço de saldo

O que é que leva a que um lugar idílico como este esteja ao abandono? O que leva a que a câmara o vá por em hasta pública a preço de saldo? A resposta parece ser simples. O abandono a que aquele parque está votado desde há muito justifica que isso aconteça. Aliás, é até…

Ir para fora

Hoje vamos todos para fora do concelho. Não temos praias que possam ser frequentadas; não temos qualquer actividade que nos motive a ficar cá; já fomos aos museus, Resinagem e a Casa da Cultura é só uma miragem; não nos apetece andar no parque a ver o que está estragado. Resta-nos ir ver os passeios…

Visitar fábricas

Se já imaginámos aproveitar as férias a visitar fábricas? Fazer nas férias o que fazemos fora delas? Não. Não mesmo! Talvez nos imaginássemos a vir da praia (das que ainda se podem frequentar) e ir tentar conhecer a industria local em passeios organizados, com locais de partida e chegada, com guias que nos explicassem o…

Boxe no PS

Hoje é notícia em jornais da região o problema que se passa nas praias. As obras não estão a dar condições aos veraneantes para poderem gozar o seu período anual de descanso. A economia local sofre com isso mas a câmara tenta arranjar desculpas. Não são apenas as praias do concelho que estão afectadas. Também…

Mais serviços externos

Desde há muito que se sabe que a câmara deverá continuar a ser a principal empregadora do concelho. A quantidade de trabalhadores que foram admitidos ao longo dos anos faz dela a entidade com mais funcionários. Estranhamente o Vítor há dias admitiu que vai ter que contratar uma empresa externa para que possa ter o…

Agenda sem cultura

Hoje tivemos a curiosidade de ir consultar a “agenda cultural” para este mês. Sempre que o fazemos temos a esperança de encontrar alguma surpresa. Encontrámos! Claro que há surpresas boas e surpresas más. Desta vez, para não variar muito, a agenda nada trás que possa motivar algum destaque pela positiva. É mais do mesmo. Não…

Fechado a curto prazo

Recebemos há pouco uma informação que nos deixou deveras preocupados. Já se sabe que vai haver alterações no tribunal, passando alguns assuntos a ser tratado fora daqui. Durante umas semanas viu-se nas ruas uns cartazes do PCP chamando a atenção para esse assunto. A Alexandra apresentou uma moção na câmara de condenação da intenção do…

Melhor amigo da câmara

É normal ver-se por aí espalhado um sinal de trânsito de perigo. De acordo com o que se aprende quando se está a tirar a carta, esse sinal significa “outros perigos“. É aquele sinal que dá para tudo! Não pomos em causa a designação que foi dada ao sinal mas parece-nos que ele deveria ser…

Informações falsas

Aos poucos vai-se tendo acesso a mais informação sobre o que terá acontecido com o tão falado regulamento de venda ambulante. Depois de termos assistido na reunião da semana passada à troca acalorada entre o Álvaro e Aurélio, fomos tentar saber quem teria razão. Quem assistiu à AM e leu os jornais ficou a saber…

Não há regras

É sabido que a câmara não nada em dinheiro. Não tem tanta falta quanto fazem crer mas sabe-se que não o podem esbanjar. Uma gestão criteriosa impõe, ali como em qualquer outro lugar, que sejam bem pensadas as verbas que são gastas. Seja em obras, seja em apoios, é necessário que seja tudo equacionado. Quando…

Novo olhar enrolado

Na última reunião de câmara foi incluído um ponto na ordem de trabalhos (que foi depois retirado) que dizia respeito à “clarificação da deliberação” tomada em Dezembro de 2012 relativamente ao apoio anual que foi concedido, no valor de quinze mil euros, para uma entidade criada apenas dois meses antes! Fomos ler o que tinha…

Novo olhar enrolado

Na última reunião de câmara foi incluído um ponto na ordem de trabalhos (que foi depois retirado) que dizia respeito à “clarificação da deliberação” tomada em Dezembro de 2012 relativamente ao apoio anual que foi concedido, no valor de quinze mil euros, para uma entidade criada apenas dois meses antes! Fomos ler o que tinha…

Apontar de dedos

Ontem notou-se o regresso do Logrado. Apesar de o termos visto a almoçar com o Vítor, durante a reunião de câmara os ânimos entre os dois estiveram ao rubro. O Logrado, provavelmente por vir habituado a outras realidades onde ainda se sentem os resquícios de colonização, voltou a usar um vocabulário muito pouco próprio de…

Jogar às escondidas

A reunião de ontem foi animada, de novo, com o assunto do regulamento de venda ambulante que o Álvaro retirou à última da hora da AM da semana passada. Para além do espectáculo pouco digno que se assistiu e ao qual voltaremos, houve algo que tivemos conhecimento que, quase tão grave quanto o que aconteceu,…

Pintar a cara de preto

Há uma expressão popular que achamos que aqui se encaixa na perfeição. Diz o povo, quando há algo de que se acham que os envergonha, que preferiam “pintar a cara de preto” a fazer isto ou aquilo. Quando ontem vimos as fotos do Álvaro e do Vicente ao lado dos mastros lembramo-nos de há uns…

Praia (in)acessível

Sabe-se que uma câmara não tem dinheiro para tudo e que há que fazer uma selecção criteriosa dos locais onde deve ser feito investimento. Há, no entanto, opções que se fazem que, quando conjugadas com outros elementos, levam a que se pense nas razões que levam a que haja uma aparente maior preocupação com umas…

Praia (in)acessível

Sabe-se que uma câmara não tem dinheiro para tudo e que há que fazer uma selecção criteriosa dos locais onde deve ser feito investimento. Há, no entanto, opções que se fazem que, quando conjugadas com outros elementos, levam a que se pense nas razões que levam a que haja uma aparente maior preocupação com umas…

Mesma realidade, duas soluções

Há algum tempo que não passávamos ao lado do cemitério e, para nosso espanto, encontrámos funcionários da câmara a arranjar os passeios. Mais espantado ficámos quando os vemos a fazer os arranjos sem que tenham deitado abaixo as árvores que lá estão. Depois de os vermos fazerem aqueles arranjos, mantendo as árvores, ficámos ainda mais…

Degradação

Esta é uma imagem que não deveremos voltar a ver. Já há muito se sabe o estado em que estão as piscinas de S. Pedro e o que isso irá afectar aquela praia em termos de movimento. Se num ano foi porque havia pedras no lugar da areia, no outro foi porque havia máquinas e…

Afinal…

Na AM, que está a decorrer, foi retirado de discussão o ponto sete que dizia respeito ao Regulamento de Venda Ambulante. Ainda havia quem dissesse que tudo estava correcto! Incompreensível é como é que a câmara deixa que o assunto chegue sequer a ser incluído na ordem de trabalhos! Como é que é mesmo o termo que se costuma usar para…

Como vai ser?

Mais logo a AM vai reunir e, lá para o final da reunião, irão discutir o “Regulamento da Actividade de Comércio a Retalho não Sedentária“. Os deputados vão ser confrontados com este documento que já foi aprovado em reunião de câmara e que se sabe que o foi sem que tivessem sido seguidos os procedimentos…

Como vai ser?

Mais logo a AM vai reunir e, lá para o final da reunião, irão discutir o “Regulamento da Actividade de Comércio a Retalho não Sedentária“. Os deputados vão ser confrontados com este documento que já foi aprovado em reunião de câmara e que se sabe que o foi sem que tivessem sido seguidos os procedimentos…