O discurso

Conseguimos ter acesso ao que será o discurso que amanhã o Álvaro irá ler nas cerimónias do 25 de Abril que damos a conhecer a seguir: “Minha Patroa, marinhenses e outros que estão no executivo, Decorridos que estão quarenta anos desde que a revolução de Abril nos trouxe liberdade, esta é uma noite em que…

Beco sem saída

Poucas serão as pessoas que não estiveram já num beco sem saída. Estar-se perante uma situação em que não se têm qualquer alternativa é sempre mau. Pior é quando se vive num! Tivemos conhecimento que existem munícipes que vivem num beco sem saída e em relação ao qual parece existir esquecimento por parte da Junta…

O munícipe é que paga

Haverá quem não tenha conhecimento que a câmara tem uma participação de cerca de 10% no capital da empresa de águas Simlis. Apesar de há dias ter surgido uma campanha, meritória, para defesa da água, a verdade é que aquela empresa tem mais de dois milhões de euros de capital negativo. Traduzido por miúdos, significa…

Olhar à lupa

Uma das coisas que tem sido falada tem a ver com o controle que é feito pela câmara dos dinheiros que tem para usar. Desde que foi eleito que o Álvaro tem andado apavorado com situações que podem levar à perda de mandato. Por mais do que uma vez ouvimos esse argumento para justificar a…

Dinheiro prescrito

Sempre tivemos a sensação de que no tempo dos escudos se dava maior importância ao dinheiro. Ao longo do anterior mandato uma das justificações que foi dada para que muita coisa não fosse feita foi o da falta de dinheiro. Entendemos que em tempo de vacas magras não se pode pedir que dêem muito leite…

Vender a Cooppovo

Uma das instituições que é conhecida quase desde sempre é a cooperativa. A “Cooppovo” tem sido uma das instituições que tem ajudado muitos dos munícipes que vêm ali uma forma de comprar de forma tendencialmente mais barata do que noutras superfícies. Essa é pelo menos a ideia que se tem quando se fala ou ouve…

Silêncio

Desde que o executivo tomou posse que, de certo modo, temos estado habituados a que as reuniões de câmara sejam “animadas” com as intervenções do Logrado. Tem cabido a ele o papel de proporcionar alguma diversão aos que têm a paciência de assistir às reuniões. Não é por acaso que as reuniões da câmara da…

Nada se faz

Temos estado à espera para ver quanto tempo demoraria retirar o que decidiu cair do Atrium, bem por cima da entrada onde deveria funcionar o mercado. Cansámos de esperar. Já lá vão demasiados dias sem que alguma coisa tenha sido feita. Claro que ali não está já quase nada a funcionar e esse poderá ser…

Apoio à natalidade… mas pouco

Não deverá haver nada mais bonito que os bebés. Infelizmente há cada vez menos. Apesar de ter feito parte dos programas eleitorais, só ontem foi para votação o programa de apoio à natalidade. Quatro meses e meio foi quanto tempo demorou a fazer uma cópia mais ou menos fiel do que existia o ano passado!…

Jazigo que queima

Desde há algum tempo que se tem vindo a falar na obra polémica: o jazigo que foi feito sem supervisão da câmara. Houve até munícipes que foram à reunião de câmara para saber o que se passava. Ouvimos o Álvaro dizer que os serviços estavam a analisar e que na próxima reunião já iria dar…

Questões de Abril

A chegar-se ao 40º aniversário do 25 de Abril parece-nos que pode fazer-se o balanço do que foram estes quarenta anos de “democracia”. Na escola pouco ou nada se ensina sobre o que aconteceu nem sobre as razões que levaram a que se desse a revolução. Os principais protagonistas são esquecidos e nem no local…

Não há circo sem palhaços

Sem palhaços não há circo. Pode haver muita coisa mas uma das coisas que nunca pode faltar são aqueles que nos fazem rir dar parvoíces que fazem à nossa frente. Quando soubemos que este ano vai haver circo perto do estádio fomos dar uma vista de olhos ao que antes tinha sido dito pelo Álvaro.…

O custo do Circo

Surgiu há pouco um comentário que dava a conhecer que a câmara teria cobrado a quantia de quatro mil euros pela utilização do espaço onde o circo está instalado, despesa que tinha sido suportada pelos bombeiros. Tratava-se de informação que não dispúnhamos e que nos apareceu como surpresa. Fomos tentar saber o que se passava…

Os candidatos

Numa altura em que estamos a dias de começar a campanha para as europeias e quando se sabe que o interesse que há nessas eleições é reduzido, fomos ver o curriculum de cada um dos cabeças de lista dos principais partidos. Escusado será dizer que a vontade que temos é de fugir! Francisco Assis: Estudou…