CidáliaPS

Hoje quem ler notícias depara-se com algo que não é novidade, mas que pode traduzir-se num susto. Para os mais desatentos até poderá ser novidade o facto de a Cidália poder ter já decidido recandidatar-se, mas para quem acompanha a vida politica local não poderá ver isso como surpresa. Alguns dos maiores defeitos que se podem apontar às pessoas é o facto de poderem ser más, ser incompetentes e serem arrogantes. Quando a isso se junta o defeito de não conseguirem ver neles próprios esses defeitos, o resultado é explosivo. Ao longo deste mandato tem-se vindo a conhecer quem é afinal a presidente. Muito longe da imagem que tentaram passar nas eleições, têm-se vindo a mostrar ser portadora daqueles defeitos que enunciámos. E, pior que isso, não tem consciência de que os tem. Não temos dúvida que quando se olha ao espelho vê alguém que tem feito muito bem pelo concelho exactamente porque lhe falta o sentido de autocritica que não está acessível a todos. Aqueles que a rodeiam não têm sido capazes, ou não querem porque lhes interessa segurar o tacho, dar-lhe a conhecer que tem sido uma má presidente; que o seu mandato até ao momento tem sido um que tem levado a que as pessoas com valor na autarquia se tenham querido afastar; que os serviços nunca estiveram tão mal como estão agora, sem que exista uma hierarquia chefia que faça os serviços funcionar; que deixou o concelho chegar a um posto de desmazelo e desleixo como não temos memória. Tudo isso poderia ter sido ultrapassado se não houvesse o convencimento de que está a fazer um bom trabalho, algo que os militantes do seu partido, aqueles que não estão à espera de favores, reconhecem e afirmam publicamente. Acreditamos mesmo que ex-autarcas se sintam envergonhados pela forma como o concelho está a ser conduzido (e não dizemos ‘gerido’ porque o que está a acontecer não é gestão). Nesta quadra natalícia é normal trocarem-se presentes, mas pode dizer-se que a notícia do jornal não surge como tal. Ela é antes o pesadelo de qualquer pessoa que aqui viva. A notícia da saída da Célia é a esperada já que não conseguiu estar ao nível do cargo que ocupa e a do Caetano é previsível uma vez que lhe tem vindo a ser feita a cama para a saída de modo a que deixe o lugar de número dois aberto quiçá para quem já está dentro do gabinete. A sua possível recandidatura será o trampolim que poderá dar jeito a quem não tem outra ocupação senão a da dependência de um cargo público. O anúncio da previsível recandidatura da Cidália surge, num concelho rico, como um uma condenação. Pobre concelho se tiver que continuar a ser ‘liderado’ do modo como tem sido estes três anos e o que resta.


Seguir
( 1 Seguidores )
X

Seguir

E-mail : *

Comentar com conta do Facebook

comentario(s) no Facebook

5 comentários

  1. A ser verdade, não poderia haver pior notícia, para o concelho.
    Depois de três anos de má gestão e problemas concelhios adiados, um ano de pandemia, vem agora este presente envenenado – á recandidatura da pior Presidente que tivemos nos mais de 100 anos do Concelho da Marinha Grande.
    Afinal onde andam os homens e mulheres que dizem gostar da su terra, não haver ninguém de valor nesta terra que faça frente aquela “coisa” que dizem ser Presidente?
    😢😢😢😈😈😈😩😩😩😡😡😡

  2. Mas a Cidália não se enxerga?
    Não haverá outros ou outras Teresas Coelho que lhe digam olhos nos olhos que ela não tem a mínima competência ou perfil para coisa nenhuma, muito menos para presidente da câmara!!!!!!
    Volta Teresa fazes cá muita falta.

  3. A Cidália é a marioneta para os interesses instalados do seu chefe de gabinete. A senhora reformada só quer almoçaradas com cartão de crédito da autarquia, o resto delega aos boys para amordaçarem..

  4. Pois,”volta Teresa que estás perdoada”,e o Vicente a mesma coisa, mas quando aqui os menosprezavam e lhe chamavam a patroa, etc.,também ajudaram que batecem com a porta, e fossem á sua vida.

Deixe uma resposta

Seu endereço de e-mail não será publicado.

  
Please enter an e-mail address

Postar Comentário