IsabelPCP

Quando se aproximam as autárquicas há nomes que mais ou menos surgem sempre. Do lado do PCP é sempre mantido o segredo até à última da hora. Ao longo dos últimos anos as coisas não lhes têm corrido de feição e um dos nomes que tem surgido como uma das potenciais candidatas à Câmara tem sido o da Isabel. Na sexta ficou claro que ela não está na corrida para a Câmara. Afirmou de forma clara que está disponível para a Junta, mas que não o está para a Câmara. O Martelo tem assim um nome a menos na lista dos potenciais candidatos. A sua indisponibilidade faz com que, mesmo que o partido escolha o seu nome, seja uma opção errada porque só se pode esperar um trabalho razoável de quem está disponível para o executar. Com uma carta fora do baralho, as opções para um candidato ou candidata do PCP começam a ficar mais limitadas. A verdade é que no ‘universo’ de militantes e simpatizantes do partido não há muitas escolhas possíveis que possam fazer frente à concorrência que surgirá. Depois de muitos anos afastados da presidência, não se antevê que as próximas autárquicas possam transformar-se numa tarefa fácil. Depois de três anos de mandato em que, com exclusão das eleitas para a Câmara, não se viu que o PCP se tivesse conseguido afirmar no concelho, sempre com muros à volta das suas decisões que não são de vidro. A vinda do Martelo não fez com quem, fora do partido, se tivesse sentido alguma mudança o que faz antever uma dificuldade em conseguirem um bom resultado nas próximas eleições.


Seguir
( 2 Seguidores )
X

Seguir

E-mail : *

Comentar com conta do Facebook

comentario(s) no Facebook

9 comentários

  1. O PCP bem se esforça para demonstrar que ainda tem algum poder na Marinha grande, mas todos sabem que está morto. O martelo entretanto está de mochila pronta para zarpar. Sobram os mesmos de sempre, a etelvina que vai fazendo de conta que o stiv ainda funciona, o zé luis ,a isabel freitas e um resto os velhinhos teimosos e saudositas que nunca vão admitir que o PC está decadente..

    3
    1
  2. Coragem e confiança por uma autarquia com futuro
    O PCP analisou a situação da autarquia e a luta de massas e projetou a ação partidária com uma poderosa afirmação da identidade, força e determinação. Um exemplo de coragem, combatividade e disponibilidade do coletivo partidário, da sua organização, disciplina e coesão, traduzidas numa profunda ligação aos problemas e anseios e lutas dos trabalhadores e do povo e constituiu uma clara e expressiva demonstração de unidade, capacidade de organização e de confiança no ideal e projeto comunistas e uma alternativa patriótica e de esquerda capaz de abrir caminho à resolução dos problemas da autarquia.
    A situação autárquica e a perspetiva da sua evolução são marcadas pela deterioração das infraestruturas municipais e pela situação económica e social. O PCP denuncia a crescente instrumentalização dos problemas da autarquia pelas forças e sectores reacionários, nomeadamente o PS, inserida numa estratégia antidemocrática e de completo desprezo pelos anseios dos munícipes. O PCP sublinha que a atual situação exigia um outro nível de resposta que o orçamento da autarquia para 2021 deveria ter comportado. A rejeição de muitas e significativas propostas que o PCP apresentou, impediu a resposta ampla a vários problemas da autarquia. A resposta mais global aos problemas que a autarquia enfrenta não está, nem nas opções do executivo PS, nem nos projectos antidemocráticos e reaccionários do MpM, nem do que resta do +C, do PSD nem dos sociais caviares do BE. O PCP reafirma que a resposta global aos problemas autárquicos é inseparável de uma política patriótica e de esquerda, inseparável do reforço do PCP e da luta dos trabalhadores e dos munícipes. Portador da política alternativa que responde aos problemas nacionais, o PCP é simultaneamente pela sua intervenção, coerência e projeto, força agregadora de todos munícipes que aspiram a uma autarquia com futuro. O PCP assume-se, pela clareza de intervenção e projeto, como a sólida garantia para defender os legítimos interesses dos Marinhenses, Moitenses e Vieirenses.
    O PCP sublinha as acrescidas exigências ao coletivo partidário e a necessidade de impulsionar a iniciativa das camaradas e militantes na importante batalha autárquica, em outubro do próximo ano, garantindo a afirmação da sua candidatura, o alargamento do apoio de muitos outros democratas, levando tão longe quanto possível a planificação, os contactos, as ações, a mobilização e a participação.
    O PCP, no seguimento do último plenário tomou decisões sobre organização do trabalho de direção e foi informado da distribuição de tarefas entre os membros dos organismos executivos. Uma intensa atividade que tem como objetivo prioritário as próximas eleições autárquicas, como sejam a intensificação do envolvimento das organizações e militantes do partido nas ações de campanha, dando particular atenção ao contacto direto com os trabalhadores e a população, ao alargamento dos apoios e ao envolvimento, participação e voto de todos aqueles que se identificam com a nossa luta. A inscrição das eleições autárquicas como prioridade, inserida na ação geral do Partido, articulada com a luta dos trabalhadores e do povo, concebida para ampliar a unidade com muitos homens e mulheres sem filiação partidária que reconhecem na CDU um espaço de realização e convergência democrática. Uma ação que integra como elementos centrais, proceder a uma alargada prestação de contas do trabalho e obra realizados enquanto comprovação do respeito para com os compromissos assumidos com as populações e do valor distintivo do projecto da CDU, um amplo e ousado contacto para o alargamento da CDU, confirmando os que integraram as listas de 2017 e outros que se destacam pela sua intervenção na vida local, o trabalho de elaboração de listas tendo por objetivo concorrer a todos os órgãos municipais e ao maior número possível de freguesias afirmando a CDU como grande força de esquerda no Poder Local, o debate alargado dos programas eleitorais para cada freguesia e concelho assegurando o envolvimento das populações e dos trabalhadores para a identificação mais rigorosa, a partir do projeto da CDU, da resposta às suas aspirações e interesses.
    O PCP reafirma e sublinha que a contribuição do camarada Martelo tem sido fundamental para a unidade de todos os democratas e para o alargamento e enraizamento da juventude marinhense na atividade política autárquica, contra a reação e os interesses da direita.
    Avante

    2
    6
    • Bla… bla… bla a mesma cassete de sempre
      Que querem vocês que ao longo deste mandato do PS foram a muleta e a bengala do Executivo mais incompetente de sempre.
      Iremos gramar a incompetente Cidália por falta de comparência de opositores credíveis

      4
      1
  3. Boa Bla Bla Bla Bla Bla Bla…
    Com essa cassete velha e gasta não vamos a lado nenhum, nem com candidatas da esquerda caviar que não percebem de coisa nenhuma e que ladram ladram e nada fazem. Serão a coveiras do PCP, da mesma forma que a Cidália está a ser para o PS. Precisamos de pessoas inteligentes e com uma visão bem clara para o futuro do concelho da Marinha Grande que os velhos do Restelo e um punhado de oportunistas não têm.

    6
    1
    • Caro Anónimo. O PEV é um partido fantasma, como todos sabem. É uma ficção que serve apenas para dar existência À CDU que permite afastar o estigma de se votar no PCP.

      1
      2
  4. Com Os Verdes e com a CDU
    Está nas mãos dos munícipes elegerem mais deputados da CDU para a autarquia possa avançar. Quanto mais forças tiverem a CDU e os Verdes, mais condições terão para propor e reivindicar medidas justas e necessárias. O percurso do PEV e da CDU tem sido construído de forma sólida e coerente em defesa dos interesses e desejos das populações. O crescimento da CDU é indispensável para a justiça social e ambiental.
    O PEV assume nos seus compromissos a prioridade do combate às alterações climáticas, da proteção da natureza e da biodiversidade, o reforço do Serviço Nacional de Saúde e de todos os serviços públicos, sem esquecer a promoção e o desenvolvimento e a luta por mais e melhores transportes públicos, nomeadamente o aumento das linhas do TUMG, uma reivindicação do PEV e da CDU, que só foi possível devido ao nosso empenho e persistência.
    Com Os Verdes e com a CDU iremos adotar medidas para reduzir em 20% o plástico utilizado nas embalagens de produtos alimentares ou outros, promover a criação de bebedouros públicos nas escolas e nos parques do município, incentivando o consumo da água canalizada em detrimento da água engarrafada.
    Basta que haja uma ação política verdadeiramente comprometida com as populações das freguesias e do município e com a sustentabilidade do desenvolvimento.
    É esse compromisso dos Verdes!
    VOTA VERDE, VOTA CDU!

    3
    1
  5. Talvez sim a CDU, mas não com as pessoas existentes. Procurem novos mas inteligentes e marinhenses de raizes e nada de esquerdas caviar que muitos deles para que p chegarem aonde chegaram teem muitas histórias mal contadas e muitas artes e manhas.

    2
    1

Deixe uma resposta

Seu endereço de e-mail não será publicado.

  
Please enter an e-mail address

Postar Comentário