País a 1/10 da velocidade

CuriosoEstado6 Comentários


Assim não vamos lá! As escolas vão abrir. Algumas actividades comerciais estão quase a funcionar sem restrições. Vai haver a festa do Avante e até há jantares do Ventura sem máscaras e sem distanciamento. Continuamos a ter que pagar os impostos como se tivéssemos o país a funcionar. Mas quando chegamos a certos serviços do Estado o país pára. Não é concebível que possamos querer que a economia dê a volta à crise e possamos apostar na expansão para além fronteiras quando, se queremos renovar o passaporte, nos atiram para daqui a dois meses e meio! O pedido de agendamento para a obtenção de algo tão simples como tirar um passaporte, que permite viajar e estabelecer contactos comerciais com outros país, só pode ser tirado daqui a 76 dias. E que se faz neste meio tempo? Vive-se de subsídios? Vamos às festas e esquecemos que o país está parado? Este deve ser o apoio que o Estado dá a quem precisa de trabalhar e tentar fazer crescer o país.


Seguir
( 3 Seguidores )
X

Seguir

E-mail : *

Comentar com conta do Facebook

comentario(s) no Facebook

6 Comentário em “País a 1/10 da velocidade”

  1. Avatar

    Curioso, não percebo a indignação… Você até defende o sistema.
    O Estado está de férias há 6 meses. Deve ser para aguentar o que aí vem… Mais 6 meses, de salários garantidos, e todo um país a definhar. E porquê?

    Foram 46 anos, a roubar a riqueza de todo um país, e enfiar no cú deste politiqueiros ranhosos, que assaltaram o ORÇAMENTO e distribuem por quem não faz nada, nem produz nada. Agora, a miséria vai bater à porta de muitos de nós.
    Com o meu voto… NUNCA MAIS!
    Portugal, merece mais!

    1. Curioso

      Caro Anónimo. Não percebemos a parte do “defende o sistema”. O que poderá dizer é que defendemos a democracia, liberdade e igualdade. O ‘sistema’ em que vivemos assenta nesse pressuposto, reconhecendo que há muitos entraves a que o ‘sistema’ funcione bem. O facto de terem existido políticos que podem ter desvirtuado os conceitos que defendemos não significa que isso dela levar a que o ‘sistema’ seja abalado ou que se tente criar uma solução alternativa porque, há que reconhecer, não há solução alternativa que salvaguarde os princípios basilares da democracia, liberdade e igualdade. Podemos e devemos todos pugnar por melhorar o que existe, mas nunca com recurso a algo que possa desvirtuar o que foi conseguido. Se isto é defender o sistema, então somos, obviamente, defensores do sistema tal como o definimos.

    1. Curioso

      Caro João. Não é bem assim. Para o mesmo, em Leiria, a data mais próxima é 12 de Outubro.

  2. Avatar

    Eu so digo isto e cada um pense aquilo que quiser!Nas empresas privadas tem que se trabalhar haja pandemia ou não para levares o teu para casa, as escolas vão agora começar com as aulas presenciais e oa alunos tem que ir assim como os prefessores ! ja agora o porque de tudo o que é serviços publicos não poder regreçar a normalidade presencial com as mesma regras das escolas e das empresas?

    1. Avatar

      Simples de responder.
      Há portugueses de primeira, e depois há os outros portugueses…
      A vida dos tugas de primeira, é mais valiosa, que a vida dos outros tugas!
      É esta a democracia, liberdade e igualdade do sistema com 46 anos, que o Curioso defende.

      Liberdade sempre, inquestionável!
      Até a liberdade, de não querer mais isto!
      Este sistema democrático colapsou. Está à vista de todos!
      Quanto mais se mune de defesas e amordaça o povo , mais será atacado. Já ninguém suporta isto!
      As próximas eleições vão começar a limpar a caca de 46 años de compadrio e corrupção. Cairão que nem tordos.
      Basta de roubalheira, ao povo português!
      VOTEM EM OUTROS PARTIDOS. VAMOS LIMPAR ESTA MERDA, DOS MESMOS DE SEMPRE!

Leave a Reply