À espera da sombra

CuriosoPS20 Comentários


Quem tem acompanhado as movimentações no PS não pode ter deixado de se aperceber de algo que salta aos olhos de qualquer um. O concelho ganhou dois novos intervenientes que propagam as notícias que saem da câmara, e que são favoráveis ao seu partido, de uma forma exaustiva. A forma como intervêm em defesa do executivo chega ao ponto de cair no ridículo. Nestes últimos dias, no pós-eleições para a distrital do PS, as redes sociais foram aproveitadas para dar recados. “Como na politica uns fazem e preparam o terreno e outros literalmente deliciam se dos tachos” foi uma das afirmações que se pôde ler e que tem um alvo muito bem identificado e que parece estar a estorvar às ambições de quem quer colocar-se à sombra de um qualquer lugar. Sem que sejam conhecidos percursos profissionais que permitam ver-se ali grande capacidade, parece ser claro que os “Tachos”, que não os de cozinha, são algo que está na mente. O Nelson, cujas relações com o Caetano são de cortar à faca, parece ser um obstáculo que urge ultrapassar. Como foi escrito “falta de coerência, oportunismo político e muita falta de vergonha na cara” leva a que se tenham tornado em dois dos mais fervorosos defensores do executivo e de um vereador em especial. Parece ser claro, começando pela vereação, que o objectivo da eleição ou de se poderem colocar em lugar eventualmente elegível em eleições futuras é muito mais com um objectivo de auto-ajuda do que de ajuda ao próximo. É, aliás, esse um dos motivos que leva a que o Caetano, até hoje, não tenha tornado pública a sua declaração de interesses, quiçá para que não se ficasse a perceber qual o destino das actividades a que esteve ligado. A política sempre foi um local onde muitos gostam de estar ligados, não tanto por aquilo que ela tem de bom, mas por aquilo que ela ajuda a que se possa ter. É interessante ver surgirem novos aspirantes protagonistas na vida política local, sendo é pena que surjam por via de uma influência que querem ganhar e ter nas redes sociais e não tanto por um passado que lhes granjeie esse lugar à sombra.


Seguir
( 4 Seguidores )
X

Seguir

E-mail : *

Comentar com conta do Facebook

comentario(s) no Facebook

20 Comentário em “À espera da sombra”

  1. Avatar

    O papel e a forma ridícula como essas duas figuras o estão a desempenhar, são tristes. Muito tristes. Sinto vergonha alheia por eles.

    2
    3
  2. Avatar

    Dr??!!! Mas padres que abanam a mão são doutores?!!!!! Qual é a universidade que andou? Se saiu da missa para tachos políticos???

  3. Avatar

    Não têm é um passado de tachistas! Queriam muitos era ter o bom nome, inteligência, profissionalismo e carisma! Andam todos é muitos assustados com duas pessoas em vez de fazer o seu trabalho nos lugares que ocupam! Ah… Pois… Se soubessem o que é trabalhar! Estão nos postos apenas porque se vergaram! Esses é que estão à sombra em vez de querer o bem para a terra!

    4
    1
    1. Avatar

      Anónimo das 0.42. Explique lá isso. Bom nome só se for o do pai de um já que nem um nem outro o têm. Carisma onde? Profissionalismo onde?

      2
      4
      1. Avatar

        Para enviar este post às 4 da manhã ou é insónia ou é mesma azia. O pai ou o avô ou o gato ou o periquito não foram achados para nada, nem de um nem de outro. Em relação ao nome ou ao bom nome é de uma falta de respeito não só às pessoas em questão como a toda a família que poderá ler este tipo de comentários.
        Parece que agora é crime para não dizer pecado estar envolvido em acções politicas ou então o efeito que se pretende está a surtir resultados pois já têm direito a comentários no LC. Se isso não é carisma é o quê?
        A estupidez humana não contente com a sua ignorância de conhecimento das pessoas em questão alimenta duvidas sobre as capacidades e cargos profissionais utilizando linguagem de duas vizinhas a falarem de janela para janela sobre a vida dos outros. Nenhum deles vive ou viveu à custa de ninguém. todos com casa própria e a cumprir com os seus compromissos financeiros. Empregos conseguidos através do seu desempenho e nunca a través de cunhas ou cargos de nomeação politica. Um deles imigrando para Angola onde abraçou 3 projectos distintos trabalhando em empresas com facturações superiores a 10.000.000,00$. Ainda hoje recebe elogios pelo trabalho prestado vindos da África do Sul como de Angola.
        Além de ter constituído uma família com 3 filhos e que nunca passaram fome nem nunca lhes faltou nada a não ser o próprio pai quando esteve 5 anos fora do país visitando-os de 6 em 6 meses.
        Mas gostava de saber quais são os critérios para nos interessarmos pela politica local?
        De todos os representantes autárquicos atuais e anteriores e de todos os quadrantes políticos quais foram os seus magníficos contributos profissionais que Vos tanto orgulham para podermos dizer que foram as pessoas certas para o poder autárquico?
        São post e comentários deste tipo que fazem afastarem se da politica quem poderia ser uma mais valia para o concelho e ajudarem a eternizar os que se servem da politica e das sociedades medíocres. Mas quando a inteligência não dá mais também não podemos pedir milagres.

        7
        1
        1. Avatar

          Oh Sr. Anónimo. O fato de o LC falar de uma pessoa não significa que ela tenha carisma. Veja o caso da Cidália, todos os dias eles escrevem sobre ela e não só ela não tem carisma como não tem qualquer capacidade. Ser-se objeto de um texto aqui no LC não é sinal para que se fique satisfeito. Mas não deixa de ser estranho que tanto carisma não foi suficiente para ganhar as eleições para a concelhia!
          Quanto ao percurso, esqueceu-se de mencionar a empresa que faliu e o ter sido afastado da empresa do pai por não servir para lá estar. E, já que falamos no assunto, que faz essa pessoa agora, além de estar constantemente a publicar coisas no Facebook?

          2
          6
        2. Avatar

          Tem toda a razão, não é de ninguém se orgulhar de andar neste lamaçal. Mas o que dizer de Alvaro Órfão, Armando Constâncio, João Barros, Alexandra Dengucho, Aurélio Ferreira, Alvaro Cardoso, enfim tantos outros que foram injustamente envolvidos em linguas tão porcas.
          Agora para que fiquem esclarecidos qual a empresa que abriu falência por um destes intervenientes? Lol
          Em relação à saida da empresa do pai foi um problema familiar e quem me é proximo sabe o que se passou, pois em relação ao trabalho era responsável por 57% das vendas da empresa. Acha pouco?
          No que diz respeito à politica perder uma eleição por 1 voto com todos os pesos pesados do outro lado não acha que é um feito?
          Sem remuneração da função publica e sem isenção de horario, muitas vezes a r a casa às 9 e 10 da noite e ainda preparar a eleição organizando as listas até à 1 da manhã e voltar ao trabalho às 7h30m da manhã, perder por um voto tem que ter Carisma não acha?
          E não se preocupe que trabalho não lhe falta e contribui para as despesas da casa e para os mimos dos filhos. Se lhe faz comichão as suas presenças no Facebook então tem que comprar pomada para a urticária porque elas vão continuar. Por muito que tentem denegrir o nome não têm como o fazer só utilizando a Lei dos Fracos que se resume a desvalorizar os outros para se sentirem valorizados.
          Nunca teve cargos de remuneração politica. Nunca utilizou influências partidárias para fazer o seu trabalho. Nunca enganou ninguém para beneficio próprio. Vive tranquilamente com a sua família. Nunca aceitou almoços de borla. Nunca escondeu nem deixou de dizer o que pensava. E não. Não precisa da politica para ganhar a vida nem quer mas não o impede de exercer um direito de intervenção politica concelhia.

  4. Avatar

    Um lugar ao sol… Vêm aí os milhões da Europa, para continuar a alimentar a festa xuxalista. Candidatos não faltam, são só mais 2.
    Os portugueses continuam pobretes, mas alegretes. Sempre de mão estendida, à procura de esmola. Já é modo de vida. Pobreza!!!
    Vergonha destes políticos e destes partidos. A roubarem os portugueses à 46 anos !

    2
    6
  5. Avatar

    Ah tanta dorzinha de corno que pra qui vai!
    Cresçam e apareceram!
    Já agora, comecem a pensar em justificar cargos directivos e de gestão nas empresas dos papás, clientes enganados e burlados por prestadores de serviços ou vendedores do mercado que constroem casas de meio milhão e as vendem por 250 mil, uma dúzia de anos depois.

  6. Avatar

    Sempre, mas mesmo sempre, que aqui escrevo, assino por baixo, na vã esperança de que esta forma de participar na discussão democrática e responsável, possa vir a ser adoptada por outros comentadores, principalmente por aqueles que, embora não se identificando, não usam o anonimato para promover assassínios de carácter de quem não gostam.
    Esconderem-se por detrás de um macaco ou da máscara de um Anónimus para destilar ataques pessoais, não é só uma indignidade, mas também um acto de cobardia.
    O Pedro Bruno Constâncio perdeu a mãe aos 21 anos de idade e foi confrontado com acontecimentos ditados pela vida da família, que certamente o abalaram e marcaram profundamente.
    Apesar disso, pouco mais de um ano após a morte da mãe, por opção dele, mudou-se para um apartamento que adquiriu com empréstimo do BPI, tornando-se independente do pai.
    Trabalhou na LEPE, na FAMARI e foi vendedor da cartonagem SERTA, até 2005, data em que comecei a negociar a aquisição da Vincarte e o convidei para sócio, dada a sua experiência na área do cartão e a sua elevada competência como comercial.
    A saída de sócio da empresa foi a seu pedido e por razões pessoais, que sendo pessoais só a nós dizem respeito e fez-se à vida.
    Foi convidado por um grupo de amigos, à data sócios da Imobiliária LOJA DAS CASAS e, antes de aceitar, veio falar comigo e a minha posição foi muito clara. Se fosse para operar na área do Concelho, eu apresentaria de imediato a minha demissão de vereador, porque não aceitaria que se levantasse a mínima suspeita, apesar de eu nunca ter aceite o pelouro de obras particulares.
    O Bruno percebeu a minha posição e colocou esta impossibilidade na Loja das Casas, tendo a Imobiliário optado por abrir uma loja na Benedita, para onde ele foi trabalhar.
    Com o sector do imobiliário em crise, o Bruno emigrou para Angola, com uma passagem pela África do Sul em formação e por lá andou mais de 5 anos longe da família e dos amigos.
    NUNCA, MAS MESMO NUNCA, o Bruno Constâncio ocupou qualquer tipo de cargo público, ou usufruiu de qualquer vantagem económica.
    Há cerca de 2 anos, fundou uma startup na área dos produtos de energia e iluminação, que está a fazer o seu caminho e é a sua fonte de rendimento.
    NUNCA, MAS MESMO NUNCA, o Bruno abriu falência de qualquer empresa.
    O Bruno é meu filho, não será um modelo de virtudes, como nenhum de nós é, mas jamais poderá ser acusado e ofendido nos termos em que alguns anónimos abjectos aqui o fazem.

    1. Avatar

      Como pai, a defesa é normal e não há que levar a mal. Mas acha normal que o seu filho faça uma defesa exagerada do executivo camarário, como tem vindo a fazer, colocando-se muitas vezes quase que no papel da própria autarquia? Eu entendo que se defendam as ideias, mas não do modo cego que tem sido feito. Eu concordo com o que os macacos aqui escreveram no que diz respeito a ser uma atuação com um objetivo definido que vai muito além de ser apenas um militante ativo.

      1
      2

Deixar uma resposta