CidáliaIsabel

Durante muito tempo sentimos que a Isabel tinha emigrado. Não se via nada escrito por si nas redes sociais. Quase parecia que se tinha transformado numa infoexcluída, numa pessoa que não quer saber do mundo que a rodeia. Chegámos mesmo a pensar que ela se tinha transformado numa Cidália, versão, apesar de tudo, melhorada! Mas isso mudou! Agora é vê-la a escrever, a partilhar informações e fotos, a agir como agia antes. O ressurgimento da Isabel nas redes sociais é bem vinda porque permite ver que não regrediu ao ponto de se transformar numa Cidália, mas também porque permite ver que está mais atenta ao que se passa na sua freguesia e com os seus fregueses. Claro que nas redes sociais, em especial em alguns grupos, nada se aprende, mas, já que existem, é bom podermos saber aquilo que os autarcas pensam, ainda que seja para criticarem o que um ou outro munícipe possa pensar sobre um assunto. E, se quase comparámos a Isabel à Cidália (com as devidas desculpas à Isabel pela comparação), é inevitável que caiamos naquilo que é a total ausência de contacto com os munícipes por parte da presidente da autarquia. Entendemos que nem todos têm que ter conta nas redes sociais, mas os que a têm e desempenham um cargo público porque não as usam para poder comunicar com os munícipes? Se é agradável ver o ressurgimento da Isabel, a total ausência de sinais de vida da Cidália continua a ser, para nós, um mistério. De que terá medo a senhora presidente? Que leva a que se mantenha tão infoexcluída e tão afastada do mundo actual? Será que os munícipes que pululam nas redes sociais são tão inferiores a si que não pode ter com eles contacto directo, ainda que de uma forma virtual? São questões às quais não sabemos dar resposta, mas fica claro que as diferenças entre os autarcas são visíveis até nestes pequenos detalhes. Quanto ao ressurgimento da Isabel, quererá ele dizer que a recandidatura está a ser preparada?


Seguir
( 1 Seguidores )
X

Seguir

E-mail : *

Comentar com conta do Facebook

comentario(s) no Facebook

6 comentários

    • Sr Anónimo das 12:36, não discordando do seu comentário, penso que está na altura de mudanças, outras caras, outros saberes. A Marinha não vive apenas do associativismo, de sindicatos, etc….a junta muito pouco tem feito ou faz na Marinha Grande. Confunde-se sempre o que faz a CMMG e o que realmente deve fazer a JFMG. Por exemplo: nas Trutas existe uma rua que está todos os dias cheia de água, foi feito uma pequena infraestrutura para encaminhamento de águas, mas apenas até meio, o resto é vergonhoso, quem fez essa obra? quem controlou? o que foi feito é bom, mas insuficiente, no inverno com a descida da temperatura a água passa a gelo, as motas escorregam e as pessoas podem magoar-se, se existir um acidente a quem dirigir as culpas, se o acidente for grave, de quem é a responsabilidade?
      Não sou das Trutas, mas por motivos profissionais diáriamente tenho de passar por lá, existe um enorme sobreiro junto a coletividade das trutas, do outro lado da rua está uma escola primária, se os troncos que precisam de uma pode, caírem, a quem responsabilizar se o acidente for grave?, Junta ou camara? Mudanças são urgente e a JFMG também precisa delas. A Marinha Grande precisa de uma pensamento mais inovador, mais futuristas, e quem está associado ao partido que tem edificio junto da igreja, não sensivel a novos pensamentos, porque as pessoas são sempre as mesmas e os mesmos discursos.

      1
      1
      • Caro comentador das 9,59 de, que não é das Trutas mas passa lá, tem razão, mas a CMMG não tem vontade de descentralizar competências, sobreiros outras árvores jardins e outros semelhantes nada da Junta, e a rua se disser qual é, talvez a junta possa dar uma colaboração, mas não lhe interessa não é verdade!? Pois o que lhe interessa é dizer mal das pessoas daquela casa perto da igreja, nem é capaz de falar no partido comunista😢 horror

        • Caro Anónimo das 20:29 escreveu mas não disse nada. A tal rua que o senhor não sabe o nome, a junta sabe muito bem qual é, mais ainda, essa tal rua até já foi comentada em reunião de camara. Não lhe digo o nome, porque quem tem de saber, sabe, não faz é nada. A Junta se não faz mais é porque não quer, no minimo interceda na camara pelos seus fregueses, porque então, para que serve a junta? Fazer uns registos para os animais, uns registos de residência, uns subsidio para as coletividades, só isso!!!, queremos mais, muito mais.

Deixe uma resposta

Seu endereço de e-mail não será publicado.

  
Please enter an e-mail address

Postar Comentário