Festas

Já foi anunciado pela câmara que as festas da cidade realizar-se-ão no primeiro fim-de-semana de Junho. Voltam a ser apenas três dias. O ano passado as festas tiveram a duração de quatro dias e chegou mesmo a ser falado na possibilidade de estender por mais, mas o executivo este ano voltou ao passado e reduziu para três, segundo a informação transmitida pela câmara, por opção das colectividades. É certo que são as colectividades quem explora as tasquinhas e são os voluntários que estão lá nas barraquinhas o tempo que dura o evento, mas não deixa de ser estranho que a decisão de reduzir o período de duração das festas tenha sido decidido pelas colectividades. Se a decisão não é para ser tomada pelos eleitos, não teria sido mais lógico que tivesse sido dada voz à população, quiçá com um questionário colocado online, e não apenas aos representantes das colectividades? Durante a reunião que teve lugar a semana passada foi transmitida a ideia de que irão alterar o layout do recinto das festas, movendo a zona de restauração para outro local de modo a não estar em frente ao palco. A confirmar-se esta mudança, não deixa de ser interessante ver-se que por um lado dão o poder de escolher os dias em que o evento se realiza às colectividades “dado o forte envolvimento das associações neste evento, nomeadamente na dinamização da Zona da Gastronomia”, mas por outro empurram-os para longe do palco, afastando a possibilidade de quem quer estar na zona de restauração enquanto assiste aos que possa estar a ter lugar no palco o poder fazer.


Seguir
( 4 Seguidores )
X

Seguir

E-mail : *

Comentar com conta do Facebook

comentario(s) no Facebook

12 comentários

  1. Eu concordo que se consulte as coletividades, mas para tudo.
    As festas são as tascas das coletividades, mais os concertos, ponto. É tão importante a ação da câmara como das coletividades mas a câmara continua a não ver as coletividades como parceiras, lado a lado, mas como subalternas. Questionar o que achamos sobre os dias da festa e não questionar sobre o layout é de quem entende que as coletividades não tem que dar opinião, e nada do que a gente diga, vai ser positivo e útil para essa tomada de decisão. Comem e calam!
    Já agora, porquê mudar a gastronomia de lugar? Será que os motivos justificam tirar o enquadramento da gastronomia do palco? Quer dizer, explicaram para onde e porquê?

    1
    1
  2. Os 5 dias iriam aproveitar os 2 dias de feriado (10 e 11) e nem todas as associações têm voluntários para 5 dias de festas mais N dias de preparação.
    Então da próxima, vota a população, mas também dão horas do seu tempo a preparar as coisas…isto não é assim tão fácil.
    Sobre a localização, as princesas queriam estar a comer e a beber a ver os concertos a fazer sala e as associações, que querem pessoas a consumir não o podiam fazer porque as mesas estavam ocupadas….
    Isto não é difícil perceber.
    Vão deslocar a tenda para uma zona que se encontra desaproveitada das festas e assim expandir as festas para todo o parque.
    O problema para os voluntários é trabalhar domingo à noite e segunda ter de trabalhar. Mas assim será 🙂

    • Caro Pedro Santos. Entendemos que não será fácil a gestão dentro de uma colectividade, mas caberá à autarquia decidir se quer umas festas que poderão tender a ser maiores a cada ano que passa ou se quer ficar-se pela carolice dos que pertencem ás colectividades, limitando, com isso, a possibilidade de crescimento das festas. Noutros concelhos onde as suas festas têm duração maior nenhum dos entraves que aqui parecem sempre surgir são obstáculo a que façam mais e melhor. Infelizmente aqui a autarquia parece não olhar a custos quando se trata de algumas contratações, mas nada investe quando diz respeito a poder auxiliar as colectividades a criar meios que possam não os ter que fazer depender nesses dias da mão de obra dos que ao longo do ano mantêm as colectividades e associações vivas.

      2
      1
      • Não percebo, vão contratar pessoas para trabalhar nas associações? Existem associações que têm muita gente (escuteiros por exemplo) mas a grande parte das que ali estão e abrem portas contam sempre com as mesmas pessoas.
        As festas com 3/4 dias é mais que suficiente para todas as associações e voluntários trabalharem muito, ganharem muito e as pessoas ficarem muito satisfeitas, como acontece até hoje! Mais vale fazerem 3 dias bons do que 5 médios/fracos.
        Gostei da piada do cronômetro, mas o xadrez joga se no operário…

  3. Nem Mercado nem Piscina, Estradas uma desgraça, saneamento a passo de caracol, nada de novo e criativo para a Marinha. O PS e seus boys no seu melhor .

  4. Concordo com o anónimo anterior. Temas não faltam, e se não for o Largo, poucos são os que denunciam as situações, para além dos vereadores da oposição nas reuniões. Mas isso não chega. As máquinas partidárias ( incluindo o MPM que também é um partido) nada fazem ! E havia tanto para fazer.

Deixe uma resposta

Seu endereço de e-mail não será publicado.

  
Please enter an e-mail address

Postar Comentário