CMMG

Sempre que um particular vai ao serviço de obras para poder fazer qualquer coisa naquilo que é seu, há entraves e mais entraves que são colocados. Quase parece que ganham na proporção dos entraves que consigam colocar aos munícipes. Um dos requisitos essenciais é que os prédios onde as obras serão feitas sejam de quem está a pedir a autorização. Nem pensar fazer-se algo sem que esteja tudo em nome dos requerentes ou existe um qualquer contrato que lhes dê essa possibilidade. Claro que isso é para os particulares. À câmara não se aplica essa regra. A câmara fez e faz obras mesmo naquilo que não está em seu nome, sem registo na conservatória, sem que haja alguém que diga que deveriam primeiro legalizar tudo, ou seja, fazerem aplicar a eles as exigências que colocam aos privados. A escola da Moita está a ser alvo de obras, mas onde as obras estão a ser executadas não está em nome da câmara. Cremos que ninguém porá em causa que aquele local é da câmara, mas não deixa de ser interessante perceber-se que bem prega Frei Tomas.


Seguir
( 2 Seguidores )
X

Seguir

E-mail : *

Comentar com conta do Facebook

comentario(s) no Facebook

5 comentários

  1. A escola está registada em nome da Junta de Freguesia? Por momentos ainda pensei que estivesse em nome da Câmara de Alcobaça ou do Ministério da Educação…
    Menos mal.

Deixe uma resposta

Seu endereço de e-mail não será publicado.

  
Please enter an e-mail address

Postar Comentário