CMMG

Está convocada mais uma reunião de câmara extraordinária. Como não conseguem levar tudo certo às reuniões ordinárias, há que convocar muitas extra até porque há muito dinheiro no banco para pagar aos vereadores. Dia 21 a Cidália quer que seja aprovada a reorganização dos serviços para que dia 24 possa ir à assembleia municipal para votação. A pressa com que está a querer esta reorganização é incomparável com assuntos mais urgentes que tem em mãos e em relação aos quais não parece haver essa pressa. Seria bom que a pressa neste assunto pudesse ser transmitida à Célia para que deixasse de ter assuntos parados em cima da secretária. Fica por saber se a pressa tem a ver com o facto de quererem mesmo por em prática a proposta do consultor ou se é só para fazerem um aumento considerável a uma das funcionárias que, por coincidência, é filha de uma das pessoas influentes da e na Vieira e no PS. Será mais uma reunião em que os munícipes não vão poder ter conhecimento do que se passou e aqui voltamos à questão já colocada antes: porque não propõe a oposição a alteração ao regimento para que tudo passe a ser público?


Seguir
( 2 Seguidores )
X

Seguir

E-mail : *

Comentar com conta do Facebook

comentario(s) no Facebook

23 comentários

  1. Preocupação só com uma?! Está enganado. Eles querem premiar outras e outros.
    Nunca o cartão foi tão importante, assim como a quantidade de graxa, língua e cuspo nos sapatos da senhora presidente e vereadores.

    • Gentalha tão hipócrita!
      Nas costas, é ouvi-los nos corredores a dizer mal de tudo e todos!
      À frente, é só sorrisos e hipocrisia…
      Cidália, premeias quem mais mal de ti diz!

  2. Este assunto será para mim e para outros a prova dos nove sobre a competência, seriedade e integridade da oposição. O lavar as mãos para mim não é, de todo, uma atitude acertada.
    Que sentido faz uma divisão de recursos humanos para gerir diretamente 4 trabalhadores?Mesmo que venha a integrar mais 4 ou 5, que sentido faz? Porque motivo não recebe esta divisão mais competências e divide as responsabilidades e áreas de atuação com outra?
    Que sentido faz uma unidade ou sub-unidade da área da eletricidade, se tudo o que se faz nesta área é através de contratação ao exterior? Quando só existe um eng e um operário nesta área?
    Que sentido faz uma unidade ou sub-unidade na área da educação e juventude quando existem dois encarregados nestas áreas que deveriam estar a gerir as senhoras das escolas (que até são exclusivamente geridas pelas escolas) dos pavilhões, da fae, e por aí fora.
    Faz sentido ter uma divisão jurídica com apenas dois jurístas? E 3 ou 4 fiscais? Não haverá melhor solução para enquadrar estás competências?
    Podia ficar aqui a fazer mais perguntas, mas era isto que esperava e espero da oposição, e um veto claro, se não for demonstrado que a proposta tem como objectivo melhorar a eficácia e eficiência dos serviços da câmara e não for mais do que um vestido para encher de boys!
    Para não variar, gostava mesmo de ver, em direto, mas até neste aspecto parece haver concertação com a oposição para discutir á porta fechada.

    • Na prática o que vai acontecer é que vamos ter chefes que não vão conseguir ser chefes porque vão ter de continuar a fazer as funções de técnicos, o que é o mesmo que dizer vamos ter (alguns) técnicos mais bem remunerados sem que para isso tenham tido avaliação para ter progredido.
      Não basta chegar, contar técnicos e concluir que é preciso mais divisões e chefes. O nível de análise tem de ser muito mais fino, ao pormenor, porque a câmara está cheia de nuances, e se alguém se preocupasse mesmo em entende-las, talvez fosse possível reorganizar serviços para melhor servir o munícipe e não o clientelismo partidário.

    • Caro Anónimo. Sabe-se que a senhora presidente quer fazer a escolha de “quase” todos de entre os funcionários que já integram o quadro da câmara. Quanto aos fundamentos sabe-se que tem a ver com o facto de “a implementação da anterior estrutura orgânica permite-nos corrigir algumas opções que se revelaram desprovidas de eficácia”. A proposta diz que “esta opção agora apresentada é muito mais do que uma mera opção política deste executivo, é sim o resultado de uma leitura critica da realidade feita por todos aqueles que corporizam a Organização”.

      • Quem? Quem da organização foi consultado? Estão a brincar, não??!!!! 0,1% da organização, certo?!; Só pode ser!

  3. A pressa tem a ver com a entrada em funções do novo governo.
    Há ordens expressas para que nos gabinetes governamentais não sejam nomeados familiares de membros do governo.
    Sendo assim e para que algumas dezenas não fiquem no desemprego, há que arranjar lugares um pouco por todo o lado para os boys/girls.
    Conhecendo-se a fidelidade canina da Cidália aos governantes, há que arranjar um “lugarzinho” para essa gente.

  4. Não. A pressa deve-se à necessidade de mostrar resultados antes das autárquicas. Para isso há que comprometer técnicos na falta de decisões políticas junto da oposição… Só come quem quer

  5. e se fossem os outros?
    quem não está quer ir e quem está não quer sair
    o lugar é bom e uma vez lá dentro, não importa a côr, todos fazem o mesmo.

    • É dose aguentar este marketing tacanho da Cidália e do seu staff púrpura. Vai ser preciso vir o Stephens todos os meses de ora em diante para inebriar o povinho saloio ao voto socialista…

    • Oh coitada da nossa querida amiga Cidália Costa, que já não se aguenta de pé com tanta crítica negativa ao seu belo desempenho… como reformada, certo?!

Deixe uma resposta

Seu endereço de e-mail não será publicado.

  
Please enter an e-mail address

Postar Comentário