CMMG

Depois do que foi afirmado na reunião de câmara de hoje pela Cidália e da informação que obtivemos há pouco, fomos saber o que tinha acontecido ainda em relação ao corte das árvores. No ofício que deu entrada nos serviços da câmara, foi feito o pedido para que fosse feita a poda das árvores. Como é procedimento normal, os serviços técnicos foram consultados e, na terça-feira, emitiram um parecer onde pudemos ler que são contra a poda uma vez que as árvores estavam com boa saúde e nada justificava a intervenção. A câmara tinha dez dias para dar resposta ao ofício, mas o corte foi feito antes de decorrido esse prazo e, como referimos pelo que há pouco lemos, contra o parecer dos técnicos da autarquia. Facilmente se conclui que a poda, como quiseram chamar, foi à revelia da autarquia e contrariamente ao que foi o entendimento dos técnicos. Hoje sabe-se, pelo que pudemos ler, que a actuação foi contrária aos interesses do concelho já que, se não fosse, teria obtido parecer favorável. E voltámos a este assunto porque há pouco recebemos cópia da comunicação que um munícipe fez às autoridades dando conta do que entender ser a existência de crime. Pelo que conseguimos saber, perante a atitude passiva que a Cidália hoje mostrou ter e a evidente falta de vontade de mexer no assunto, o munícipe não quis ficar quieto e, de entre as testemunhas que estão na participação, encontram-se a presidente e o vereador. Parece ser claro que o assunto não vai ficar sem desenvolvimento.


Seguir
( 6 Seguidores )
X

Seguir

E-mail : *

Comentar com conta do Facebook

comentario(s) no Facebook

16 comentários

  1. Parabéns a este ilustre desconhecido Marinhense. É desta fibra, que faz falta à Marinha Grande. O meu mais sincero obrigado.
    Esclareça-se, e se responsabilize quem deva ser responsabilizado.

  2. Se o corte foi feito pela Direção dos Bombeiros, à revelia da Câmara, utilizando até fitas da Proteção Civil sem autorização desta, não tenho dúvidas de que toda a Direção irá sentar o rabinho no banco dos Réus! Tendo em conta que quase todos são do Partido Socialista, está explicada a sensação de impunidade com que actuaram e a inércia da Cidalia! Vergonha!

    7
    1
    • Caro Anónimo. Este texto é o que se pode ler na página da corporação “Foi feito um acordo para o efeito. A Câmara até o poderia fazer mas não com a rapidez que nós pretendíamos. Então fizemos nós para preservar aquilo que se estava a degradar. Os toldos, as pinturas das viaturas, a cerca metálica do muro, etc. Foi de mútuo acordo”. Pelo que hoje ouvimos a presidente afirmar, não houve mutuo acordo ou sequer concordância.

      • Sr Curioso, pelos vistos anda tudo sem saber o que dizer. Entendam-se se faz favor, e expliquem-nos, nós, os municipes exigimos uma explicação, mas exigimos que as culpas sejam imputadas. Vivemos uma crise ambiental, esta crise é mundial, e existe um municipio, que hà quase dois ans perdeu parte do seu tesouro verde, e alguém, penso que será um predestinado, resolve fazer uma poda radical. Justificação que estava a degradar equipamento, é, a meu ver uma justificação muito pouco clara e pouco esclarecedora. Sra Presidente, sabia ou não? Sra Presidente, autorizou, ou não? Sra Presidente, a senhora é cumplice ou não?

      • Resumindo:
        A câmara não faz, fazemos nós!
        Ou seja, vamos todos fazer o que nos apeteça, pois a câmara ou não responde, não faz, ou demora…
        Conclusão:
        A câmara não fod*, nem sai de cima.
        Logo, não serve para nada!
        Nós, como até somos socialistas e é tudo nosso, fazemos o que nos apetece. Os outros que se fod*m!

        … Assim segue feliz e contente, o triste povo da Marinha.
        Os parvos, somos nós!

  3. Era intetessante saber quem é este ilustre marinhense. Deve ser alguém com ambições políticas. Ambições não, fome de pretagonismo.

    2
    1
    • Você é que deve ter culpas no cartório, senão não vinha para aqui lançar suspeição sobre as intenções de quem fez esta queixa. E pior que isso, nem sequer sabe escrever português!

      2
      1
    • Sr Anónimo, não acredito que tal cidadão queira protagonismo como afirma, acredito mais, que seja um municipe, bastante sério e preocupado. São destes que o municipio precisa. Seria verdadeiramente interessante saber quem foi, por eu mesmo, lhe daria um abraço e lhe agradecia a sua sábia e determinante intervenção.

    • Sr Anónimo, isso é o minimo aceitável. Depois deveria ser exigido em nome de todos os municipes, que quem cortou ou “podou”, que rapidamete e sem demora, retirasse o que lá ficou, pois ainda poderá provocar algum incidente, e colocar árvores que tenham um crescimento rápido, e não arbustos. Repito, árvores

  4. Independentemente de respeitar a associação de bombeiros e as suas estruturas, parece-me que foi crime, o que se fez. Que se haja judicialmente contra quem seja culpado. Se a Câmara (executivo) o não fizer que haja um grupo de cidadãos que o faça. Se necessário estou nesse grupo. Já nada devolve a vida às árvores decapitadas, mas que se faça algo que sirva de exemplo.

Deixe uma resposta

Seu endereço de e-mail não será publicado.

  
Please enter an e-mail address

Postar Comentário