BEEleiçõesPCP

No rescaldo das eleições, há um facto interessante a notar. O Bloco elegeu um deputado por Leiria. A sua eleição em muito se deve ao papel que teve enquanto membro do ‘Pinhal é Nosso’. Pode dizer-se que cavalgou à costas dessa associação. Apesar da associação ter sido criada por militante e pessoas afectas ao PCP, o partido nunca lhes deu apoio. Como em praticamente tudo o que acontece no concelho, o partido deixou que as iniciativas que iam tendo lugar, promovidas pela associação, não fossem aproveitadas para dali se retirarem dividendos. Ao contrário, o Bloco percebeu que ali estava um trampolim e o resultado está à vista. E este facto leva-nos ao que é a incapacidade do PCP em fazer as escolhas correctas, muito porque não têm alternativas, mas, cima de tudo, porque não conseguem ver o que têm à frente e aproveitar as oportunidades. Optaram por candidatar alguém que nada dizia ao concelho ou ao distrito em vez de pegarem em alguma massa humana que ainda têm e que poderia ter sido usada para apelar ao voto. Mesmo a opção de colocarem a Isabel como candidata ao Parlamento é a demonstração de que estão sem opções ou sem conseguir ver mais do que o que têm mesmo à sua frente. O Ricardo e o Bloco foram capazes de ver o furo que tinham com um assunto que é delicado para o concelho e conseguiram dar-lhe a notoriedade que de outro modo não teria conseguido. Enquanto uns estão atentos, outros há que dormem à sombra sabe-se lá do quê. Fica claro que a direcção do PCP local tem muito para aprender, começando por aprender qual a porta que dá acesso à rua.


Seguir
( 5 Seguidores )
X

Seguir

E-mail : *

Comentar com conta do Facebook

comentario(s) no Facebook

8 comentários

  1. Em vez da Isabel como candidata ao parlamento, no seu entendimento quem deveria ter sido?
    O Orlando? A Alexandra? O Paulo Tojeira? Pois é csro curioso, as pessoas do PCP não sabem mesmo nada disto!. A geração da Alexandra, pelos aqueles andaram com ela escola, adoram-na, é só sabichões. Treinadores de bancada!

    • Caro Anónimo. Como compreenderá, não conhecemos todos os militantes do PCP a nível concelhio ou distrital para que lhe possamos dar uma resposta. O que nos parece é que a Isabel está a ser o pau para toda a obra e tábua de salvação. Foi mandatária nas europeias e agora candidata. A afirmação é sua, mas parece-nos que as pessoas do PCP saberão menos do que deveriam ou os resultados teriam sido diferentes.

      4
      1
      • Concordo consigo curioso. A Isabel tem sido muito desgastada pelo partido. Quem muitos burros toca, alguns deixa pada trás.

    • Paulo Tojeira, será sempre, sem dúvida, uma óptima opção. Trata-se de alguém muito mal aproveitado pelo seu partido de sempre.

      1
      1
      • O Paulo Tojeira pensa pela cabeça dele, os partidos (principalmente o PCP) não permitem que haja opiniões “desalinhadas” com as Cúpulas de Lisboa.

  2. Não há quem vos entenda…
    Então o OPEN era PCP e agora o PCP não tira dividendos?
    Juizo pá…
    O OPEN é um movimento popular. E se houve aproveitamento político, ao contrário do que sempre fizeram crer, não foi por parte do PCP.
    Disse.

Deixe uma resposta

Seu endereço de e-mail não será publicado.

  
Please enter an e-mail address

Postar Comentário