CMMG

As Festas da Cidade, desde a sua criação, que têm trazido milhares de pessoas ao concelho. Durante um fim-de-semana o parque está cheio e não há lugar onde sequer se pensar em estacionar um carro. Para facilitar a vida aos que aqui vêm, a câmara coloca a TUMG a fazer transportes especiais para que os carros possam ficar estacionados longe do recinto das festas. Mas não o faz a custo zero. Quem quiser servir-se do transporte da TUMG tem que pagar. As muitas associações que podem ali exploram as tasquinhas não têm direito a que os que ali queiram ir o possam fazer sem custos. Pelo contrário, a câmara e a TUMG vão estar a fazer o mesmo tipo de transporte durante os dias de rally só que quem usar os serviços não vai ter que pagar nada! A câmara opta por, uma vez mais, tratar de forma diferente um evento que é promovido por uma única associação ao passo que num evento que agrega todas as associações, que até é pago na integra pela câmara, opta por onerar o transporte com um custo. Claro que pode dizer-se que quem paga o transporte é a associação que organiza o rally, mas será um argumento fraco se considerarmos que mais de metade do custo do evento é suportado pela autarquia. Porquê o tratamento diferenciado? Que leva a que um evento seja colocado mais acima dos todas as outras associações e mesmo o evento que representa todo o concelho?


Seguir
( 11 Seguidores )
X

Seguir

E-mail : *

Comentar com conta do Facebook

comentario(s) no Facebook

12 comentários

  1. Já no passado fim de semana a TUMG transportou gratuitamente os visitantes ao dia aberto da BA5 não só com os próprios autocarros como alugando outro á Rodoviaria do Lis.
    Estes são os critérios discriminatórios usados pela Presidente da Câmara sim pela Cidália que embora não seja administradora da TUMG é ela que dá as ordens

  2. Caro Curioso, disseram-me que a execução do orçamento da câmara está muito baixa, sebe-me dizer em quanto vai?
    Talvez isso explique os chorudos subsídios que são dados ás associações amigas, os gastos da TUMG, os robs, os digitalizadores gigantes etc… e assim se vá subindo uns pontos na percentagem de execução orçamental. O importante é gastar para mostrar boa execução e a oposição aprovar o orçamento para 2020.
    E assim cá se vai gastando no supérfluo e o concelho a definhar.

    • Começa a meter o dedo na ferida…
      Um problema para o futuro, porque é preferível ter dinheiro no banco para gastar em obras e projetos estruturantes, do que gastar o dinheiro mal gasto e esbanjar só para mostrar que se está a executar orçamento.
      Não sei se já repararam, mas as escolas estão a cair, e as que vão para obras levam anos para verem o fim à vista. A zona industrial está ao abandono. As condutas de abastecimento de água e saneamento têm mais de 30 anos e nada se vê no sentido de pensar substituir. As estradas estão todas remendadas. Inúmeros passeios cheiros de buracos. O mercado é uma vergonha, há anos em tendas. A piscina municipal, um tanquezinho de brincar. No outro dia passei junto à biblioteca e há janelas podres e reboco a cair. Algumas até já foram tiradas para não caírem. O café do teatro continua fechado e a deteriorar-se. O antigo mercado está a cair aos bocados. O edifício de vidro que está lá dentro tem vidros partidos, e até há uma porta tapada com um painel de madeira mal amanhada há anos. Podia continuar com o que está a precisar de ser feito, do que já existe, mas vou continuar com aquilo que é preciso construir: piscina, pavilhão multiusos, mercado, creche, escolas, adutora, alargamento da zona industrial, patinodromo, etc, etc, e só para metade disto não chegam os 14 milhões.
      Acordem Alexandra e Aurélio! Acordem!

  3. Uma associação rica! Até dinheiro tem para pagar transportes gratuitos!
    É para isto que a Cidália, a Alexandra e o Aurélio andam a dar o nosso dinheiro?
    Eu pensava que a lógica era dar dinheiro para haver retorno da parte de quem nos visita, como o de pagar o bilhete da TUMG, por exemplo.
    Somos mesmo uns parolos, e estamos todos a ser comidos!
    Com 89.000 paus por ano, as outras associações até pagavam à TUMG grande parte das deslocações para jogos fora. Mais uma forma de subsidiar a TUMG, mas que resolvia uma dor de cabeça a alguns clubes, resolvia.
    TUMG e festas durante e no final do Rallye, tudo à borla, é o que eles gostam!
    Nós?!
    Nós pagamos!

    • ZERO! O Rallye tem o nome de VIDREIRO | Centro de Portugal. O Turismo do Centro a par do Município da MG, são os principais patrocinadores. Sendo que a maior despesa vai para as forças de segurança, enquanto (quase), todos os membros da organização, pagam para lá andar, não só o tempo como os quilómetros que fazem com viaturas próprias. Mas se me pergunta porque razão essas câmaras não apoiam…talvez porque não lhe peçam. E se não pedirem, não o vêm oferecer…é certo e sabido.

      Para seria talvez fazerem uma etapa ern Pombal, para assim dividirem custos.Voltarei a este assunto….

  4. Enquanto existirem associações e clubes que trabalham para a comunidade, para a população durante o ano inteiro e levam migalhas da CMMG e outra que realiza um evento de DOIS DIAS, repito dois dias e leva 89 mil euros, algo vai mal no reino da macacada.

Deixe uma resposta

Seu endereço de e-mail não será publicado.

  
Please enter an e-mail address

Postar Comentário