CMMG

Quem passa pela Rua Machado dos Santos onde antigamente funcionou uma loja de referência no que diz respeito a artigos de decoração, e que senhora presidente bem conhece, ROSA MOSQUETA era o seu nome, e tal como o comércio naquela zona está reduzido a zero, tem que o fazer com bastante cuidado.

Os vidros das montras estão partidos e a porem em risco os transeuntes. Um assunto a que se pede a atenção de quem de direito!


Seguir
( 5 Seguidores )
X

Seguir

E-mail : *

Comentar com conta do Facebook

comentario(s) no Facebook

20 comentários

  1. E de quem de direito? A Câmara? O proprietário? O que aconselha ? Reverter o direito de superficie e propriedade para a Câmara a custo zero? Pagar ao proprietário desleixado uma fortuna pelo espaço? Porque não chamar à atenção da maneira como alguns marinhenses deixam os seus bens ao abandono contribuindo para uma péssima imagem da cidade.?
    Mas se isto é assunto tão importante porque ainda não comentou o que se passou hoje no centro de saude da Marinha Grande?
    Parece me um assunto que interessa mais à Marinha Grande do que este post tão fraquinho.
    Já uma vez denunciei os posts tendenciosos mas nunca pensei que fossem tãããooo Tendenciosos.

  2. Caro Voltaire,
    É claro que não será a câmara a colocar aquele local seguro! Mas competirá à câmara contactar com o(s) proprietário(s), para alterar a situação.
    O que vê de mal no “post”‘
    Quer que façamos a reparação, que que vamos á policia… explique-nos se faz favor.

    Já agora passe por lá e conte-nos!

    Cumprimentos.

    • Caro Vilas
      Está assim tão bem informado para afirmar que os proprietários não foram notificados?
      Vou lhe fazer um desenho para ser mais facil de perceber.
      Na Avenida Herois de Angola em Leiria está repleta de lojas com porta aberta, invadida por clientes, com estacionamentos limitados e caros, com agentes permanentes a faturar para o estado.
      E eu pergunto o que faz a Camara de Leiria para este fenómeno comercial?
      Será que tem serviços municipalizados?
      Será que obriga os comerciantes a ter tudo impecável?
      Ou será que são os próprios comerciantes que fazem pela vida e investem no seu negócio?
      Inverter a situação de responsabilidade das lojas em mau estado para de uma maneira tendenciosa querer atingir os eleitos autárquicos demonstra uma grande falta de imaginação.
      Pergunte primeiro o porquê dos marinhenses caminharem para leiria para fazer compras nesse comércio.
      Demonstre aqui que temos boas lojas e que a ideia chique de ir às compras a Leiria é um comportamento provinciano e de submissão.
      Quer que o comerciante faça o quê ?
      Invista milhares de euros de marcas de prestígio iguais e mais baratas que em Leiria e depois tem a loja às moscas porque o marinhense crítico e cheio de razão está em Leiria a fazer as suas compras.
      Não é a Câmara que tem a solução para o comércio. SOMOS NÓS.
      Agora dizer que é por causa da Câmara que o centro da cidade está como está é arranjar uma boa desculpa e um saco de box para exteriorizar a nossa frustração.
      Diga me lá se não tenho razão?

      • Caro Voltaire,
        Não percebi onde quer chegar. Limitá-mo-nos a denunciar um local que apresenta elevado perigo para quem passe naquele lugar.
        No que ao texto diz respeito, concordo com a sua generalidade, mas leia com atenção porque tem muita contradição!
        Mas uma coisa que também é verdade, quantas mais lojas houver ao contrário do que possa parecer, mais clientes têm!

        Cumprimentos

    • Foi o “centro financeiro” da Marinha Grande. Trabalhavam naquele banco mais de meia centena de trabalhadores.As filas eram imensas…era um enorme frenesim. Hoje, existem lugares de estacionamento para a Igreja…quase sempre vazios.
      Triste!

  3. Por este andar, no centro da cidade vão apenas funcionar a Igreja e o PCP!
    Pensando melhor, se calhar apenas a igreja……

    • Caro Bernardo Beringela

      Tudo aponta nesse sentido, até o famoso restaurante “CRISTAL” fechou depois de ter conhecido nos últimos tempos diversos proprietários. Enquanto isso, o PCP vai definhando… e a Igreja vê partir (para a Batalha), o seu pároco. Não se vislumbra também vida fácil para a Igreja.

  4. Vilas, só um esclarecimento: definhado andas tu.

    O PCP terminou mais uma assembleia que encheu por completo o Centro de Trabalho, entre militantes do PCP, activistas da CDU e membros de associações, colectividades e outras organizações do Concelho da Marinha Grande.e discutiu diversas propostas de acção política.
    Os participantes num fervilhar de militância provaram a existência dum PCP mais organizado e interventivo e mais forte, e que assume como principais direções e objetivos de trabalho:
    •Que um maior número de camaradas assuma uma tarefa política regular;
    •Rejuvenescer organismos, elevar a militância, alargar a responsabilização de quadros;
    •Alargar e aumentar o recrutamento para o Partido, em particular, a partir da acção de contactos, em curso, com os trabalhadores do concelho;
    •Reforçar a organização e intervenção do Partido junto da classe operária e dos trabalhadores, nas empresas e locais de trabalho;
    •Dinamizar a intervenção própria das organizações locais;
    •Reforçar a organização dos militantes reformados e pensionistas;
    •Alargar o trabalho unitário e acção dos comunistas no movimento associativo popular;
    •Aprofundar o trabalho junto da juventude e o reforço da JCP.
    •Desenvolver o trabalho junto dos micro, pequenos e médios empresários (MPMEs).
    •Reforçar e consolidar na Marinha Grande, a intervenção e projecto autárquico do PCP/CDU.
    Desta forma fica demonstrado o fortalecimento do PCP, dos seus organismos de direcção e o reforço da militância, como forma de romper com a política de direita e construir uma alternativa política patriótica e de esquerda.
    Só não vê quem não quer!
    AVANTE

    • Caro Pioneiro Vermelho/Jorge Mario Bergoglio
      Não somos nós quem o diz, é uma constatação confirmada pelos números. Essa reunião confirma o que dissemos, pois falou-se em reforçar, dinamizar, alargar, rejuvenescer etc., etc.

      Cumprimentos

  5. O Vilas, com o seu habitual voluntarismo, brinda-nos com mais um assunto onde mistura responsabilidades públicas e privadas. Percebe-se que o Vilas na sua imensa sabedoria já teria resolvido este problema. O que interessa é a vontade de querer fazer. Que importância tem o Estado de Direito quando o Vilas tem sempre soluções, que diga-se em abono da verdade, são sempre fáceis de implementar . Basta fazer não importa quem paga ou a quem pedir contas.

  6. O problema do seu comentário, caro Vilas, é referir a Sra Presidente e o estabelecimento Rosa Mosqueta na mesma frase insinuando uma relação de causalidade. O seu objectivo não é denunciar é insinuar. Nem sequer é preocupação com a segurança dos transeuntes. Se assim fosse teria feito a denúncia quando o estabelecimento esteve de portas abertas, durante bastante tempo, com a montra naquele estado.

    • Caro Cristal
      Acredite que uma casualidade, não fazemos ideia se há ou não qualquer ligação. Apenas foi referido o nome da Srª presidente pelo simples facto de ser uma loja quase exclusivamente visitadas pelas senhoras.
      Quanto ao vidro aconselho que vejam com os próprios, pois não muito longe do CT do PCP. Podia estar partido ainda quando a loja estava aberta, mas agora está…separado! Não acreditam…vejam!

      Cumprimentos

  7. Vilas,
    Porque não te calas e vais ver as figuras de um livro de banda desenhada!
    Até pode ser daqueles que têm umas figuras para pintar.
    Ocupa-te e não fiques estressado.
    Cumprimentos

  8. Estimado Cristal,
    Está equivocado, o problema do comentário do Vilas, não é o que refere! Como sabe o Vilas é um “dinossauro” da crítica, daqueles peludinhos, com orelhinhas simpáticas e uns casquinhos atrevidos……..

Deixe uma resposta

Seu endereço de e-mail não será publicado.

  
Please enter an e-mail address

Postar Comentário