Centro SaudeCMMG

Sobre a questão das obras no centro de saúde é interessante ver a forma como a autarquia lida com o assunto. No início da semana houve problema com as obras e todos, médicos, enfermeiros, funcionários e utentes foram para a rua por ser impossível estar lá dentro. Enquanto isso os médicos aconselhavam os utentes a reclamar por escrito para que não fossem apenas eles a exigir melhores condições para atender os doentes. Nesse dia a Cidália fez sair um comunicado onde dizia que “Hoje mesmo voltei a manifestar pelo telefone à Srª Presidente da ARS Centro as nossas preocupações tendo ainda partilhado as mesmas com o deputado eleito pelo distrito de Leiria e membro da Comissão Parlamentar de Saúde, António Sales. O que pedi não foi mais do que aquilo que já anteriormente havia reclamado: uma solução urgente para este problema, o que para mim passará pela instalação de contentores que acolham os serviços provisoriamente“. Depois de lermos aquele comunicado ficámos com a ideia de que iria bater o pé para que não abdicaria daquilo que ela achava ser a solução, os contentores. Ontem fez sair um novo comunicado onde se viu que não fez nada daquilo que disse. Referiu que “desde o início da obra, a Câmara, através de uma equipa de fiscalização, tem acompanhado regularmente os trabalhos, em conjunto com a ARS Centro e a construtora. (…) Ficou estabelecido hoje que passa igualmente a integrar a equipa de acompanhamento das obras um profissional do centro de saúde que vá articulando com todos as necessidades quer dos serviços quer da obra, de modo a minimizar o impacto que as obras podem ter. Para além disso, ficaram estabelecidas regras de trabalho mais rigorosas e os horários de mais ruído estão a ser adequados de forma a proteger os utentes do nosso Centro de Saúde”. Ou seja, aquilo para para a presidente era a solução, dois dias depois deixou de o ser. A ideia dos contentores saiu de onde? Porque foi abandonada? Tinha pernas para andar ou foi apenas algo que saiu da boca para fora? Não deixa de ser triste que aceite que “após estas modificações, os problemas serão minimizados” e não que fiquem sanados. Uma vez mais, pegando nas palavras da presidente, se “desde o início da obra, a Câmara, através de uma equipa de fiscalização, tem acompanhado regularmente os trabalhos” como é que se chega ao ponto a que se chegou? A câmara paga a obra, mas está visto que só faz isso!


Seguir
( 1 Seguidores )
X

Seguir

E-mail : *

Comentar com conta do Facebook

comentario(s) no Facebook

5 comentários

  1. Este comunicado do PS da Marinha Grande revela a pouca ação da Presidente da Câmara para a criação das condições de funcionamento do Centro de Saúde.
    Nem uma palavra sobre a ação da Senhora do Naprom neste assunto e que obriga o PS local a demarcar-se da Presidente da Câmara.
    “NOTA – OBRAS DO CENTRO SAÚDE
    Enviada à/ao/aos
    Exma. Senhora Ministra da Saúde
    Exmo. Senhor Secretário de Estado da Saúde
    Exma. Senhora e Senhores Deputados eleitos pelo PS / Leiria
    O Partido Socialista da Marinha Grande tem acompanhado com enorme preocupação as dificuldades em que estão a trabalhar os médicos, enfermeiros, técnicos administrativos e auxiliares, no Centro de Saúde da Marinha Grande, no decorrer das obras de requalificação daquele espaço.

    Lamentamos que, tendo a Câmara Municipal feito tudo quanto estava ao seu alcance para assegurar que a requalificação do Centro de Saúde seria uma realidade, a Entidade competente pela gestão do seu funcionamento, e bem como pela segurança e bem-estar de profissionais e utentes, não tenha até ao momento acautelado as medidas necessárias para o efeito.
    É urgente que a ARS Centro e o ACES Pinhal Litoral tomem medidas para assegurar as condições de segurança, bem-estar e conforto não apenas para os profissionais como para os Utentes do Centro de Saúde da Marinha Grande.
    Marinha Grande, 11 julho 2019”

  2. Em tempos idos… (já não sou nada nova).. Foi necessário fazer obras no Posto Médico, como assim se chamava junto do jardim, e provisoriamente os serviços foram transferidos para o edifício onde funcionou o Externato Dr. Afonso Lopes Vieira… Alguém se lembra? Fui lá várias vezes enquanto duraram as obras. Também me lembro que cheguei a ir a consultas de pediatria com minha filha a umas instalações que ficam junto à Câmara por causa de obras também Depois de ler o que se passa com barulhos pós e afins, pergunto – me como é possível não se encontrar um espaço para onde se transferissem os serviços enquanto decorrem as obras. Lembro quechamado hoje Segurança Social é enorme e tem muitas salas fechadas a servir de arrumações de documentos obsoletos, antiquíssimos (disseram-me) estando subaproveitado, não quero alvitrar que poderia servir para o fim que se necessita neste momento, pois não tem parque de estacionamento…. Os tempos são outros, há muito mais gente e muito mais carros., mas que é pena aquele edifício tão grande e que teve obras por várias vezes, sem que todas as instalações estejam aproveitadas, lá isso é…..

  3. Ah ah ah! Vêm agora com o assunto porque a Etelvina da bancada da CDU levantou a questão na Ass Municipal e a Alexandra levantou a questão na reunião de Câmara!!!! Sentiram-se na obrigação de dizerem alguma coisinha, sobretudo depois da Cidalia ter ficado histérica na Ass Municipal e quase ter batido na Etelvina! Vão ver a gravação! É um luxo!

    1
    3

Deixe uma resposta

Seu endereço de e-mail não será publicado.

  
Please enter an e-mail address

Postar Comentário