CMMG

Como é do conhecimento geral e mais concretamente daquelas que estão à frente das coletividades, clubes e associações, para se candidatarem aos apoios da câmara, têm de impreterivelmente de entregar o pedido devidamente fundamentado e acompanhado de um rol de documentos (dos quais falta sempre… um!), até ao mês de setembro, para a câmara incluir no orçamento do ano seguinte.

Ora, o que sempre acontece, como sempre temos visto, as verbas são atribuídas (quase), sempre, arriscávamos mesmo a dizer 90% das vezes, a poucos dias dos eventos.

A pergunta tem que ser feita: Como é possível preparar-se seja o que for sem saber qual a verba que poderão dispor?

A resposta mais plausível é porque é assim que a câmara e a senhora Célia trabalham. Só quando perto dos eventos é que se lembram… de reservar, adjudicar, lançar a concurso etc.

Deviam agradecer todos os dias ás associações, clubes e associações, fazerem o que fazem pelo desporto, cultura e apoio social substituindo-se à câmara nas suas obrigações.

É triste ver como são organizados os (poucos), eventos na M. G., sempre em “cima do joelho”. Para além do dinheiro que se podia poupar, caso os concursos fossem efectuados atempadamente!

O que se passou hoje na reunião do executivo, é sintomático. E depois as verbas atribuídas são quase sempre irrisórias, e sem fundamento… e dizem que passa pela comissão! Comissão? Vão ver o último contributo e dão um “poucochinho” mais! Tarde e a más horas!   

PS1: 2ª vez – quando que a senhora substitui as garrafas de água de plástico por vidro! É inconcebível que na terra do vidro e quando se está em plena “guerra ao plástico”, se continue a dar uma triste imagem de ver 10 garrafas de plástico à frente de quem comanda (?) os destinos da cidade.

PS2: Como é possível uma associação (quase centenária), comemorar 96 anos de idade – SIM, e a câmara fazer-se representar por uma figura de terceiro plano… no caso o TESTA. O Aurélio e a esposa também marcaram presença. Num momento em que o Império tem graves problemas (financeiros e de sucessão, entre outros), seria do mais elementar acto de justiça e de apoio, a autarquia fazer-se representar pela sua presidente e pela vereadora do desporto e cultura. Se a senhora não quer trocar o conforto da família a um domingo, por uma sala com perto de 200 comensais (isto de nos misturarem com o povo é cá uma chatice, o povo nem sabe apreciar as minhas toillets”), deveria ter pensado nisso na altura da candidatura, certo? Ahhh! Pois, o almoço não era arroz de marisco com a agradável companhia de um qualquer ministro ou secretário de estado…!


Seguir
( 3 Seguidores )
X

Seguir

E-mail : *

Comentar com conta do Facebook

comentario(s) no Facebook

7 comentários

  1. Parabéns pelo texto, muito real. Falta apenas referir o sorriso de desprezo, a incapacidade de planear, a vergonha de discurso, que a Sra Presidente e a sua vereadora, utiliza no debate, na resolução de problemas do concelho, a reunião camarária de ontem foi um exemplo.

    1
    1
  2. E foram estas senhoras… professoras!!!
    É aterrador, perceber da sua paupérrima capacidade intelectual!
    Não só deveriam sair do lugar onde erradamente foram colocadas, como não lhes deveria ser permitido estar numa escola. Não reconheço capacidade para qualquer uma das funções!

    • O problema é que votaram nelas, ou por outra, votaram no PS !
      Esquecem-se que para governar as autarquias requere-se mais competência e menos politica!
      Já não há pachorra para tanta incompetência…!

  3. Oh Vilas, tanta festa, tanta coletividade… até quem gosta de fartura se farta! Haja assunto mais interessante para nos entreter…

Deixe uma resposta

Seu endereço de e-mail não será publicado.

  
Please enter an e-mail address

Postar Comentário