CMMG

Hoje deveria ter sido analisado o ‘inquérito’ de que falámos há dias sobre o que aconteceu há um ano com a questão das águas impróprias. Deveria ter sido porque não foi! A Cidália retirou o assunto da ordem de trabalhos. Não espanta que assim fosse. Aos vereadores da oposição não foi dado a conhecer o conteúdo do inquérito que terá sido feito. Nada disso é anormal. Não serem enviados todos os documentos que deveriam ser sempre enviados é uma prática já antiga e não é um motivo para que se desconfie de nada. O que é estranho, muito estranho, é o facto de o inquérito ser, pelos vistos, confidencial. Querem esconder alguma coisa ao ponto de classificarem o que foi feito como inacessível ao comum dos mortais. Não há qualquer motivo para que isso aconteça a não ser o facto de haver algo que chamusque politicamente a presidente. Ela deverá ter-se visto ao espelho no que está no inquérito e nada mais simples do que classificar aquele inquérito como estando fora dos limites dos olhos dos munícipes. Atingiu-se assim o cúmulo da falta de transparência numa autarquia. Que matéria existe naquele inquérito que seja tão incomodativa? Terá a ordem saído da sua sala e agora não quer que se saiba isso nem que isso a possa magoar politicamente?


Seguir
( 1 Seguidores )
X

Seguir

E-mail : *

Comentar com conta do Facebook

comentario(s) no Facebook

3 comentários

  1. Prática antiga na Câmara da Marinha Grande , penso que tanto a Sra. Presidente , como as outras forças partidárias se deviam pronunciar , o PCP , por saber o que se passa , e os outros , por não existirem , ou à dúvidas

    • Relatório escondido, porque alguém poderia ficar chamuscado. Vereação da oposição, tem de tornar o relatório transparente a todo o município e exigir que se saiba quem fez o relatório. Importa saber se tudo fica igual ou alguém foi “castigado”? Não se brinca com a saúde pública.

Deixe uma resposta

Seu endereço de e-mail não será publicado.

  
Please enter an e-mail address

Postar Comentário