CMMG

Temos relato de alguns munícipes que recebem em suas casas a agenda cultural do concelho. Temos relato de muitos mais que não a recebem. E ficamos sem perceber qual o critério que é usado para que uns recebam e outros não. Serão uns menos importantes que outros para terem o privilégio de receberem em suas casas aquilo que outros têm que adivinhar que existe? Em muitos concelhos não é feita a distinção entre munícipes de primeira e todos os outros. Mas CA, na Marinha, é assim. Claro que, bem vistas as coisas, se temos uma Casa da Cultura que serve apenas para alguns, ficaria mal que a agenda cultural fosse distribuída a todos os munícipes. Imaginem o que era se todos pudessem ter conhecimento do que aqui se faz e quisessem ir ocupar os parcos 250 lugares que podem ser ocupados. E por falar em serem ocupados, porque é que até hoje nenhum eleito pediu as contas da exploração da Casa da Cultura, de cada um dos espectáculos para que todos ficássemos a saber quanto rende aquele local ou quantos são os lugares vendidos em cada um dos espectáculos?


Seguir
( 1 Seguidores )
X

Seguir

E-mail : *

Comentar com conta do Facebook

comentario(s) no Facebook

5 comentários

  1. A casa da cultura da Marinha Grande e a agenda cultural têm acessos comuns. Tudo o que tem “cultura” no apelido só é destinado à classe mais elitista deste município, todo o resto são munícipes boçais.

  2. Relativo ao facto de os espectáculos da Casa Cultura serem só para as alguns é assim, se for com artistas famosos os bilhetes não chegam, mas se for com artistas menos famosos mas óptimos sobram muitos bilhetes,

Deixe uma resposta

Seu endereço de e-mail não será publicado.

  
Please enter an e-mail address

Postar Comentário