CMMG

Estamos a poucas semanas de começarem as festas da cidade. Os quatro dias estão quase aí e com eles virão artistas locais, dizem, e de fora. Ainda não há publicidade em lado algum, mas isso também não é novidade. O que não deixa de ser estranho é que a câmara decidiu abrir as portas da Casa da Cultura, que agora parecem querer que se volte a chamar Teatro Stephens, no dia anterior ao do início das festas para uma ‘festa’ íntima com um cantor que costuma atrair muita gente. No dia anterior ao da abertura das festas vão fazer um espectáculo apenas para as 250 pessoas que cabem na Casa da Cultura quando poderiam ter aproveitado para dar a oportunidade a todos de o poderem ver e ouvir num dos palcos que vai estar no recinto das festas. Aliás, poderiam até nem inclui-lo no cartaz das festas, mas aproveitar a estrutura que vai estar já montada para fazerem aí o espectáculo. Se tem sido usado o argumento de que não pode ser usado o PME para este tipo de espectáculos porque não tem condições, qual a desculpa para não se usar um dos palcos que vai estar mesmo atrás da Casa da Cultura? Optam por manter a lógica dos concertos íntimos e gastar um monte de dinheiro para que apenas alguns possam ver e ouvir o artista. Vá-se-lá entender a lógica que seguem. Uma coisa é certa, não se compreende o motivo de ter um espectáculo íntimo no dia anterior ao da abertura das festas da cidade quando poderiam ter aproveitado toda a estrutura para permitir que todos tivessem possibilidade de assistir. É que nem os três mil e setecentos euros que vão arrecadar – que curiosamente nunca ninguém quis saber qual o valor de bilheteira para se perceber quantos são os bilhetes efectivamente vendidos – que vão fazer a câmara mais rica.


Seguir
( 5 Seguidores )
X

Seguir

E-mail : *

Comentar com conta do Facebook

comentario(s) no Facebook

14 comentários

  1. Deixem-se de ser ignorantes. Vocês são pessoas tristes, amarguradas e que acham que o resto das pessoas caem nas vossas mentiras. Quem é que acredita que o Miguel Araújo leva o mesmo valor num espetáculo destes comparativamente a cantar para 15 ou 20 mil pessoas? Fazem ideia da diferença de preços? Só podem mesmo não ter ideia de nada.

    • Caro Anónimo. Pela sua lógica, se for para 10 pessoas que cante fá-lo-á quase à borla! Óptimo, temos que o contratar para uma festa de anos!

    • Afinal qual é a diferença de preços? Quanto é que o Miguel Araújo vem receber e quanto receberia se fosse num palco das festas? Será que um cantor não prefere ser ouvido por uma multidão, que pode depois ir comprar os seus discos, do que para 250 gatos pingados?

    • Ignorante, é achar que pagar o dobro ou triplo daquilo que se faz em bilheteira, é boa opção.
      Deverás fazer parte do grupo restrito, com, sempre acesso aos poucos bilhetes…
      Bom espetáculo!

  2. E foi a Cidália buscar dois muchachos que iam revolucionar isto tudo. O especialista em propaganda, publicidade e comunicação que vinha revolucionar a comunicação da câmara (dispensado de Leiria pelo Castro e repescado pela Cidália para aqui), e o filho pródigo, recambiado daqui para Leiria alegadamente por incompetência e que a Cidália foi buscar outra vez. O Piscinas também era um especialista em piscinas que vinha resolver o imbróglio da Piscina e ajudar a fazer o regulamento para o apoio ao desporto. Já sabemos como é que terminou essa história. Nem projeto de piscina nem regulamento. Mas adiante.
    Queriam inovar nestas festas e fazer diferente? Conseguiram acrescentar um dia e meio às festas e o cartaz mais fraco de todas elas, na minha opinião. Pela reunião de hoje, tendo em conta as palavras da Célia, até ainda há stands vazios.
    Aaaaahhhhh (aquele aaaaaahhhh como o Ricardo Araújo faz) mas não haviam outros grupos. Foram os melhorzinhos que conseguimos. Já estava tudo contratado para os outros lados. Este ano temos eleições e outros adiantaram-se. E está tudo mais caro e mais rapado.
    Então mas aqui na câmara da Marinha não sabem em que anos há eleições?
    Tinham começado a trabalhar mais cedo.
    Em 2017 tivemos as autárquicas e arranjaram um excelente cartaz.
    Aaaaaahhhhhh mas nessa altura estava cá o Paulo e a Tereza e agora está cá a Cidália e a Célia…
    Trabalharam tão cedo tão cedo que só hoje foi autorizada a contratação da empresa que vai fazer as festas e contratar os grupos, empresa que, no mínimo, foi hoje tratada na reunião da câmara com “algum” preconceito: ao que parece os narizes torceram porque a empresa era BRASILEIRA e era o primeiro serviço fazia em Portugal… e digo eu: se falhar alguma coisa não será certamente por isto.
    Convenhamos que ter pouco mais de duas semanas para organizar um evento desta envergadura não deve ser nada fácil. Mas se alguma coisa correr mal, já sabemos que o mais certo é virem dizer que a culpa vai ser da empresa.
    Quanto ao Miguel Araújo, o que eu acho é que é um desperdício de dinheiro estar a agendar um espetáculo na véspera de umas festas que vão apresentar vários concertos gratuitos nos dias seguintes, e numa noite em que centenas de pessoas das coletividades vão andar a tratar de organizar tudo para as festas.
    E porque não, em vez ir buscar Expensive Soul para as festas e Miguel Araújo para o teatro, não fizeram ao contrário, e faziam o concerto do teatro mais para o final do mês de junho (já poupavam o dinheiro de menos um concerto). Muita gente pensa que mesmo custando mais, o Miguel Araújo ia trazer muito mais público às festas.
    No ano passado estiveram cá dois casais amigos da minha mulher, com três filhos adolescentes que apesar de estarem em período de exames, vieram com os pais na sexta e foram embora no domingo depois do concerto, aproveitando as tardes para estudar. Dois grandes amigos meus também vieram com a família do Porto e de Coimbra e ficaram de sábado para domingo. No ano anterior estiveram cá todos de sábado para domingo. Este ano, talvez venham para ver o Matias Damásio, mas ainda com muitas dúvidas.
    Não consigo classificar isto. O que é que querem mais que se diga? Que estão a trabalhar bem (como dizia a presidente hoje na reunião de câmara)?

      • è mau demais não é? Se são ou não, não sei, mas é o que se vê. Costuma dizer-se que factos são factos e falam por si, e nada disto parece muito normal. E este tipo de factos são mais que muitos 🙁

  3. Expliquem me lá muito bem explicadinho porque é que o som do Pavilhão de exposições não serve para o Miguel Araújo?

  4. Porque se for no Pavilhão de Exposições deixa de ser uma coisinha pequenina como a Cidália e a Celia bem gostam. Elas não pensam grande, ou ainda não perceberam isso? É tudo micro…

Deixe uma resposta

Seu endereço de e-mail não será publicado.

  
Please enter an e-mail address

Postar Comentário