IsabelPCP

Desde há algum tempo que se percebeu que a Alexandra está a prazo na câmara. A sua candidatura surgiu por ausência de elementos no seio do PCP que, com credibilidade, pudessem encabeçar a lista e porque tinha feito parte do executivo anterior. Rapidamente se percebeu que a sua postura, mais pragmática, não é consonante com o que tem sido a gestão que tem sido feita pela direcção do PCP. Não é crível que o partido vá apostar nela nas próximas eleições, que não são daqui a tanto tempo quanto se poderia pensar. Estamos a meio deste mandato o que faz com que os partidos, em especial os que não têm poder, tenham que começar a pensar na estratégia que vão seguir. Da parte do PCP parece ser clara a aposta que estão a fazer na Isabel. Com a direcção da Junta e sem que tenha estado a ter um mandato atribulado, sem que se note, é certo, a sua presença no dia-a-dia dos fregueses, parece ser a aposta segura do partido. Aliás, o termo ‘segura’ poderá não ser o mais correcto porque o mais ajustado talvez deva ser ‘única’. E tanto é assim que se tem visto que o partido lhe está a estender o tapete vermelho que ela própria vai ajudando a desenrolar. É nas intervenções públicas em comemorações, é nas intervenções na AM e agora até na atribuição da função de mandatária para as Europeias. Vão mesmo mais além ao não quererem que lhe sejam atribuídas mais competências onde possa ficar a nu alguma fragilidade que tenha. Tudo está a ser feito para que a Isabel possa chegar às eleições sem mácula e pronta a dar a cara numa corrida à câmara. Sem que se ponha em causa a sua competência à frente da Junta, apesar de não ter ainda conseguido avançar com as obras na sede da Junta e de poder haver alguns reparos que podem ser feitos à forma como atribui apoios a tudo e mais alguma coisa sem que haja um regulamento que o preveja, a dúvida que temos é até que ponto terá condições para poder estar à frente de uma câmara que gere milhões de euros. Claro que se for por comparação com quem actualmente gere a autarquia a resposta poderá ser a de que não há muita diferença, mas será a aposta que o partido parece estar a fazer a mais adequada ou é mesmo a que surge por não terem alternativa? Percebe-se cada vez mais que o partido está esvaziado de pessoas com capacidade para poder encabeçar uma lista ganhadora, e acima de tudo competente, à câmara, facto que é patente quando se vê que a própria direcção do partido parece estar inerte perante tudo o que se passa no concelho.


Seguir
( 2 Seguidores )
X

Seguir

E-mail : *

Comentar com conta do Facebook

comentario(s) no Facebook

8 comentários

  1. Parece-me que a junta é o máximo que ela consegue. Uma coisa simples sem grandes atribuições. Mas tem razão, comparado com o que temos agora, tudo são boas soluções. O que é pena

    • Se é fácil gerir a Junta porque é que o meu amigo não se candidata , depois já deve ter as soluções mais eficazes ou até quem sabe aceitar as que vêm, ou até mesmo outras.

      1
      1
  2. Pergunto qual o trabalho que existe na Junta de Freguesia da Marinha Grande? Papelada corrente e pouco mais. Trabalho de fundo não existe, isto se comparado com a junta da Vieira. Será boa candidata? Liga-se com as colectividades e pouco mais. E é assim, apenas por essa ligação que se vê um bom canditato à CMMG? Se assim for, é porque existe um enorme vazio nos recursos humano do partido em causa. Costuma-se dizer, não digas e não faças nada, porque assim nada te podem apontar.

    • Meu caro
      Parece que anda um pouco atento ao trabalho desempenhado pela JFMG.
      Pois se calhar as coisas não são bem como se fala “no diz que diz” porque na verdade a junta não faz mais porque muitas das coisas não estão sobre a alçada da mesma.
      Pois se calhar e se a população estiver mais atenta vê o que a junta faz e a capacidade da mesma. Meu amigo sem ovos não se pode fazer omeletes.

  3. As nossas posições politicas e quando se trata de pessoas, nada tem a ver com com simpatias ou antipatias. Sobre a Isabel, nada de pessoal me move contra esta senhora e sinceramente também não tenho nada contra a sua condução da Junta de freguesia ( tendo em conta o papel secundário duma junta na sede do Concelho, onde não se sabe onde começam a acabam as suas responsabilidades). A única dúvida que tenho refere-se às obras no edifício e jardim num edifício emblemático, que ficará para sempre desfigurado. Especialmente quando no património da freguesia existem edifícios e espaços, literalmente às moscas (e já agora também aos ratos). Mas como parece que está tudo decidido, paciência!
    Quanto à possibilidade de A Isabel estar a ser lançada para outros voos, só deixo um conselho aos dirigentes do PCP. Para além de lerem (e espero que o façam) os clássicos do Marxismo-Leninismo, sugeria também que lessem um outro clássico: O principio de Peter.

  4. A Alexandra? Postura pragmática, mas essencialmente, extraordinariamente demagógica… teria ganho mais com maior ponderação e outro tipo de postura. Desiludiu-me muito, já desde o primeiro mandato.
    Mas tem razão, entre esta espécie de presidente e a Isabel, não tenho duvida que a Isabel faria melhor (e a outra sabe). Pelo menos é uma pessoa ponderada, razoável e com os pés na terra. E sabe ouvir, e aceita sugestões. Experiência autárquica tem. É verdade que gerir uma câmara não é a mesma coisa que gerir a junta, mas uma boa equipa, e um staff de gabinete bem preparado, poderia fazer muito melhor do que o que tem sido feito nos último anos. Mas estamos a falar de PCP… e isso nunca vai acontecer, infelizmente. Ainda não perceberam que o mundo tem vindo a mudar e que têm de acompanhar a mudança.

Deixe uma resposta

Seu endereço de e-mail não será publicado.

  
Please enter an e-mail address

Postar Comentário