CMMG

Termina hoje a história do mercado no Atrium. Não mais se vai ouvir falar no assunto e os que defendem a sua construção naquele local não vão mais poder pensar que isso alguma vez possa vir a acontecer. A assinatura do protocolo para instalação das conservatórias naquele lugar põe um fim na esperança de muitos de verem ali nascer aquilo para que aquele espaço foi construído. No discurso a Cidália manteve-se fiel ao seu registo de subserviência ao poder central. A câmara usa o dinheiro que tem no banco para financiar o Estado em vez de bater o pé e exigir que não tenham que ser os cofres da câmara, o dinheiro dos munícipes, a ir à frente para suprir a incapacidade do Estado, melhor dizendo, o Governo em fazer aquilo que deve. É provável que seja um dos argumentos para que se tenha tanto dinheiro parado no banco para assim poderem funcionar como banco para o Governo. Naturalmente que a decisão de fazer o acordo é positiva, porque se trata de uma obra necessária, mas melhor seria se não se ficasse com a sensação de que o Governo apenas ouve o que aqui na terra se diz quando se lhe acena com dinheiro. Não deixou de ser interessante ouvir-se a presidente a piscar o olho para a instalação aqui no concelho de uma Loja do Cidadão, algo que nos anteriores mandatos, dos quais fez parte, não quiseram apesar de terem tido oportunidade de o fazer. Por seu lado, as que vieram de Lisboa chamaram a atenção para a necessidade de os trabalhadores estarem satisfeitos. Curiosamente os que trabalham nos serviços de registos nem sequer foram informados do que o IRN e câmara estiveram a preparar, sendo claro que a mudança de instalações para aquele local seja algo que agrade a todos os funcionários. Seja como for, foi colocado um ponto final na questão do Atrium e do mercado naquele local.


Seguir
( 1 Seguidores )
X

Seguir

E-mail : *

Comentar com conta do Facebook

comentario(s) no Facebook

16 comentários

  1. Tanta cerimónia, tanto show-off, tanto dinheiro gasto, e tempo perdido… Para uma assinatura!?
    É muita falta do que fazer!
    Vão a um sítio, que eu cá sei…

  2. Que tristeza. Tanta pompa e circunstância para assinar um papel que já estava assinado pelo Paulo Vicente…Ganha Vergonha Cidália

  3. Acabámos de assistir e participar na “cerimónia” de assinatura de um contrato de arrendamento.
    Sinceramente pensei que estava a assistir a uma cerimónia do tempo da velha senhora do idos tempos da década de 60/70, com direito a oferta de prendas aos Senhores/Senhoras vindos de Lisboa. Por uns instantes pensei que a Senhora Professora teria mandado vir os seus alunos de batinha branca e bandeirinha nacional a acenar às individualidades vindas da capital, neste pormenor foram substituídas pelos militantes do PS arregimentados para o efeito, à semelhança do antigamente em desagravo a quem nos (des)governa.
    Isto tudo tem um cheiro a mofo que tresanda.
    Tenham um pouco de decoro, por favor.
    Estou envergonhada ao que assisti e em que involuntariamente participei.

    • Paulo Vicente volta, corre com esta gente, alguma no passado que te acompanharam, não sei como. Corre com o de Leiria que só está a fazer carreira política, aumentar currículo, corre com o pseudo chefe gabinete que só quer ser futuro presidente de câmara, que Deus nos ajude a que isso não aconteça, e vem alavancar este município que vive um verdadeiro marasmo.

      1
      1
  4. Resolvido? Tudo tratado no anterior mandato. Neste, foi só assinar! E vejam só o tempão que levou… Incompetência atroz! Isto já era para estar tratado há mais de 2 anos.

  5. Aqui não sabemos nem, nunca saberemos, se o pau nasceu torto, sei é penso que sei, que no sítio instalado o mercado, não tinha melhor rede viária, antes pelo contrário só iria gerar engarrafamentos, agora pensem bem ainda antes de fazer o novo mercado, erros já chegam

  6. Como se podem gabar do que no passado foi tratado. Para quê este glamour de festa para uma assinatura. Subserviência ao mais alto nível. Sra professora assim não.

  7. Apetece tanto dar-vos porrada.
    INÚTEIS!!! INÚTEIS!!! INÚTEIS!!!
    Vocês gozam com a inteligência das pessoas.
    VÃO PARA O C……!

    1
    1
  8. Para que não restem dúvidas sobre este assunto, na ata da reunião de Câmara de 21 de Janeiro de 2016, disponível no site da CMMG, está registado o seguinte em que quase todos os membros do executivo se pronunciam sobre o assunto excepto a então vereadora Cidália Maria de Oliveira Rosa Ferreira, hoje Presidente (esclarecedora esta posição desta vereadora)
    Aos vinte e um dias do mês de janeiro de dois mil e dezasseis, no Salão Nobre dos Paços do Concelho, reuniu a Câmara Municipal da Marinha Grande, sob a presidência do Presidente, Paulo Jorge Campos Vicente, com a presença dos seguintes Senhores Vereadores:
    •Alexandra Filipa de Araújo Seara Dengucho;
    •Aurélio Pedro Monteiro Ferreira;
    •Carlos Alberto Fernandes Logrado;
    •Cidália Maria de Oliveira Rosa Ferreira;
    •Dulce Lopes Neves;
    •Vítor Manuel Fernandes Pereira.
    …………………………
    12 -ARRENDAMENTO PARA INSTALAÇÃO DE SERVIÇOS PÚBLICOS.
    Sobre este assunto registaram-se as seguintes intervenções:
    O Sr. Vereador Carlos Logrado disse que não poderá votar a favor porque, na sua opinião, este arrendamento inviabiliza a utilização do mercado do ATRIUM, e tendo em conta a área a utilizar até considera que é um arrendamento muito barato. A deslocação dos serviços é boa, mas considera que havia outras soluções, nomeadamente colocando-os no 1.º andar. Poderão ser questionadas as acessibilidades, mas os elevadores existentes, de grandes dimensões, permitem bons acessos a pessoas com dificuldades. Considera que a zona do r/c é a zona nobre do edifício e esta utilização “mata” toda e qualquer utilização futura. Por isso pede que ainda se tente negociar a utilização do 1.º andar, que tem condições ótimas para este fim, embora saiba que as negociações se encontram numa fase adiantada. Na condição atual, não votará a favor.
    O Sr. Vereador Vítor Pereira disse que acha estranha esta posição do Sr. Vereador Carlos Logrado, numa altura em que as coisas estão praticamente consumadas e quando o assunto foi aqui falado diversas vezes, não só no anterior mandato como neste. Vai votar favoravelmente porque lhe parece que o resto do espaço não ficará inviabilizado para qualquer outra atividade. É uma boa solução para a Câmara e para os munícipes, com um espaço melhor e melhores serviços, e que vai também dinamizar aquela zona da Marinha Grande, porque não é só o centro tradicional que tem problemas de desertificação. Trata-se de uma solução que vai ajudar na revitalização do espaço e da zona e os valores são bons.
    A Sr.ª Vereadora Alexandra Dengucho disse que também vai votar favoravelmente porque vê muitas mais vantagens do que desvantagens. Vantagens para os munícipes e também para a revitalização do espaço do ATRIUM. A bem da Marinha Grande e da sua população, nunca poderia votar contra uma solução que vem resolver um problema grave.
    Depois de esclarecer alguns aspetos técnicos relacionados com a divisão do espaço, o Sr. Vereador Aurélio Ferreira disse que votará a favor porque tem falado das dificuldades existentes nos acessos aos serviços e também porque é uma solução que dá utilização ao espaço, que foi tão caro.
    O Sr. Presidente explicou as negociações, e disse que a instalação dos serviços no r/c não inviabiliza a parte sobrante, porque tem entrada para os dois lados, e ainda porque vem potenciar a utilização do espaço e do investimento.
    Seguidamente o Sr. Presidente colocou a votação a seguinte proposta:
    33 -Presente minuta de contrato de arrendamento a celebrar com o Instituto de Gestão Financeira e Equipamentos da Justiça, IP, que tem por objeto o arrendamento parcial da fração A, sita no Edifício Cristal Atrium, localizado na Rua das Portas Verdes, n.º 2, na freguesia da Marinha Grande.
    Considerando que:
    -O Município da Marinha Grande é proprietário da fração A, do Edifício Cristal Atrium, registada na Conservatória do Registo Predial da Marinha Grande sob o n.º 8027/19710811-A e registada na matriz da freguesia da Marinha Grande sob o artigo 17538;
    -Os serviços públicos relativos aos registos de identificação civil, predial e comercial se encontram a funcionar em edifício que não dispõe das condições legais de acessibilidade dos utentes;
    -A relocalização dos serviços de registos é uma reivindicação antiga da população e desta autarquia, de forma a garantir que todos os cidadãos acedem, sem dificuldades ou riscos, a esses serviços;
    -A fração em causa não tem qualquer utilização e a parte a arrendar pode ser adaptada ao uso visado, localizando-se em zona que dispõe de estacionamento público gratuito;
    -As obras de adaptação da fração aos fins visados são da responsabilidade do arrendatário, que suporta todos os seus encargos;
    -O valor da renda acordado corresponde a uma valorização de mercado da área arrendada.
    Assim, a Câmara Municipal delibera, de acordo com o artigo 33.º, n.º 1, alínea ee), do Regime Jurídico das Autarquias Locais, aprovado pela Lei n.º 75/2013, de 12 de setembro, aprovar a minuta de contrato de arrendamento, que se dá por reproduzida e fica anexa(Anexo 1), a celebrar com o Instituto de Gestão Financeira e Equipamentos da Justiça, IP, e ceder de arrendamento a área nele identificada.
    A presente deliberação foi tomada por maioria, com 6 votos a favor e 1 voto contra do Sr. Vereador Carlos Logrado.

  9. Foi assinado o contrato em 21 de Janeiro de 2016! Leram bem??? Está em acta! Esta espécie de Presidente faz do seu Povo, estúpido! Ontem foi uma coisa para show off! Uma tentativa de mascarar a incompetência com estes floreados à moda antiga.

  10. Esta espécie de presidente é inqualificável
    A sua ânsia de protagonismo cega-a e lava-a ao limite do ridículo.
    Assina um contrato de arrendamento que já havia sido deliberado e assinado em mandato anterior (2016) e faz este número para apresentar serviço para o qual nada contribuiu.
    Ainda a veremos inaugurar o Centro Empresarial, a Resinagem, a Casa da Cultura, o Parque da Cerca, o Museu do Vidro, o Museu Joaquim Correia, a Ponte das Tercenas, a Estrada/Ciclovia da Vieira/Praia, a Estrada Atlântica, a Rua Esquerda e Direita na Moita, as Mortuárias da Moita e da Vieira, talvez Igreja Matriz da Marinha… etc…etc… etc…
    Vá Senhora Presidenta apresse-se, já não tem tempo para tanta inauguração.

  11. Mas o povo embarca nisto e como não temos órgão de informação credível , para a maioria isto parece o que não é! Dão -se louvas à Cidalia e ela, nem quando foi a aprovação do contrato em 2016, disse o que quer que fosse…

Deixe uma resposta

Seu endereço de e-mail não será publicado.

  
Please enter an e-mail address

Postar Comentário