CMMG

Ontem teve lugar mais uma reunião de câmara, desta vez extraordinária. Um dos assunto que foi discutido tinha a ver com mais uma modificação ao orçamento. É já um procedimento habitual, vão fazendo correcções à medida que se vão lembrando que erraram nas previsões. Ontem uma das causas da modificação teve a ver com as festas da cidade. Sem que se visse qual a modificação poder-se-ia pensar que era algo normal. Quando se vai ver o motivo da modificação fica-se a perceber aquilo que muitos dizem ser a falta de rigor e o fazerem tudo à pressa. A correcção teve a ver com o facto de serem necessários mais 3000 euros para pagar os direitos de autor. E aqui fica a grande dúvida! Se os cantores foram reservados pela câmara, se sabiam qual o valor a pagar e se sabiam qual o valor a pagar pelos direitos de autor, como é que não foram capazes de prever o que iriam gastar? É que não se trata de uma verba que se pudesse argumentar que não era possível prever ou teve a ver com algo que surgiu do nada! Os direitos de autor são fáceis de apurar e, se dúvidas houvesse, poderiam sempre saber junto da entidade a quem eles são pagos quanto é que seria o custo. Mas não, faz-se uma modificação.


Seguir
( 4 Seguidores )
X

Seguir

E-mail : *

Comentar com conta do Facebook

comentario(s) no Facebook

12 comentários

  1. Mas as festas da cidade não foram adjudicadas, chave na mão, á tal empresa do Sardet?
    Como é que a Câmara vai pagar uma despesa referente aos espectáculos adjudicados?
    Ou muito me engano ou isto é mais uma.

  2. mais uma vez, este blog produz fake news.
    É incrível como as pessoas gostam de ler aquilo que vai ao encontro da sua necessidade de encontrar da vida de porra que levam.

    Verifiquem as vossas fontes, seus burros. Vejam lá se o reforço foi mesmo de 3000 euros, vá, façam lá isso. ficamos à espera.

  3. Oh anónimo das 18h20! Onde está a fakeknews? Perdeu o pio? Reforço de 3000 para direitos de autor porque o conceito chave na mão depende de quem ganha o concurso…

  4. Espera lá… agora vão dizer que é a Cidália a Célia e o Caetano que tem de prever o valor dos direitos de autor? São eles que tem que pedir os preços dos direitos de autor para prever o custo no orçamento no devido tempo? Não são o vereadores e a presidente que se tem de preocupar com isto! Isto chegou-lhes à mesa tardiamente.

    • Fundamentalmente não é a falta de planeamento que está em causa neste momento.
      O que verdadeiramente está em causa é um duplo pagamento dos encargos com os espectáculos das festas da cidade. Paga-se à empresa fornecedora do serviço (lembra-se o que a Vereadora Célia afirmou na reunião de Câmara – “contrato de prestação de serviços chave na mão”) e paga-se pelo mesmo serviço à SPAutores.
      Isto sim, deveria ser objecto de análise por quem de direito já que haverá mais despesas destas, certamente.
      Isto para não falar das despesas das festas da cidade de 2018 e do espectáculo do mesmo empresário na Casa da Cultura.

      • Fundamentalmente é falta de planeamento, e eventualmente a duplicação do encargo, mas eu não acredito que tenha havido duplo encargo. Acredito mais que isto esteja fora da “chave na mão”, tenham previsto verba a “olhometro”, sem preocupação de saber em tempo útil e em concreto quanto é que custaria, e que se tenham esquecido de os pagar, e lembrado à última da hora.
        Mas não sei. É só um palpite, a avaliar por tudo o que tem vindo a ser escrito.

Deixe uma resposta

Seu endereço de e-mail não será publicado.

  
Please enter an e-mail address

Postar Comentário