Festas

Ainda em torno das Festas da Cidade, há coisas que são difíceis de entender. A câmara organiza este evento há já uns anos, mantendo a mesma estrutura com que foram concebidas as primeiras festas. Tiveram já tempo para saber como se faz e serem os próprios serviços a organizar. Este ano, tal como nos outros, o que acontece é contratarem o pacote das festas a uma empresa e limitarem-se a pagar. A questão é que este ano a organização coube a uma empresa brasileira que faz deste o primeiro evento que realiza. Como tal, a solução que tiveram foi a de subcontratarem tudo ao Leandro que é assim, na verdadeira acepção da palavra, quem organiza. A empresa brasileira vai limitar-se a receber o que a câmara vai pagar e ter algum lucro com o que não fez. Claro que nos concursos públicos é assim que funciona e não há que criticar quem ganha dinheiro com a incapacidade dos outros. A questão que aqui se coloca tem a ver com o saber-se qual a necessidade que a câmara tinha de entregar a uma empresa aquilo que poderiam ser os próprios serviços a fazer. Será que não eram eles capazes de contratar o Leandro como a empresa fez? Não saberiam contratar os artistas, que a Célia disse que foram escolhidos pela câmara e até fizeram a reserva? Não saberiam contratar todos os demais serviços que vão estar a funcionar e que têm que ser contratados a terceiros? É que tudo isto tem custo e, ainda que haja muito dinheiro, há quem saia prejudicado. A câmara paga à empresa brasileira, esta paga à do Leandro e este paga aos artistas. Significa isto que, para que todos ganhem dinheiro, quem perde são os artistas e, no caso, os locais. Fosse a autarquia capaz de fazer alguma coisa e o mesmo dinheiro que vai gastar permitiria que se desse um verdadeiro apoio à cultura local e aos que ainda vão tentando fazer alguma coisa.


Seguir
( 3 Seguidores )
X

Seguir

E-mail : *

Comentar com conta do Facebook

comentario(s) no Facebook

13 comentários

  1. OOOOOHHHHH… ENTÃO AGORA O ANDREZITO FOI PARA O BRASIL?!
    O DINHEIRO MUDA DE MÃOS, E DE CADA VEZ QUE RODA, NORMALMENTE HÁ SEMPRE UMA PARTE QUE NÃO VAI ATRÁS. ASSIM, HÁ SEMPRE QUEM ESTEJA A FATURAR, MESMO NÃO FAZENDO NADA.
    PORQUE É QUE NÃO NEGOCEIAM DIRETAMENTE COM OS ARTISTAS OU AS SUAS EMPRESAS? NÃO FICARIA MAIS BARATO DO QUE ANDAR POR AQUI COM ENTREMEDIÁRIOS? SE NÃO SOUBEREM COMO SE NEGOCEIA, HÁ POR AÍ MILHARES DE EMPRESÁRIOS NA TERRA (DE GRANDES A PEQUENINOS) QUE PODEM ENSINAR.

  2. Eu lamento ter de tecer este tipo de comentários. Traduz apenas o meu estado, mas será só na presidência e vereação que há total inação, incapacidade, impreparação, insensibilidade, aparente incompetência?
    A Marinha Grande, em muitos aspetos, está ao abandono, degradada, feia, cada vez mais ultrapassada pelos seus concelhos vizinhos.
    Uma mera aprovação de projectos de obras é um verdadeiro calvário, e uma luta desesperante. Temos um PDM com cerca de 30 anos, não tarda. Em Leiria é tudo muito mais célere, para além de existirem mecanismos que até defendem os proprietários e agilizam tudo, desde a fase a aprovação de projetos à execução da obra.
    A cultura é pobre e o associativismo está como está, tudo sem rei nem roque. No desporto, se não fossem as coletividades, o concelho seria um deserto.
    Turismo? Onde está o turismo? Fazer festas no verão é turismo?
    São Pedro de Moel está totalmente ao abandono, ainda com os estragos da última tempestade bem visíveis, o imbróglio da rotura de água ainda por resolver, além da falta de manutenção habitual, tal como está a Praia da Vieira. Estamos a meio de Maio e daqui a um mês inicia-se a época balnear. Está tudo uma lástima.
    Da Moita e de Vieira de Leiria nem se fala, esquecidas, envelhecidas, voltadas ao abandono.
    O que é que faz tanta gente que trabalha na câmara? Quem é que lhes distribui trabalho e que trabalho lhes é dado a fazer? Quais as prioridades? Como é que são definidas estas prioridades e quais os prazos?
    E não se sintam atingidos os trabalhadores. Não é a minha intenção atingir trabalhadores. Parece sim haver uma total incapacidade de administrar e gerir toda uma câmara.

  3. Comentário da Cidália Ferreira ao presente post: “Tenho dinheiro para gastar, porque não pagar a quem eu bem entender para me fazer festas?!” Comentário xenófobo este sobre a comunidade brasileira e ao achar que a câmara é uma mera agência de eventos! Vá cortar pinheiros secos, perito-não-sei-de-q-mas-na-prática-de-nada!” C. Fifi

  4. QUEREM VER QUE AINDA APARECE AÍ UMA FISCALIZAÇÃO… E PERCEBE QUE ISTO DAS FESTAS, É TUDO UMA NEGOCIATA, ENTRE UNS QUANTOS, E AINDA PRENDE ALGUNS!?
    TUDO À MEDIDA, CERTO!?
    😉

  5. Mas vai haver festas da cidade em 2019?
    Ahhhh vi a Célia muito aflita dizendo que os brasileiros deram o fora e não tinha como resolver a situação!

  6. Não me admirava que a empresa que ganhou o concurso desse o fora… Só agora lhes foi adjudicado o contrato! Como ter tempo? E ainda podem pedir um choruda indemnização à Câmara! A Celia e a Cidália andam AFLITAS! O Caetano assobia para o lado! Uma vergonha esta Cidália, Celia e Caetano.

  7. É o que dá deixarem tudo para a última hora. Vendo bem as coisas eu acho que saiu-lhes o tiro pela culatra. Deixam tudo para a última hora para ver se são sempre os mesmos a fazer as festas e para ver se os outros perdem a coragem de ir a jogo. E é muito pouco o tempo que é dado para responder a concursos com esta grandeza, que depois também levam o seu tempo para tratar e montar tudo, principalmente para quem nunca fez estas festas. Quem tem experiência está sempre vários passos á frente.
    Quem é que reservou os artistas principais?
    Mas hade saltar um coelho da cartola, quiçá, o mesmo coelho de sempre.

  8. Era só organizar uma Comissão Inter-Colectividades, O Povo é que entende o que o Povo gosta… mas enfim: Haja dinheiro..

Deixe uma resposta

Seu endereço de e-mail não será publicado.

  
Please enter an e-mail address

Postar Comentário