CMMG

A propósito de um texto que escrevemos hoje, ele foi comentado no Facebook. Quanto a isso nada há a dizer já que os comentários são livres de serem efectuado assim como todos são livres de concordar ou discordar do que escrevemos. Tirando o que escrevemos que é baseado em factos, quando se trata de opiniões cada um tem a sua. Há, no entanto, factos que são indesmentíveis. A mata ontem esteve fechada e não houve ninguém da autarquia que tivesse vindo a terreiro atribuir as culpas a quem as tem. São dois factos. Há depois aqueles que ficam cegos sempre que pode estar em causa a inacção do partido que governa a câmara e o país. Aí as atenções desviam-se para o que não interessa e parecem não ser capazes de fazer um único comentário que possa por em causa o ‘seu’ partido, em prejuízo do concelho. Em comentários que lemos há quem critique o que escrevemos e até conseguem comentar que viram pessoas no pinhal, mas sempre sem conseguirem apontar o dedo ao facto de as estradas terem continuado fechadas e de da parte da câmara não ter existido uma censura a esse facto. Ficam cegas e não veem o que está mesmo à sua frente, ainda que isso prejudique o concelho e quem aqui vive. A ‘partidarite’ de que algumas pessoas sofrem é assustadora e, de certo modo, explica o motivo de os políticos se estarem borrifando para muito do que está mal. Há sempre quem os desculpe! O erro não está nos políticos, o erro está nos que os desculpam e criticam o mensageiro ou quem possa ter opinião diversa do que os políticos fazem, mas sempre sem que possa beliscar os seus amados. Mas é provável que sejamos nós quem exige demasiado porque achamos que os políticos devem governar para todos e não apenas para quem vota neles. Claro que quando há quem pense que faz apenas falta quem está, percebe-se que os partidos olhem apenas para aquilo que lhes interessa e não apenas para o global. Quando se percebe que no seio dos partidos as criticas são vistas como ataques e não como reparos que mereceriam uma atenção para que não se repetissem, percebe-se que só alguns contam.

No boneco usámos a Cidália, mas apenas porque calhou e não porque seja a visada directamente pelo texto ou pelo que lemos.


Seguir
( 3 Seguidores )
X

Seguir

E-mail : *

Comentar com conta do Facebook

comentario(s) no Facebook

13 comentários

  1. O PS local está envelhecido e de rastos. Uma equipa fraturada, sem rumo, com apenas alguns egos periféricos a ambicionar uma passagem rápida da Cidália pela cadeira do poder. O ideal para o Aurélio, munido da sua equipa de marinhenses, jovens e sérios, avançar para um projeto de futuro para o concelho, e não de remendos a que as cidálias, paulos e álvaros nos habituaram! Amen

    • O ditafor aurélio não, por favor. Ele e os seus fiéis subditos são uns líricos. Têm um Grande Líder e nâo vêem mais nada à frente, só o que o seu Grande Líder emite como caminho a seguir.

    • Jovens e sérios? Onde? Quem? Cambada de inúteis. Só prestam para dizer mal de tudo e de todos. Só barracadas, a pala desta gente o ps vai ficando mais forte.

  2. Essa de amedrontar com fantasmas só pode ser do desespero.
    Ao contrário de alguns saltimbancos dirigentes do PS local, o Aurélio e a sua equipa têm uma vida com provas dadas.
    Afinal até o Telmo concorda com o Aurélio.
    Quem diria!

  3. Não sei se é assim, mas por aquilo que vi na festa, a população adora o homem. Humilde e comunicativo com toda a gente.
    Aliás, não entendo porque tenta ser tão discreto. Do que receia afinal? Na politica ou se está preparado ou não.

Deixe uma resposta

Seu endereço de e-mail não será publicado.

  
Please enter an e-mail address

Postar Comentário