CMMG

“Ex.mos Senhores,
Encarrega-me a Sra Vereadora, Dra Célia Guerra, de vos informar que as Festas da Cidade são uma realidade e tudo se mantém como previsto.
Efetivamente a empresa que ficou em 1.º lugar desistiu, no entanto encetámos todos os esforços, e o 2.º concorrente já assinou contrato e encontra-se já a trabalhar no evento.
Neste sentido tudo se mantém como planeado e referido na reunião que tivemos no passado dia 7 de maio.

Obrigada
Com os melhores cumprimentos,
Eleonora Nunes
Téc. Superior
Divisão de Desenvolvimento da Cidadania
[email protected]
Tlm: ‪93……‬”


Seguir
( 5 Seguidores )
X

Seguir

E-mail : *

Comentar com conta do Facebook

comentario(s) no Facebook

22 comentários

  1. É uma realidade ou há-de ser uma realidade?
    Se tivessem encetado todos os esforços para começar a trabalhar mais cedo, dando a possibilidade de várias empresas poderem concorrer em pé de igualdade e com tempo para preparar e reagir, não teriam de nos sujeitar ao que se está a passar com estas festas. Vergonha.

  2. Nestas situações, nem sequer têm coragem de dar a cara! Põe a técnica da Câmara a assinar, e a Cidália nem consta, como se nada tivesse a ver com isto! São tão fracas e cobardes!

    • É verdade, nem presidente, nem gabinete da presidente, nem vereadora, nem gabinete da vereadora, nem chefe de divisão. Uma técnica! Todos a fugir com o rab*no à seringa!
      Bem, só não foi o carpinteiro porque carpinteiro… secalhar está de baixa.

  3. As festas da cidade têm a importância que têm.
    Não se trata de um evento insignificante para o concelho.
    Uma coisa é cancelar uma Criativarte. Outra umas Festas da Cidade.
    Num contexto mais alargado da actividade municipal, as festas têm uma relevância menor, muito pequena. E se esta leviandade, desleixo e incapacidade acontecem com a organização de umas festas, nada de bom se adivinha para outros assuntos bem mais relevantes e complexos.
    Para mim, este mail é, por fim, a assunção por parte da câmara, da gravidade da situação que vivemos nos últimos dias, e que foi dada a conhecer aqui (se não tivéssemos este espaço poucos saberiam) e uma tentativa medíocre de lavar a cara, passar uma esponja sobre o assunto, enxertada numa pseudo intenção de informação paupérrima.
    Pergunto se alguma vez a câmara se preocupou em informar, serenar, proferir oficialmente uma palavra sobre esta crise senão agora? Eu não vi, mas posso estar enganado.
    Pessoalmente, e sei que algumas pessoas partilham comigo esta convicção, considero que aquilo que assistimos nos últimos dias é muito grave e mais uma vez denota inequivocamente a incapacidade para gerir uma câmara e uma crise ou contrariedade grave (exclusivamente da responsabilidade da câmara, por ter criado o cenário ideal para que tudo isto acontecesse).
    Imagine-se o que seria ter de cancelar as festas a 15 dias de começarem, depois da publicidade na rua e de estarem artistas assegurados pela câmara, os da terra e os de fora.
    Quem é que iria assumir o pagamento dos mesmos?
    E os custos entretanto já efetuados com a preparação das festas?
    E os custos para a imagem do município?
    E os custos para a credibilidade da instituição Câmara Municipal?
    Não seria propriamente como mudar uma Criativarte de um fim de semana para o outro.
    Foram também levantadas suspeitas graves sobre a contratação destas festas, e reações da câmara, vereadora, presidente, não vi nada, nem mesmo da oposição.
    A verdade é que com esta crise a câmara pôs-se mais uma vez inteiramente nas mãos de uma empresa, porque desta dependeu até ontem, o acontecer ou o cancelar deste evento. Quando se está nas mãos de terceiros e numa situação de desespero, a tendência é para aceitar qualquer coisa, desde que se minimize as consequências negativas. E acredito que os últimos dias devem ter sido de desespero na câmara.
    As noticias que surgiram, que a empresa estava a tentar baixar o preço dos artistas da terra, já são, na minha opinião, uma consequência dessa dependência, já que eu não acredito (ou posso acreditar) que a presidente e vereadora aceitassem de ânimo leve que se metessem com os nosso artistas para baixar preços.
    Assusta-me o rumo que o concelho está a levar, e a ausência das vozes da oposição.
    Parece que estão todos à espera que o tempo passe e que este executivo enterre o PS, cada vez mais, ao ponto de nada restar daqui a dois anos. Mas enquanto esperamos, o concelho definha, e por isso, também a oposição tem de refletir seriamente quais os interesses que quer servir, se os próprios, se os do concelho e dos seus munícipes, como eu.
    Depois disto tudo, só desejo que tudo corra bem, a bem da Marinha Grande, das coletividades que participam e dos munícipes, mas que depois da festa se tirem todas as ilações, se apurem responsabilidades e se esclareçam todas as suspeições.

  4. Tiveram receio de partir as viaturas, ou as colunas vertebrais, nas nossas vias de acesso ao Centro da Cidade? Já que é doloroso deslocar-nos por cá, só mesmo experimentando dar a volta pelas nossas estradas, não serve a qualquer um. talvez a quem tenha saúde de ferro.

  5. Uma coisa é verdade. Se não fosse o Largo a dar a conhecer o que se passou eles iriam fingir que tudo estava bem e a população não ficaria a saber de nada. Este email não é mais do que o fato de terem sido forçados a reconhecer aquilo que aqui foi escrito. Se havia dúvidas sobre se o Largo é necessário e se o que escrevem é verdade, as dúvidas desaparecem a cada momento em que eles são forçados a dar uma informação às coletividades por causa de algo que apenas aqui foi falado. Continuem a expôr o que se passa porque não temos outro meio de ficar a saber uma vez que o jornal é a vergonha que já se conhece que nem sequer conseguem manter o site atualizado.

  6. Facas afiadas, saliva no canto do beiço, måos aquecidas pelo esfregaço, dentadura à mostra da risada, e de repente PUM!!!
    Afinal o pessoal marcha, o sítio tem festa,
    e o simio escorrega na casca da banana.
    Azar do Krhal.

    • Quem escorrega permanentemente na casca da banana, é esta espécie de Presidente da asneira. e esta espécie de vereadora das trapalhadas…

Deixe uma resposta

Seu endereço de e-mail não será publicado.

  
Please enter an e-mail address

Postar Comentário