PS

A propósito do aniversário, com comemoração apenas para políticos e crianças, o PS local escreveu que “Nenhuma outra força política fez mais pela transformação e mudança da Cidade que o Partido Socialista da Marinha Grande! Do Programa Pólis (Parque da Cerca, Parque Mártires, Ribeira das Bernardas, Zona Desportiva, etc.) à Requalificação do Património Stephens (Teatro, Museu do Vidro, Biblioteca Municipal, Resinagem), passando pela criação da Zona Industrial do Casal da Lebre, a abertura da Rotunda do Vidreiro, etc. No presente, continuamos a servir a Marinha Grande, a promover investimentos de qualidade e que trarão maiores e melhores condições de vida a todos os Marinhense: Escolas, Centro Saúde, Rede Viária, Saneamento, Rede de Águas, Áreas Localização Empresarial, etc“. Disse que “Os projetos existem, a vontade de os concretizar também… Só precisamos de uma Oposição responsável e sem populismos que nos deixe trabalhar!“. Fez lembrar o que uma destacada dirigente do PSD disse nos tempos do Passos, “deixem-nos trabalhar”! O resultado esteve à vista. Mas votando ao texto do PS local, há, desde logo, algo que se destaca. Todas as obras que fazem referência ter sido executadas pelos executivos PS são resultado de fundos comunitários. Não se pode dizer que não deveriam ter sido aproveitados, antes pelo contrário. O facto é que tudo o que é dito ter sido feito, e foi-o, não o foi com recursos próprios da autarquia. A gestão autárquica tem-se pautado por ser apenas uma gestão de fundos comunitários, de muito dinheiro que não exige grande esforço para a sua gestão. E o que se vê é que tudo o que não tem fundos comunitários está por ser realizado. Os executivos PS conseguiram fazer a proeza de amealhar muito dinheiro pela incapacidade de executarem obras que dependam apenas de fundos próprios e que possam levar à necessidade de contrair financiamentos. Têm sido executivos que têm optado por não realizar obra sempre que não têm a almofada comunitária, revelando uma incapacidade de fazer uma gestão de acordo com o que são as necessidades do concelho porque sempre subordinados à premissa da existência de dinheiro a rodos para a realização das obras. Sempre aprendemos que os bons gestores se veem em tempos de crise e perante as dificuldades. Gerir com dinheiro não é gerir, é saber em que gavetas arrumar as notas. E o que se vê é que nada tem sido feito neste executivo que mostre alguma ousadia ou capacidade de mexerem no muito dinheiro arrumado. O executivo da Cidália continua a dormir sem que tenham a capacidade e coragem de fazer o que é necessário e sem que se sinta que conseguiram autorização para mexerem no dinheiro depositado. Mas o comunicado termina de uma forma que não se compreende. Pedem que a oposição os deixe trabalhar. Qual foi a parte que não entenderam que não têm oposição? Em que é que a oposição não tem deixado trabalhar quando conseguiram ter a benesse de o PCP ter deixado passar o orçamento em troca de uns trocos para a Junta. O executivo não se pode queixar de uma oposição inexistente, mas entende-se que tenham que o dizer para justificar a incapacidade de fazerem as mudanças que são necessárias e as obras que há muito deveriam estar em andamento. Só falta virem a seguir queixar-se da morosidade dos procedimentos para justificar o muito que há por fazer. Mas é verdade que algumas coisas foram feitas, as que enchem o olho e que são as que os mesmos executivos não conseguiram dar aproveitamento.


Seguir
( 1 Seguidores )
X

Seguir

E-mail : *

Comentar com conta do Facebook

comentario(s) no Facebook

3 Comentários

  1. Caro Curioso,
    Você critica, critica e critica a “pobre” presidente, mas esquece-se que agora temos os tão desejados painéis electrónicos informativos, que fazem a inveja de outros municípios!
    Seja bonitinho, deixe de ser populista e deixe a senhora continuar o bom trabalho que tem feito até agora….

  2. O PS está reduzido a nada ou a quase nada. O PS da Marinha Grande deixou capturar-se por esta presidente, pelo seu chefe de gabinete e por mais uns tantos oportunistas que pululam por lá á procura de um qualquer job nas listas de deputados ou de um qualquer gabinete ministerial.
    Na última reunião dos dirigentes do PS, foi confrangedor, foi triste participar numa reunião onde era suposto estarem 25 elementos e só compareceram 10, dos quais 6 são funcionários da câmara ou membros dos executivos.
    Esta é a triste realidade que se vive no interior do PS da Marinha Grande.
    Esta gente está a descredibilizar o PS.
    Este não é o PS de muitos e muitos militantes que ainda hoje são referências no concelho.

  3. Caro Militante.
    O PS é um partido que acolhe todas as ideias , em vez de vires para aqui mandares os teus bitaites, fá-lo no sítio certo , assim sim estarás a contribuir de forma positiva para o seu crescimento.

Deixe uma resposta

Seu endereço de e-mail não será publicado.

  
Please enter an e-mail address

Postar Comentário