CMMG

Já se sabe que há serviços que a câmara não tem condições de ter em regime de permanência. Isso justifica, como é lógico, a contratação a empresas ou pessoas externas à câmara. É assim em todo o lado. Há, no entanto, serviços cuja contratação é estranha. A câmara tem nos seus quadros de pessoal uma série de juristas. Não podemos opinar sobre a sua qualidade ou competência, mas tem muitos. Apesar disso tiveram necessidade de contratar, por ajuste directo, um consultor para “Serviços de consultadoria jurídica especializada na área de contratação pública”. Coloca-se logo a questão de se saber qual o motivo de contratar um consultor com o fundamento na “ausência de recursos próprios” quando há pessoas que, já fazendo parte do quadro de pessoal, poderiam prestar tal serviço. Onde há ausência de recursos próprios? Para que foi admitida para chefe da divisão uma destacada militante do PS se afinal é necessário contratar alguém para prestar consultadoria jurídica? Mas há outra questão! A pessoa a quem foi feito o ajuste directo tem outros ajustes directos de outra câmaras. Porque razão aqui se paga mais do que as outras câmaras que contrataram para desempenhar a mesma função? Porque motivo aqui se paga mais do que paga, por exemplo, a câmara de Leiria para a mesma função, para a mesma pessoa?


Seguir
( 3 Seguidores )
X

Seguir

E-mail : *

Comentar com conta do Facebook

comentario(s) no Facebook

15 Comentários

  1. ESCROQUES, SEM VERGONHA!
    Para pagamento de favores, e tachos aos ratos de partidos há sempre margem…
    Os enfermeiros, médicos, bombeiros, polícia, etc,etc, etc… que esperem!
    Mais uma bancarrota, à porta. É só mais um pouquinho…
    É A GRANDE PORCA!
    FARTAR VILANAGEM!

    • Caro Anónimo. O termo “escroques” é ofensivo, pelo que deverá evitar esse tipo de linguagem. Não podemos subscrever ou aceitar esse tipo de afirmações.

      • Ofensivo, é aquilo que esta gentalha faz. Isso sim é ofensivo!
        Esta gente goza, e o povo amarga… Até quando!?

  2. A Câmara da Marinha tinha nos seus quadros um técnico superior com especialidade e competência na área jurídica de contratação pública. Esse técnico dá aulas de contratação pública no IPL e tem trabalhos publicados sobre a matéria sendo até citado em acórdãos de tribunais superiores e por reputados especialistas em direito, entre os quais o Prof. Sérvulo Correia.
    Porque é que a Câmara da Marinha colocou esse técnico na “prateleira” não lhe dando qualquer função ou tarefa durante meses e autorizou a sua mobilidade para a Câmara de Leiria, onde lhe está a ser reconhecida a sua competência técnica?

    • Toda esta situação carece de investigação apurada. De que espera a oposição, a Assembleia Municipal e as autoridades fiscalizadoras?

      • Caro curioso ,
        Que tipo de trabalho especializado ele executa, escolhe os procedimentos ? Escolhe as empresas nos ajustes diretos ? Elabora as peças processuais ?
        Ou dá explicações a chefe de divisão ?
        O curioso deveria descobrir

      • Caro Anónimo. Presumimos que se trata de prestação de serviços em situações pontuais, à distância, já que a pessoa contratada tem morada em Sintra e presta iguais serviços a outras entidades. Consultadoria será isso mesmo, dar apoio e não tanto tomar decisões.

  3. A tal Chefa toda poderosa que responda.
    Esta “coisa” tem a sua assinatura.
    Até o afastamento do outro técnico tem o dedo da Paiva….
    hummmmm olá se tem!!!!!!

    1
    1
  4. diz-se que o tal consultor contratado pela Câmara vai dar apoio jurídico, á chefe do jurídico e á chefe das finanças, á DISTÂNCIA e RECEBER +/- 200 euros á hora
    isto sim, isto é que deveria ser esclarecido
    afinal a Cidália nomeou, recentemente, aquelas 2 chefes sem que tenham os conhecimentos e competências necessárias para o desempenho dos cargos a ponto de necessitarem de apoio externo
    🥵🥵🥵🥵😰😰😰😰😰🥵🥵🥵🥵🥵

Deixe uma resposta

Seu endereço de e-mail não será publicado.

  
Please enter an e-mail address

Postar Comentário