CMMG

A câmara parece estar a permitir um ‘esquema’ que nos soa mal. Sabe-se que a cobrança da água foi entregue a uma empresa privada. Têm-nos chegado relatos que dão conta que há pagamentos por débito directo que não estão a ser efectuados porque não estão a ser apresentados aos bancos. Isso está a fazer com que haja facturas que não estejam a ser pagas por culpa que não é dos munícipes. Como no sistema da câmara as facturas aparecem em dívida, é feito o corte de água. Para religar os munícipes têm que pagar mais de 30 euros. Nos casos em que a falha é dos serviços de cobrança, se os munícipes reclamarem, o valor é-lhes devolvido, mas aqui surge o problema! O valor pago para que seja feita a ligação da água é-o nas facturas seguintes. Ou seja, a câmara está a financiar-se com dinheiro dos munícipes porque em vez de proceder à devolução do valor indevidamente cobrado se uma só vez, vai devolvendo nas facturas seguintes, nos meses seguintes. Quase parece que a câmara quer que sejam os munícipes a ter que suportar os custos com a empresa com as quantias que cobram indevidamente e que vão ficando nos cofres durante muito tempo. E por falar em corte de água… já são conhecidas as quantias que os serviços deixaram prescrever e as situações em que, havendo muito consumo, não houve corte?


Seguir
( 0 Seguidores )
X

Seguir

E-mail : *

Comentar com conta do Facebook

comentario(s) no Facebook

Deixe uma resposta

Seu endereço de e-mail não será publicado.

  
Please enter an e-mail address

Postar Comentário