CMMG

Há dias foi decidido quais as competências que a câmara ia assumir. Depois do Governo se ter ‘esquecido’ de dizer qual o dinheiro que iria ser transferido para as autarquias, a decisão foi tomada mesmo no limite, como sempre! O assunto foi depois discutido em AM e as votações foram interessantes. O PCP e BE não queriam nada; o MpM e +C queriam tudo e o PS e PSD alinharam-se em aceitar apenas algumas. Em causa estavam as competências relativas a praias, jogos sorte e azar, vias de comunicação, justiça, associação de bombeiros, lojas do cidadão, habitação, património publico, estacionamento publico. A Cidália não quis aceitar algumas competências e não se percebe o motivo. Este era um daqueles assuntos em que ou era tudo ou não era nada. Ficar com algumas e rejeitar outras, quando as regras são as mesas para todas, não se compreende. Como é público a câmara, o PS local não quis ficar com as praias, estacionamento público e vias de comunicação. E é aqui que não se entende a posição assumida. As praias, única fonte de turismo que temos, vai continuar nas mãos do Estado o que é o mesmo que dizer que nada vai ser feito. O estacionamento vai também ser do Estado quando temos a TUMG que já faz a gestão de parte do estacionamento. Se aceitaram todo o resto, porque não aceitar esta competência? Será que foi com receio que fosse aumentar ainda mais o buraco das contas daquela empresa? Por fim, as estradas. Em causa está apenas a estrada que liga a Nazaré a Leiria. Porque excluí-la quando o Caetano até aceitou fazer uma parceria para a construção da rotunda do Pêro Neto? A rejeição dessa competência foi para que continuemos a ter os traços da via mal desenhados ou para que continuem as reclamações de que estão dependentes de outras entidades. Se quiseram as outras competências, porque não esta? Ou seja, se entendemos a posição do PCP e BE, entendemos a posição do MpM e +C (apesar de não concordarmos), já em relação à posição assumida pelo PS e PSD não é fácil entender o porquê de aceitarem umas competências e outras não. Aliás, não deixa de ser interessante ver-se que agora o PS aceitou competências, porque são proposta do seu partido no Governo, mas quando, há uns anos, se colocou a possibilidade de criação de lojas do cidadão para aqui o PS recusou. Afinal que mudou de lá para cá, além do Governo? Resta agora saber se, em relação às competências que foram assumidas, a Cidália vai estar à altura de receber mais papéis e exigir as decidas contrapartidas. Sabendo-se que o Governo se está borrifando para o que aqui acontece e que o seu peso é só para pagar almoços, temos dúvidas que algo de bom surja. Esperamos estar enganados.


Seguir
( 1 Seguidores )
X

Seguir

E-mail : *

Comentar com conta do Facebook

comentario(s) no Facebook

3 comentários

  1. Basta deixar de tomar o xarope, a Cidália fica obstipada e decide que não gosta de praia! É assim que se decide o rumo no concelho. Dr. Nelson, salve-nos deste karma. Atire-a ao penedo da saudade e livrai-nos do mal!!!

  2. Gostei muito deste Post, mas o curioso deve de se ter esquecido de mencionar que há alguns elementos do PS e CDU que são a favor de serem todos as competências transferidas e por isso foram substituídos. (Alguns já o afirmaram publicamente)

Deixe uma resposta

Seu endereço de e-mail não será publicado.

  
Please enter an e-mail address

Postar Comentário