TUMG

A TUMG exerceu o direito de resposta em relação ao que tinha sido escrito há quase um mês num jornal. Foi um direito de resposta que teve que ser amadurecido pelo tempo. O problema no que foi escrito é que soa a que nos estão a tentar dar música, mais do que a esclarecer o que quer que seja. Num texto que é um misto de propaganda e de tentativa de esclarecer, a Fátima não consegue explicar o essencial. Refere no texto que o contrato de publicidade que tinha sido celebrado com o Jornal terminava em 31 de Dezembro. Como é do conhecimento de todos, para que o contrato termine é necessário que alguém lhe ponha termo de modo a que não possa ficar a ideia de que ele se renovou. Pois bem, o contrato não foi terminado antes de 31 de Dezembro e passou para Janeiro deste ano. Qualquer pessoa que esteja de boa fé entenderá que o contrato se renovou. E a verdade é que o contrato de publicidade esteve em vigor já este ano. Não corresponde, por isso, à verdade que tenha sido posto termo ao contrato de modo a impedir que se renovasse. Só depois de ter saído a notícia sobre os atrasos com os processos e reclamações de empresários é que a Fátima decidiu comunicar ao Jornal que o contrato de publicidade afinal não era para ter passado para este ano. E que outro motivo poderá ter motivado essa comunicação já depois de 31 de Dezembro senão algum factor estranho às relações contratuais normais? Claro que tudo isto ficaria claro se, como a Alexandra pediu, a Fátima fosse à reunião de câmara explicar o que se passou e apresentasse documentos que demonstrassem que o que agora colocou no direito de resposta era mesmo o que se tinha passado. Mas sabemos que isso não irá acontecer porque isso iria levar a que a versão que agora aparece no direito de resposta não tem correspondência com o que aconteceu. Não deixa de ser interessante ler-se que a TUMG tem autonomia patrimonial, mas ‘esquecerem’ de fazer referência à autonomia financeira porque é aí que está o busílis! É a falta de autonomia financeira que leva a que a empresa municipal tenha que se vergar aos interesses politico-partidários.


Seguir
( 4 Seguidores )
X

Seguir

E-mail : *

Comentar com conta do Facebook

comentario(s) no Facebook

15 comentários

  1. Nem a resposta é da lavra da senhora.
    O Povo é sereno, burro e come merda, porque na realidade está a borrifar-se para tudo. Tem o que merece!
    Gente rasca, incompetente!
    Pessoas que, não fosse juntarem-se aos partidos, não fariam a vida que fazem, ocupando e ganhando salários chorudos, sem a mínima ideia do que ali estão a fazer.
    Estes senhores atiram areia para os olhos das pessoas, até ao dia…
    E esse dia, chegará!
    [email protected]!

  2. A Fátima a dar o corpo ás balas para defender o Presidente do C de Administração, o Caetano e a presidente Cidália que foi quem teve a iniciativa de ordenar á TUMG a quebra do contrato que haviam acertado com o Jornal na semana antes da publicação do tal artigo.
    Esta é que é a verdade.

  3. Dar o corpo às balas, não… Aguentar um bruto salário, e um emprego à maneira.
    Para aguentar isso vale tudo!
    Já agora d. Fátima, que tal fazer um mapa da cidade com a localização exacta das paragens??!
    Óbvio que desde a primeira hora, isto seria um elemento obrigatório, para divulgação e conhecimento. Mas eu compreendo, é preciso pensar um poucochinho…
    Na verdade, não. Era só copiar!
    Trabalheiraaaaa

    • O quê? Ainda não há um mapa com as paragens??? Em vez de perder a fazer de conta que escreve textos escritos pelo Nelson, devia era preocupar-se com coisas úteis dessas…

  4. Uma pergunta simples e sem qualquer intenção maldosa!
    O que viram no currículo da Drª((já estou como um apresentador da TV, doutores são os médicos, mas se gostam que os tratem por doutores, assim seja), Fátima Cardoso para a colocarem como Administradora da empresa de transportes do município da M. Grande?
    Digam-nos por que motivam é contratada uma pessoa que não tem qualquer habilitação conhecimento ou experiência para ocupar um lugar que deveria ser ocupado por alguém com conhecimento de transportes, de gestão e conhecimento dos equipamentos de transporte. Resumindo, não é preciso nenhum doutor ou engenheiro, mas sim alguém conhecimento e experiência ou com capacidade de aprendizagem…!

    Convido os leitores a lerem o (longo) currículo, da Dr.ª Fátima Cardoso …vejam aqui

    http://www.tumg.pt/institucional/orgaos-sociais/fatima-cardoso/

    PS: Este currículo é , como se costuma dizer , só palha, mas o cartão do partido tudo supera .

  5. Nem uma merda de um MAPA há, com a indicação das paragens!?
    É suposto adivinhar!?
    Bravo Drª Fátima! Muito competente…
    … Só nesta terra de gente medíocre.
    Gostava de a ver administrar uma empresa privada, sua! Fica o desafio, já que deverá ter tanta qualificação, deixe o lugar para outro, e tente a sorte. Vai ter sucesso, concerteza. Boa Sorte!

  6. Acabo de ler o currículo.
    Sem palavras…
    O Baptista é um gajo porreiro, e por metade do salário, faria 3 vezes melhor!
    A Drª, talvez para reparar a autora, já que experiência em águas, não parece faltar…

  7. Caro Curioso,
    Estou indignada com os termos utilizados, por alguns dos comentadores!
    Tal não devia ser permitido pelo Curioso. Embora este espaço seja anónimo, parecem-me que a educação devia prevalecer.
    Espero que tome uma posição enérgica para banir daqui esta “gentalha” mal educada. Vamos que uma criança vem a este espaço para se informar da vida autárquica ou para se cultivar e depara com estes termos indignos. Não lhe parece um abuso.
    Seja firme e termine com estas coisas que só ajudam a denegrir a boa imagem dos marinhenses.
    Obrigada

  8. Tanta Virgem ofendida…
    O que faz falta é falar grosso e mal!
    Já que de outra maneira isto não vai lá, pode ser que ganhem vergonha!
    Com boa educação, não vai!
    Ainda digo mais… Isto está como está, porque falta PORRADA!!!
    Se esta gentalha, que “desgoverna” este país há 45 anos, levasse porrada quando se porta mal, tipo Sócrates, Varas, Duartes Limas, Banqueiros, etc… são tantos! … Talvez se lhes doesse a sério, e aparecessem uns deles encostados na valeta, talvez pensassem duas vezes, antes de tentarem governar a sua vida, à custa do povo. Enriquecem, sem arriscar nada. Assim também eu!
    … O povo é sereno… Até um dia!
    Passem bem, D. Ofencia, Virgem ofendida, boys e girls… E tenham cuidado, que o copo está a transbordar…

Deixe uma resposta

Seu endereço de e-mail não será publicado.

  
Please enter an e-mail address

Postar Comentário