JorgeMpM

Há uns dias o Jorge disse que abandonava o lugar que ocupava na Junta da Moita. Sem que se percebesse muito bem as razões de deixar o lugar em vez de se manter e lutar pela freguesia, saiu. De algum modo pensou-se que a decisão tivesse sido concertada entre o movimento. Claro, já sabemos que os movimentos independentes não estão estruturados como os partidos e não há uma hierarquia definida, mas espera-se que haja uma linha que orienta todos os que fazem parte. Depois da demissão o PS reagiu, como era esperado, e, em vez de ficar sossegado, o Jorge vem agora tentar emendar o soneto e, como seria previsível, saiu pior do que original. Há momentos em que achamos que deveria haver quem se concentrasse apenas em actuar como relações públicas em vez de permitir que cada um escreva o que lhe apetece! O Jorge vem dizer que a sua decisão de sair da Junta, mantendo-se na Assembleia, foi uma “decisão tomada” da sua “inteira iniciativa e responsabilidade”. Ou seja, ao afirmar o que afirmou assumiu que está a agir sozinho, fora do que são as ‘regras’ do movimento, afastando-se do que deveria estar perto de si. Assumiu que é o que se pode chamar de ‘free lancer‘, que actua por iniciativa própria sem que respeite as orientações do movimento pelo qual se candidatou. Depois do que escreveu, parece ser claro que está a agir por iniciativa própria, fora do que possam ser as orientações do movimento que integra(ou). Uma postura como a que foi assumida pelo Jorge levaria a que, se estivéssemos a falar de um partido, lhe fosse retirada a confiança política uma vez que tomou uma decisão individual, da sua responsabilidade e fora do que possam ser as orientações do grupo que integra. Da parte do MpM agora haverá que esperar a reacção. Se nada for feito significará que não existe uma estrutura definida que oriente as regras do movimento, permitindo que cada um faça o que lhe apetece. Se for feito o que é esperado, não poderá deixar de lhe ser retirada a ‘confiança política’ uma vez que deixou claro que actuou por si, sem uma orientação do movimento a que pertence. Cremos que grande parte da capacidade que o movimento pode ter no futuro dependerá da forma como reage a esta posição do Jorge para que se fique a perceber se, quem vota, está a votar num grupo de pessoas ou em ‘free lancers‘ que fazem o que lhes apetece.


Seguir
( 1 Seguidores )
X

Seguir

E-mail : *

Comentar com conta do Facebook

comentario(s) no Facebook

16 Comentários

  1. Curioso, ainda não reparou que o MPM é um bluf?
    Politiqueiros sem qualquer estrutura, nem consciencia politica a tentarem convencer o ze povinho que sabem fazer alguma coisa.
    A postura no executivo é o que se sabe, estrebucham estrebucham …na assembleia pouco ou nada fazem…outros demitem-se….e assim vamos nós a brincar aos politicos. Um vazio completo!
    Não têm uma ideia para coisa alguma, nem fazem nada. Não são forças de bloqueio, são um bloqueio sem força nenhuma!
    Pobre Marinha Grande

  2. São atitudes de garotice do tipo mimado e sem qualquer perfil para executar um cargo político. Onde já se viu isto, demitir-se de um órgão por estar a cometer a ilegalidade de colocar uma tarefeira a recibo verde do quadro da autarquia que nem falar sabe a quem se lhe dirige, e fazer finca-pé para ficar na AF. Não basta a m… que fez na JF vai também destabilizar a AF . O MpM tem de ganhar as eleições mas não com gente desta!

  3. Uma tristeza, uma tristeza, tantas expectativas com o MPM e ainda é pior que os outros.
    Sr. Aurélio, ponha mão nisto, olhe para o +C e veja no que deu.

  4. São todos farinha do mesmo saco.Garotices e tudo isto com a concordância do Aurélio.Sei do que estou a dizer.Nao me façam falar por favor.

    • Fale meu amigo, fale por favor, diga tudo, ponha tudo cá para fora, extravase, há coisas que é impossível de serem contidas!
      Esse Aurélio precisa de ouvir as coisas que nunca sonhou ouvir.

  5. Na gíria popular costuma-se dizer que a verdade é como o azeite vem sempre ao de cima. E esse momento chegou, o MPM, no último mês começou a desmoronar-se como um baralho de cartas. Um movimento assente num ego pessoal e sem um rumo ideológico tende a morrer.
    As fragilidades estão à vista. E depois existe um problema maior que é o perfil do lider. Faz birras com todas as pessoas que o confrontam, deixou praticamente de falar com outros autarcas. Um orgulho desmedido. Assim vai acabar mal.

  6. Este Jorge em vez de andar a fazer favores ao sr. marido da incompetente esposa para estar ao balcão, sem maneiras, sem higiene, com erros constantes e com a anuência do presidente, manda-sem fazer um casa de banho para lavagem de cabeças, é que eles faziam alguma coisa de jeito. Agora andarem a reboque e amedrontados, o melhor é irem todos para casa.

  7. Quem serão os funcionários públicos que farão parte do júri para assumirem a responsabilidade de uma eventual ilegalidade ao colocarem no quadro alguém sem competência e sem ser precário? Veremos. Não esquecer o direito de oportunidade… Consagrado na Lei.

  8. O BE coitaditos, agora o PSD precisa de se encontrar, caminhar em frente, derrubar os incompetentes do MPM e colocar a CDU, ou o raio que a parta, no seu lugar. Já é altura de mostrar aos munícipes a verdadeira alternativa, a alternativa de quem quer construir um Concelho dinâmico e preparado para o futuro.
    Um abraço José Duarte, força

Deixe uma resposta

Seu endereço de e-mail não será publicado.

  
Please enter an e-mail address

Postar Comentário