CMMG

Esta semana parte do concelho esteve sem água por causa, uma vez mais, de uma ruptura na adutora. Foi só mais uma! Houve reacções dos políticos e isso levou-nos a ir ver o que tem sido dito ao longo dos últimos anos pelos que foram eleitos. E não foram assim tantas as vezes! Em 19.12.2006 os vereadores Pedrosa e Álvaro diziam que “sabem que o dinheiro é escasso e não chega para tudo, mas o fundamental é que se estabeleçam prioridades que, neste caso concreto, podiam muito bem ser o saneamento (o ano passado não se construiu um centímetro de saneamento e este ano vai pelo mesmo caminho), a água (com necessidades urgentes no reforço da rede e na duplicação da adutora do Picotes, já que um pequeno azar nesta conduta pode deixar toda a Marinha sem água por muitos meses)”. Em 13.12.2010 os vereadores Cascalho e Vítor, na votação do orçamento, “abstiveram-se e proferiram a seguinte declaração: Referimos algumas das que consideramos ser as mais significativas lacunas destes documentos: o adiamento da resolução dos problemas mais graves em matéria da rede de águas como é o caso do reservatório do Alto dos Picotes e a adutora Picotes/Marinha Grande”. Em 20.12.2012 os eleitos da CDU afirmavam que “as grandes opções da CDU são conhecidas. Passam essencialmente pelo (…) pela construção dum novo depósito de águas para consumo doméstico, pois o único existente no Alto dos Picotes é manifestamente insuficiente e necessita de cuidados imediatos que não se podem realizar em virtude de não existir alternativa. Esta obra implicará igualmente a reparação da actual adutora onde se perde cerca de 40% da água retirada dos Picotes”. Em 11.06.2015 o vereador Aurélio ” Lembrou, a propósito, que a adutora dos Altos Picotes necessita há muito tempo de uma solução, pelo que recomenda que se estude e se resolva com a maior brevidade”. Nesse dia o então presidente Vicente dizia que “relativamente aos Altos Picotes os técnicos sugerem diversificar os pontos de abastecimento de água, pelo que irão ser reativados alguns furos, que estão aptos, e está a ser feita prospeção num outro ponto de abastecimento, onde parece que a água será boa”. Em 16.11.2015 o vereador Aurélio queixava-se de no orçamento havia obras que faltavam, dando como exemplo as verbas previstas para “a requalificação da adutora dos Altos Picotes (tem € 5,00, precisa 2,6M€)”. Em 4.12.2015 o vereador Aurélio afirmava que “nem as infrasestruturas estruturantes estão assumidas como é o caso (…) restruturação da adutora dos Altos Picotes”. Em 15.07.2016 o vereador Vítor dizia que “a adutora dos Picotes são rubricas positivas, mas isso não significa que vamos votar positivamente na globalidade” e o vereador Aurélio afirmava que “esta revisão contempla obras fundamentais desde há muitos anos, como por exemplo a adutora do alto dos picotes, pois com a frequência com que têm acontecido roturas, estamos a correr grandes riscos”. O então presidente Vicente dizia que a “adutora do alto os Picotes é urgente, bem como o estudo hidráulico e para isso
vamos ao financiamento. Com a primeira Revisão aos Documentos Previsionais de 2016 incorpora-se o saldo da gerência anterior permitindo-se o desenvolvimento de um conjunto de projetos municipais (…) Requalificação do Sistema de abastecimento de água em alta, através da contratação da simulação hidráulica e dos projetos de execução da adutora e reservatório dos Picotes”. O vereador Santos dizia que «a adutora que liga os altos picotes à nossa cidade está a rebentar pelas “costuras”» e a Cidália dizia que com a revisão iria ser permitido fazer a “requalificação do sistema de abastecimento em alta com a contratação dos projectos para as adutoras Picotes Marinha Grande S. Pedro de Moel, reservatório dos Picotes, bem como a requalificação das redes de abastecimento em baixa. Em 04.08.2016 a Cidália dizia, ainda a propósito da revisão, que “a proposta do Executivo inclui: Estudos de simulação hidráulica e subsequentes projectos de reabilitação de reservatório do Alto dos Picotes e construção de duas novas adutoras: Picotes – Marinha Grande e Picotes – São Pedro Moel”. Em 18.08.2016 é aprovada simulação hidráulica e projectos de execução da adutora na proposta de revisão e em 22.09.2016 a CDU apresenta proposta de revisão orçamenta, para a simulação hidráulica e projectos de execução da adutora e reservatório dos picotes em mais de trezentos mil euros. E foi isto! Neste mandato falaram mais algumas coisas, mas, quanto a essas, como estão mais frescas na memória, não transcrevemos. Não deixa de ser interessante ver-se que em 2016 foi aprovada a execução dos estudos hidráulicos os quais ainda estão por ser entregues e ver-se as afirmações que foram feitas por quem hoje tem o poder e o quanto está por ser feito do que disseram que fariam!


Seguir
( 3 Seguidores )
X

Seguir

E-mail : *

Comentar com conta do Facebook

comentario(s) no Facebook

6 comentários

  1. Convém lembrar que a CDU votou contra o Orçamento para que se reforçasse as verbas para a água e saneamento e só aprovou porque tais verbas foram reforçadas. Agora resta o PS trabalhe… Algo impossível! São demasiado incompetentes !

  2. Só para lembrar o que já foi escrito e publicado em vários lados, não deixando esquecer que a CDU foi governo local em maioria com o PSD e a sua primeira GRANDE decisão política não foi investir no Sistema de abastecimento de Água em Alta. Pelo contrário, foi impedir a abertura do novo mercado, mandar para o lixo 2.500.000,00€ e comprometer-se a gastar mais 3.000.000,00€ para fazer outro, queimando o dinheiro que resolvia o investimento nas águas. É o que temos
    SÃO ROSAS SENHOR, SÃO ROSAS.
    Ano da Graça de 2016
    O título remete-nos para uma lenda, em que, por milagre, D. Isabel transforma pão em rosas.
    A proposta de um Orçamento Rectificativo alternativo, apresentado pela CDU, para ser concretizado até final deste ano, assenta na crença de que a lenda pode ter sido uma realidade e os milagres são possíveis. Para um Partido ateu militante, não deixa de ser estranho.
    Ao longo do meu percurso de vida com actividade política activa, parte dela como militante do PCP, habituei-me a olhar para o partido, como um referencial de coerência e de transparência nas posições que defendia, mesmo que delas discordasse.
    Li com muita ponderação as propostas apresentadas e, desde logo, ressalta um amadorismo político e técnico gritante.
    O que vi, foi uma listagem avulsa de investimentos, em que as três primeiras, que valem 4.000.000,00€ (55% do total da verba a inscrever), são IMPOSSÍVEIS DE CONCRETIZAR.
    À cabeça, a CDU, sempre tão rigorosa na gestão dos escassos recursos financeiros da autarquia, coloca como prioritária a construção de um SEGUNDO mercado, (com um novo construído há 11 anos por abrir) prevendo gastar até final do ano, 2.250.000,00€, mais 1.000.000,00€ para anos seguintes, sem explicar onde vai ser construído e sem dizer se já existe projecto.
    Sabemos, através da reacção do Presidente da Câmara não eleito, que ainda nem sequer existe projecto, porque o local ainda não está decidido.
    Espanta-me que aquilo que deveria estar à cabeça de todas as prioridades, que é o reforço das infraestruturas de abastecimento de água em alta, a partir do alto dos Picotes, figura na oitava ou nona prioridade e só para estudos hidráulicos e eventuais projectos. Há mais de 15 anos que se estudou a duplicação das adutoras dos Picotes para S. Pedro e Marinha Grande (só existe uma adutora que pode colapsar a qualquer momento), a construção de um segundo depósito apoiado nos Picotes, para permitir a limpeza e manutenção do único que existe e a construção de uma ETA para desferrizar a água captada naquela zona, onde estão furos desactivados, com um enorme caudal de produção, por a água ter excesso de ferro.
    Tanto quanto sei, este processo foi adiado por o Eng.º José Sócrates, ministro do ambiente à época, nos ter recusado financiamento do Feder, para nos obrigar a aderir à empresa do Baixo Mondego e, a partir de 2005, ninguém mais parece preocupar-se com isto.
    A verdade é que decidi comentar este assunto, porque tenho algumas perguntas directas a fazer à CDU e ao PSD, sobre a primeira das prioridades para desbaratar dinheiro público, a saber:
    1. A CDU e o PSD reconhecem, ou não, que viabilizaram a construção do Mercado Atrium no local onde está construído, quer aprovando ou abstendo-se?
    2. Conhece a CDU ou o PSD, alguma irregularidade nos projectos de construção do edifício destinado a Mercado, aprovados em sucessivas reuniões de Câmara e Assembleia Municipal, que possa ser invocado para se inviabilizar a sua abertura?
    3. Existe alguma deliberação devidamente fundamentada, aprovada pela Câmara e pela Assembleia Municipal, que justifique o abandono de um património municipal avaliado em mais de 2.000.000,00€, valor que se atribui aos terrenos da permuta?
    4. A CDU e o PSD confirmam, ou não, que a obra foi aprovada pelo Tribunal de Contas e foi sujeita a fiscalização no âmbito da actuação ordinária da IGAT (Inspecção Geral da Administração do Território) e nada de irregular foi apontado?
    5. Têm a CDU, o PSD, o + Concelho e o MpM, consciência de que, sem uma fundamentação sólida e sustentada e sem deliberação formal da Câmara e da Assembleia Municipal, não podem delapidar património público, invocando só razões de carácter político e que isso pode incorrer num crime de responsabilidade financeira?
    O texto já vai longo, mas espero, sinceramente, que antes de desbaratarem mais de 3.500.000,00€ a duplicar edifícios, testem o Atrium, depois de repor o que de lá retiraram ilegalmente, propondo aos comerciantes um período de carência de 5 anos no pagamento das taxas e licenças. Se não funcionar, então, serei o primeiro a defender uma solução alternativa.
    Depois, com o dinheiro que não desbarataram e têm no banco, INVISTAM NO ABASTECIMENTO DE ÁGUA.
    Armando Constâncio

    • Oh -Constancio, a sério, já chega.Essa conversa do mercado do Atrium foi chão de deu uvas. Deixa esse assunto morrer em paz, não mexas mais na merda que fizeste, que só fpoi aprovado pelo PSD porque o vereador que lá estava era um fantoche do PS. Aquela localização nunca foi a mais adequada, muito pelo contrário. O que foi construido prestava tanto para mercado como a Avenida Vitor Gallo presta para plantar ananases.
      Deixa a tua dama descansar, que já ninguem suporta essa porcaria dessa conversa de calimero!

  3. Sr Armando. Era só o que faltava vir culpar a CDU da não construção de outro reservatório. Nos últimos 26 anos de poder local o PS esteve lá mais de 20… Portanto, culpe o Alvaro o Vicente e a Cidália e não misture o que não deve ser misturado.
    Para não falar das maiorias absolutas do PS e dos Fundos Comunitários que, por incompetência, não souberam aproveitar.
    Portanto, os culpados de termos o Concelho pendurado por arames, têm nome. São os que acima mencionei. O resto é conversa.

    • Incluindo o proprio Armando Constancio, cuja única preocupação é o mercado que ele quis que fosse para aquele sitio (vá-se lá saber porquê) e como depois se chegou à conclusão que foi um erro colossal e não o querem aproveitar, ele continua com a demanda de o utilizar, mesmo que seja um verdadeiro erro. O que me espanta é que aquelas mentes mal iluminadas não souberam ver o que aconteceu em todas as outras cidades e decidiu fazer um mercado num sitio daqaueles e com aquelas condições.

  4. Contam-se pelos dedos de uma mão, os políticos que estiveram na Marinha Grande, e souberam pensar o futuro desta cidade.
    Nos últimos anos, é nulidade atrás de nulidade…
    Nem com milhões dos outros, fazem alguma coisa. É preciso ser mesmo incompetente!
    É desesperante ver tanta incapacidade, numa altura em que há tudo o resto.
    Custa a acreditar!
    Há problemas com 30 anos, que já nem o são. Simplesmente, porque já passou o tempo.
    Qt mais, pensar à frente.

Deixe uma resposta

Seu endereço de e-mail não será publicado.

  
Please enter an e-mail address

Postar Comentário