CMMG

A Cidália há duas horas veio dar conta das dores que sente pelo facto de ontem ter saído num jornal um texto que dá conta das dificuldades de alguns empresários aqui no concelho. Refere a presidente que a notícia é “um ataque aos funcionários, diferentes executivos políticos e, especialmente, ao bom nome desta instituição”. Não deixa de ser estranho que as dores que agora diz ter tenham surgido mais de um dia depois. Deve ter sido uma dor que foi aumentando gradualmente e não uma dor aguda como aquele que sentem os que ficam mesmo ofendidos quando algo é escrito que não corresponde à verdade. E aí está o problema. O que foi escrito não distorce a realidade que se vive aqui no concelho. As dificuldades que os empresários, que quem tem que recorrer aos serviços da câmara só as sente quem não consegue evitar de lá ter que passar. Claro que a Cidália, que não lê jornais, não vai à internet nem faz nada daquilo que qualquer político deveria fazer, assim que se senta à secretária, não consegue perceber qual é o sentimento que se vive no concelho. Nada do que foi escrito pelo jornal foge à verdade e esse deverá ser o principal problema. O PS não tem sentido que haja quem critique o que têm feito nos últimos mandatos. Aqui na terra a comunicação social está colada ao cheque que anualmente lhes é entregue e, como tal, não faz o que deveria. Os jornais de Leiria têm sido complacentes com o que o PS tem feito. A primeira vez que surge uma notícia que dá conta do que na realidade se passa, sentem-se ofendidos. Esquecem as dificuldades que aqui existem e que noutros concelhos não aparecem. Se outros argumentos faltassem, basta que se passe numa das ruas atrás da câmara para que se veja que ali ainda estão os paredões em cimento que impedem o transito. Quando a Cidália vem dizer que a câmara tem sido quem mais tem feito pela indústria, não sabemos se devemos rir ou chorar. Parece que existe um sentimento de esquecimento generalizado em relação ao que tem acontecido ao longo dos últimos anos, das dificuldades, do tempo e até das taxas que têm vindo a ser exigidas e que levaram já a algumas empresas desistirem de aqui investir. As dores que ontem, já ao final do dia, sentiram, além de serem dores que soam a dores pensadas, são umas que não têm correspondência com o que se passa no concelho, mostrando ser somente mais um desconhecimento e uma tentativa de desculpabilização de serviços que funcionam mal. Mas, como já se imaginava, a culpa nunca é da câmara. E, nessa perspectiva, têm razão. A culpa é de quem ainda se atreve a tentar fazer aqui alguma coisa quando o pode fazer noutros concelhos onde as condições que lhes são oferecidas são claramente mais vantajosas.


Seguir
( 1 Seguidores )
X

Seguir

E-mail : *

Comentar com conta do Facebook

comentario(s) no Facebook

7 comentários

  1. Dizem as línguas rotas dos funcionários que já lhe pedem para se ir embora… como não vai, saem os próprios: um a um, fartos de tanto aturar os caprichos da professora.

  2. Cara Presidente Professora Cidália,
    Felicito-a pelo seu trabalho. Não era necessário fazer o comunicado, sobre um artigo encomendado.
    Todos sabemos que não há memória do Aurélio e seus lacaios terem alguma vez feito propostas estruturadas sobre este assunto. Tristemente faz coro com o PCP, na “caça” ao subsídio, qual sindicalista do patronato!
    Cumprimentos e continue o excelente trabalho que tem vindo a fazer.

  3. O Testa foi corrido da Câmara de Leiria e agora encontrou refúgio na Cidália.
    Triste vida a nossa. Depois do Nelson temos agora o Testa com “emprego” aqui para virem fazer asneiras.

Deixe uma resposta

Seu endereço de e-mail não será publicado.

  
Please enter an e-mail address

Postar Comentário