CMMG

O transito em Picassinos é o caos que se sabe por causa dos camiões. A empresa está a tentar encontrar uma solução que passa por ter adquirido o terreno junto à Estrada do Guilherme (a vermelho) que assim fica com toda aquela zona (a parte a azul já lhes pertencia). Poderá ser a solução, mas há questões que se colocam e que temos alguma dificuldade em ver como as irão resolver. Quem ali passa à hora do almoço ou ao final do dia fica, inevitavelmente, ‘preso’ no trânsito. Já há dias escrevemos sobre isso. A solução que a empresa está a delinear passa por criar uma entrada e saída de camiões junto à Estrada do Guilherme na zona assinalada a vermelho. E a dúvida começa logo aí! O trânsito já é difícil apenas com carros ligeiros, imagine-se o que será com os mais de 300 camiões que diariamente entram e saem da empresa! Como vai ser com os camiões carregados a fazerem ponto de embraiagem na subida para a rotunda? Será que vai ser como agora alguns condutores fazem, que esperam ano fundo do túnel para não terem que o fazer? Um outro problema tem a ver com o acesso pedonal. O acesso ao túnel não é largo o suficiente para que seja criado um passeio. Como será acautelada a segurança de peões? E a ciclovia que se deverá ligar à zona industrial vai ter espaço para passar onde? Desviar o trânsito do meio das casas em Picassinos é uma prioridade, mas há dúvidas que ficam no ar em relação ao que poderá ser a solução futura e à capacidade de articular uma necessidade com as dificuldades que não vemos como conseguirão ser ultrapassadas.


Seguir
( 5 Seguidores )
X

Seguir

E-mail : *

Comentar com conta do Facebook

comentario(s) no Facebook

18 Comentários

    • Caro Anónimo. Não nos parece que essa seja uma solução que interesse sequer que seja equacionada. Agora que há dúvidas sobre o modo como irá ser encontrada a solução, parece-nos evidente e, tendo em conta a ‘agilidade’ mental dos que nos governam, não vemos que seja dúvidas facilmente esclarecidas.

      1
      1
  1. Talvez passe pela construção de uma ponte por cima da estrada dos Guilherme, e os camiões entram no sentido sul /norte e saem no sentido norte/sul. Não utilizando assim o túnel.

  2. Seja como for, terá muito mais lógica canalizar os camiões para a zona industrial do que para a porta da população de Picassinos. Há pessoas, seres humanos, que vivem ali. E as autoridades não actuam? Não autuam?! Se isso começar a acontecer, certamente que procuram soluções.

    • Caro Anónimo. Naturalmente que o problema já deveria ter sido resolvido. A questão está em saber como conciliar a solução com as questões que colocámos e que acreditamos que possa haver outras que nem nos lembrámos.

  3. Engraçado…. Este problema já há muito que exige uma solução!!!
    Mas mais engraçado é que esta empresa que durante muitos e muitos anos pertenceu a uma família conceituada nunca se falou tanto neste assunto !!!!
    Será que o largo tem alguma coisa contra os espanhóis !!!
    Ou então escrevem a mando de quem ???

    • Caro Sempresorrir. Possivelmente nunca se falou tanto no assunto porque nunca, como agora, a questão tem sido abordada pelos políticos com uma promessa de resolução que, pelo que se tem assistido, não existe. Se temos alguma coisa contra os espanhóis? Óbvio que não. É-nos indiferente se são espanhóis ou portugueses. Sabemos, no entanto, que tem existido alguma dificuldade na gestão do assunto dos camiões, agravada por algumas regras que foram implementadas desde que a gestão passou para os espanhóis designadamente no que diz respeito ao registo de entrada de viaturas.

      • A muitos anos que nós moradores reclama-mos uma solução… Temos as nossas casas muito danificadas por durante muitos e muitos anos o trânsito de pesados ser demasiado para as ruas em questão!!!!
        Se existem promessas… É mesmo isso só promessas!!!!
        Pois a política em Portugal não passa disso mesmo… Promessas …

  4. A Marinha Grande no seu melhor.
    Há problemas, têm de se arranjar soluções para os resolver…
    Encontram-se as soluções de novo são levantados obstáculos à sua resolução.
    É por estas e por outras que o concelho da Marinha Grande está no marasmo que está, para além da incompetência comprovada de Cidálias, Caetanos, Célias, Aurélios, Denguchas e outros que tais.

    • Caro Anónimo. Não se trata de haver obstáculos. Trata-se de fazer as coisas bem feitas. Não é ainda conhecido o projecto e, como tal, não podemos afirmar que vá haver problemas. Não significa que não tenhamos dúvidas. Se as dúvidas puderem servir para que quem decide não cometa erros ou que a solução dissipe as dúvidas, parece-nos que poderá ver no texto um contributo para que não haja problema futuros mais do que o levantar de obstáculos.

  5. O Álvaro Órfão talvez seja mais culpado que a Cidália porque permitiu aquela aberração do túnel inviabilizando a solução de uma passagem desnivelada a norte onde a Santos Barosa teria obviamente de financiar.Deste modo a passagem de nível seria fechada e a fábrica anexava toda aquela zona

    • Caro Anónimo. Veja bem! Quando nem nós sabemos, e sabemos mais que a generalidade dos munícipes, imagine como estarão todos os que aqui vivem. Mas não se preocupe com o que sabemos ou não, porque nesta matéria nem os eleitos sabem o que fazer! Temos a vantagem de pensarmos no assunto e exteriorizarmos as dúvidas. No seu caso, pensou ou sabe o que isso é?

Deixe uma resposta

Seu endereço de e-mail não será publicado.

  
Please enter an e-mail address

Postar Comentário