CMMG

Há quase 15 dias a Cidália foi questionada sobre a questão da lei das transferências, ou seja em relação à lei que prevê a possibilidade de o Governo passar para as autarquias responsabilidades. A Cidália optou por empurrar o assunto com a barriga com a justificação de que iria haver diplomas sectoriais e que só nessa altura se pronunciaria. Em vez de agarrar o assunto de frente, preferiu contorná-lo. Pois bem, ontem o Conselho de Ministros aprovou já sete “diplomas sectoriais” nas áreas da “justiça, policiamento de proximidade, jogos de fortuna e de azar, gestão de praias marítimas fluviais inseridas no domínio público hídrico do Estado”. Diz o Governo que quer este assunto arrumado até 15 de Outubro com os 23 diplomas a serem todos aprovados. Significa isto que agora não há mais desculpa para que não assuma já o que é a sua posição. Pode desde já antever-se um problema. A lei que prevê essa transferência de competências foi aprovada apenas com os votos do PS e PSD. A Alexandra deu já a conhecer que está contra. Fica por saber o que o Aurélio pensa sobre o assunto, sendo previsível que a Cidália não vá contra o partido. Desde Julho que se sabe que o Governo quer transferir competências, mas à boa maneira do que acontece aqui na terra, tudo é deixado para a última hora, quiçá para que não haja já grande tempo para que o assunto seja discutido e debatido com a profundidade que merece. A Cidália, sempre tão preocupada com o relógio, está a deixar para os minutos finais a tomada de posição sobre o assunto, e é quase certo que quando o tema tiver que ser votado em reunião de câmara o irá fazer à porta fechada para que os munícipes não fiquem a conhecer, ao vivo, os argumentos que irão ser usados por todos. Uma coisa parece ser certa, se a Cidália não conseguiu ainda (e não o deverá conseguir) reorganizar os serviços, como irá conseguir assumir mais responsabilidades? A mãozinha que tem vindo a dar ao Governo em assuntos como as matas ou o centro de saúde não é nada comparado com aquilo que o Governo quer que passem a ser as competências das autarquias, e tudo aponta para que a Presidente vá querer ficar bem na fotografia junto do Governo dando o sim ao que eles querem. É, por isso, quase certo que a questão da transferência ou não de competências possa vir a ficar na mão do Aurélio e da decisão que possa tomar em relação ao assunto. Um assunto que poderia já há muito estar a ser debatido vai ficar para a última da hora, desnecessária, mas muito convenientemente!


Seguir
( 1 Seguidores )
X

Seguir

E-mail : *

Comentar com conta do Facebook

comentario(s) no Facebook

2 Comentários

  1. Muito bom post e uma análise muito realista.
    Supõe-se que o Aurélio, à semelhança do Presidente da Câmara do Porto também ele de um Movimento Independente, vote contra esta transferência de competências e contra a intenção, já confessada, da Cidália fazer mais um frete ao Governo.
    Esta Câmara já demonstrou não ter capacidade para gerir o que, actualmente, lhe compete e não terá, com certeza, capacidade para mais. Arrumem a casa e deixem-se de irresponsabilidades porque estamos a falar na Educação dos nossos filhos e na nossa Saúde.
    Talvez pela primeira vez a Cidália tenha um laivo de lucidez e ponha a cima dos interesses do Partido os interesses da Marinha e dos Marinhenses. Não falo na opinião do Caetano e da Célia porque esses, como se tem visto, são dois verbos de encher, duas marionetas manipuladas pela Cidália e sobretudo pelo Sr. Padre (ex) e pelo “nosso querido JPP”

  2. Está nas mãos da Oposição impedir que a Cidália cometa mais um dos seus desvarios e prejudique, de novo, o nosso concelho.

Comentários estão bloqueados.