CMMG

Nem sempre acreditamos nas imagens que nos aparecem no Google porque as fotos tiradas pelos carros que permitem ver quase tudo são já antigas. Quando hoje fomos ver o estado em que estava o Jardim de Infância da Amieirinha no Google (imagem que está em cima) achámos que estava desactualizada. Não quisemos acreditar que a dois dias do início das aulas e da abertura dos espaços às crianças aquele local estivesse com um ar tão abandonado. Não quisemos acreditar que não tivesse havido o cuidado de colocar relva onde as crianças brincam e que aquele espaço estivesse com o aspecto de abandono tão grande. Fomos, por isso, ver o quão erradas estavam as imagens que aparecem no Google. Tirámos fotos ao estado em que aquele espaço se encontra a dias de receber as crianças. Não se vê relva verde, a não ser algumas ervas daninhas, e o espaço onde as crianças poderão brincar está repleto de erva seca, sem qualquer condições para que as crianças ali possam estar. Facilmente se conclui que as imagens que aparecem no Google, apesar de antigas, estão perfeitamente actuais! Durante todo o período de férias não houve tempo para dar um arranjo àquele espaço ou mandar semear relva. Possivelmente também ali deve ter havido infestação. Lamentavelmente é uma que dura há anos.

 

 

 


Seguir
( 8 Seguidores )
X

Seguir

E-mail : *

Comentar com conta do Facebook

comentario(s) no Facebook

19 Comentários

    • Para quando temas tratados com seriedade no largo,sem oportunismos político!? É urgente eleições no largo, pois precisamos de um novo executivo que respeite quem o frequenta, sem a censura “SPAM” ou lápis azul!!

      2
      1
      • Caro MOV. ELEIÇÕES NO LARGO JÁ. Quando é que usámos oportunismo político? Não respeitamos quem aqui vem? É por respeitarmos quem aqui vem que implementámos regras que impedem alguns comentadores de serem ofensivos ou usarem termos ofensivos. Se todos escreverem de forma civilizada, as regras automáticas de controle de SPAM não actuam. Veja bem que até foram permitidos três comentários seus iguais! Quer mais liberdade do que isto?!

      • Sr. Curioso,
        Referindo-se a regras, não encontro em nenhum menu deste site as ditas regras, supostamente de conduta. Parece um absurdo dizer que implementaram regras, ainda por cima automáticas, e não as divulgarem. Sendo automáticas é fácil a sua divulgação. Como é que podem ser cumpridas se são desconhecidas?
        Agradeço, a bem da transparência e da credibilidade deste site que sejam urgentemente divulgadas, para que todos se possam entender e conviver, sem arbitrariedades e num ambiente de liberdade democrática.
        Obrigada e cumprimentos

      • Cara Crisália Nobre. As regras são simples e nem precisam de ser escritas. Chamam-se ‘bom senso‘ e ‘educação‘. Numa qualquer conversa que tenha com qualquer pessoa não argumenta insultando-a, correcto? Não desenvolve a conversa afastando-se do assunto e em vez de ‘alhos’ fala em ‘bugalhos’, correcto? Nessa conversa não usa palavrões, correcto? Não existe qualquer arbitrariedade. Existe uma lista longa de palavra e expressões, que por razões óbvias não as escrevemos aqui por não deverem ser usadas num diálogo normal, que, quando um comentário é escrito, se contiver uma ou mais palavras que correspondam às que estão nessa lista, é eliminado automaticamente. A título de exemplo: se escrever um comentário que tenha escrito, por exemplo, f*** da p*** ele é automaticamente eliminado. Existe também a gestão de comentários que é feita por um sistema externo que faz com que um comentário que tenha um link para um site pornográfico, imagens explicitas, incite à violência ou algo semelhante faz com que o comentário seja eliminado. Por isso, desde que os comentadores não usem palavras que numa conversa normal não usariam, não se insultem entre si ou a terceiros, nada é cortado pelo controle anti-SPAM.
        Até lhe deixamos os elementos estatísticos:

      • Sr. Curioso,
        Sabemos que qualquer bloguista pode recorrer a um software “anti-spam” para assegurar que não coloquem publicidade indesejada do seu blogue. Sabemos também que qualquer bloguista que não é capaz de manter a ordem num blogue é suscetível de usar esse software. Sabemos também que um bloguista que esteja virado para os seus leitores e comentadores não necessita de impor a ordem com recurso a esse software, porque consegue mantê-la pela autoridade que consegue granjear junto dos que participam no blogue. Dito isto, o Curioso personifica o oposto de tudo o que um bloguista deve ser. No momento em passou a utilizar um software “anti-spam” para manter a ordem é o momento em que se fica a saber que é incapaz de manter a autoridade que como bloguista devia ter, pura e simplesmente, não consegue manter o respeito. O respeito conquista-se, não se impõe. Não lhe parece?
        Cumprimentos,

      • Cara Serenela. O “software” anti-SPAM está instalado desde sempre. Só assim se conseguem evitar os robots e as publicações disseminadas quase automaticamente. Coisa diferente foi a necessidade de aumentar o nível de cuidado com a utilização de termos impróprios. Essa utilização de palavrões ou comentários ofensivos começou no mês passado, com uma vaga de comentadores (alguns que se multiplicavam em pseudónimos) cujo único objectivo era desestabilizar e desviar as atenções para o que não interessa. Desde que aumentámos o nível de controle e desde que começaram a ver que comentários insultuosos não passavam, deixou de os haver. Há uma semana que não há nenhum comentário desse tipo e, como tal, o blog voltou ao que era, com comentadores que conseguem manter a discussão dentro dos parâmetros do normal. Manter a ordem quando há desordeiros só se consegue com recurso à força. É assim em todo o lugar, até aqui! Felizmente pensamos que os que aqui vêm, como é o seu caso, que coloca as questões de forma educada, ainda que crítica, pretendem apenas que se discutam os assuntos que podem ter interesse para o concelho. É verdade que o respeito se conquista e parece-nos que temos vindo a conquistá-lo ao longo dos anos. O que se passou no mês passado foi, parece-nos, apenas uma tentativa de alguns de nos calar. Não funcionou e pensamos que tudo voltou à normalidade.

      • A ver pelas estatisticas do Sr. Anti-Spam, relativas aos meses de julho e agosto tudo parece indicar que foram alguns emigrantes indignados, a quem o Curioso, numa total falta de consideração, cortou a palavra. è assim que se tratam os nossos….

  1. Para quando temas tratados com seriedade no largo,sem oportunismos político!? É urgente eleições no largo, pois precisamos de um novo executivo que respeite quem o frequenta, sem a censura “SPAM” ou lápis azul!!

    2
    1
  2. Para quando temas tratados com seriedade no largo,sem oportunismo político!? É urgente eleições no largo, pois precisamos de um novo executivo que respeite quem o frequenta, sem a censura “SPAM” ou lápis azul!!

    2
    1
  3. A senhora presidente da junta gasta o tempo a postar nas calhandrices que lhe falta depois para fazer o trabalho que deve.
    E não venha, como é habitual, justificar-se com as massa asfalticas.

  4. O que vejo nesta foto é o abandono total da Escola por parte da Câmara! Não é a limpeza da Junta que está em causa! Limpar o quê? A Câmara é que devia cuidar dos espaços e a Junta limpa! Não é ao contrário!

  5. Em conversa há uns anos com um professor, que já tinha feito parte de um governo, dizia que os piores inimigos estavam dentro do partido.
    Ler um mail de um chefe de gabinete a exigir a demissão da Presidente de Câmara, sua superior, e continuar por lá como se nada se tratasse nem que ninguém ache que depois da polémica haja que dar explicações aos munícipes não abona nada a favor dos intervenientes da história, quem visou e quem foi visado.
    E mesmo os que lhe atiram flores e elogios pela frente, muitas vezes são os espetam facas por trás.
    Este problema das escolas em muitos lados foi resolvido com um centro escolar. Pode não ser muito popular de início mas na minha opinião é mais eficiente que ter meia-dúzia de escolas básicas.
    A Srª Presidente de Câmara em vez de se rodear de assessores com competências técnicas que possam ser uma mais valia parece querer transformar a autarquia numa espécie de seminário, entre os que já lá estão e os que se preparam para ir para lá.
    Os últimos mandatos autárquicos foram uma desgraça e o que se avizinha de futuro não parece melhor.
    Uma presidente de câmara não tem que estar preocupada nem com floreiras, nem com os baloiços ou caleiras da escola A ou B.
    A Marinha Grande está a ser governada como se uma Junta de Freguesia se tratasse.
    Tem de se pensar em grande e a longo prazo. Obras estruturantes: Piscina municipal, centro de transportes, variantes, sistema de abastecimento de água, praia/turismo, Museus, etc. Tem que delegar e exigir dos técnicos que a câmara possui. Nem tudo acaba na responsabilidade política da Presidente de Câmara. Quando se deixa enredar nas mesquinhices “politiqueiras” cá do burgo nem está a fazer o serviço para que foi eleita nem quem a enreda nessas mesmas mesquinhices é alguém que possa merecer a confiança no futuro dos marinhenses.
    Só apetece voltar para a ilha …

    • Pode o esclarecido comentador, referir algum antigo presidente do munícipio que seja recordado, como competente e que possa servir de exemplo do que deve ser uma boa administração de uma autarquia? E já agora pode referir-me alguma figura da actualidade política “cá do burgo” que tenha capacidade e preparação para tal e possa merecer a confiança dos marinhenses.

      • Na minha opinião o sucesso de uma boa administração está na constituição da equipa.
        Um dia destes um colega desafiou-me a candidatar a um cargo público de direcção e eu respondi-lhe que aquela não era a minha área e não sentia que pudesse acrescentar mais valia e com certeza haveria quem merecesse aquele lugar mais que eu.
        Se um autarca quer levar alguém que considere competente para a sua equipa “fora do meio partidário” provavelmente não consegue e às vezes mesmo dentro do meio partidário já é complicado.
        Também “olho para as figuras da política cá do burgo”. Honestamente não privo pessoalmente com algum, por isso não me parece bem fazer juízos de valor.
        Mas vou lendo/vendo a participação pública. Noutros países são impensáveis as “guerrinhas e provocações”. Jamais se chumba uma boa proposta só porque veio dali ou de além. Enquanto uns remarem para a direita e outros para a esquerda, o barco não sai do sítio, e se algum remar com mais força, mas não a suficiente para andar para a frente, anda às voltas o que ainda é pior pois ficam tontos e cansados.

        Números redondos a Marinha Grande tem 40 mil habitantes. Mal seria se não houvesse por aí gente capaz e há, a prova disso é força do tecido industrial. Achei interessante a criação de duas listas independentes o que significa que o interesse em participar até existe. Às vezes penso que são necessárias actividades para as pessoas aparecerem. Eu até vou aparecendo, mas mais para ouvir.

        “Nas minhas sondagens” antes das últimas eleições autárquicas o adjectivo mais comum para a decisão de votar na actual presidente de câmara era ser uma pessoa simpática e acessível. Antes simpática que antipática, digo eu. Tendo em conta que a senhora já pertencia aos executivos anteriores até dava de barato que com a experiência adquirida, uma boa equipa e da cor do governo, algo se pudesse fazer.
        Vai fazer um ano de mandato e pelo meio teve uma das maiores tragédias naturais que alguma vez atingiu a Marinha Grande. Sendo simpática, sabe que com vinagre não se apanham moscas. Mas às vezes a sensação que fica é que é muito mais subserviente a Lisboa/partido que ao município que lidera. Já diz o povo: “Quem não chora não mama”. Isto é o que me parece mas posso estar redondamente enganado. O tempo o dirá. Alguns dirão que não há mais tempo.

        Hoje em dia e talvez desde sempre, falar em competências dava para escrever um tratado.
        Sun Tzu e a “A Arte da Guerra” devia ser de estudo obrigatório nas escolas. Alguns pensamentos sobre o método e a disciplina e a liderança/comando são tão actuais que até faz impressão.
        António Costa não se deve deixar adormecer uma noite que seja sem ler um bocadinho das obras principais de Maquiavel ou Sun Tzu, além das informações dos grupos de popularidade ou lá o que seja.
        Se a senhora presidente de câmara tivesse um décimo da “ratice” do seu chefe de partido…

  6. O ano letivo começou, as obras das escolas atrasadíssimas ou por executar, os recreios e espaços de laser das escolas em estado deplorável… etc … etc … e o responsável político municipal, Carlos Caetano, foi de férias.
    Os trabalhadores do município estão sem orientações, estamos todos á deriva já que os chefes também não têm orientações, estamos todos ao abandono, tal como o resto do concelho.

Deixe uma resposta

Seu endereço de e-mail não será publicado.

  
Please enter an e-mail address

Postar Comentário