Duas caras

CuriosoAM, Ana19 Comentários


Na AM a Ana quis marcar posição, criando um caso insólito. Sendo vereadora quis falar como munícipe. Apanhado de surpresa, o Guerra lá deixou passar e deixou-a falar, saindo da mesa e passando para o lado dos munícipes, mas, a nosso ver, de forma errada. Um vereador é um munícipe, mas encontra-se ‘vestido’ de uma posição atribuída pelo voto que lhes dá uma qualidade diferente. Ali, naquele órgão, têm uma qualidade diferente dos demais munícipes. Estão ali em representação de um órgão para o qual foram eleitos e não podem, só porque lhes apetece, despir o cargo que têm para passarem a ser um munícipe normal. Um vereador pode falar sempre que o presidente da câmara lhes dê a palavra e apenas nessa situação poderão intervir. Querer desempenhar os dois papeis é um contra-censo. Não se percebeu porque motivo a Ana fez questão de intervir tanto mais que o que disse poderia tê-lo feito por escrito. É evidente que a intenção foi a de deixar publico que estava a querer afrontar a Cidália já que a sua intervenção se limitou a pedir uma certidão. Percebeu-se que não consegue despir-se do papel de técnica já que continua a fazer questão de citar leis, como se isso fosse algo necessário! Não é compreensível que um vereador queira ter nas assembleias municipais duas caras, uma de vereador e outra de munícipe. Ou é uma coisa ou é outra, até porque um vereador nunca fica diminuído dos direitos de munícipe já que ele está naquela reunião em representação dos que o elegeram no órgão para o qual foram eleitos, ocupando lugar num cargo onde pode colocar todas as questões ao executivo permanente que um munícipe não pode. Da leitura que fizemos de vários regimentos de assembleias municipais, não conseguimos encontrar um onde se preveja a possibilidade de os vereadores despirem-se da qualidade que têm para, por momentos, passarem a ser meros munícipes com direito a intervenção. Desconhecemos qual irá ser a decisão que o Guerra irá tomar se situações futuras surgirem ou qual a decisão da comissão de revisão do regimento em relação à proposta do Wilson, mas parece-nos claro que permitir-se que um vereador queira fazer o papel de ‘Olívia patroa, Olívia empregada’ é uma perversão daquilo que devem ser os lugares que cada um ocupa na hierarquia política do concelho. A Ana quis criar um facto político, e criou, mas, a nosso ver, sem razão e sem necessidade.


Seguir
( 7 Seguidores )
X

Seguir

E-mail : *

Comentar com conta do Facebook

comentario(s) no Facebook

19 Comentário em “Duas caras”

  1. Avatar

    O mais estranho ainda, e que fiquei com dúvidas, foi que um munícipe tem mais força e credibilidade para pedir documentação que um vereador? Estranho?
    E já agora qualquer pessoa do público da sua confiança política poderia fazê-lo.
    Enfim, novas guerrinhas femininas de demonstração de poder. Típico de mentes mesquinhas e fracas. Ambições saloias e provincianas. Já agora o tempo de presença na reunião desta vereadora, deveria ser descontado, dado que esteve em part-time:)

  2. Avatar

    Meu caro amigo.
    Há 3 semanas que estou fora do pais e ao regressar infelizmente , em termos políticos, tudo esta na mesma para não dizer que está pior.
    A decisão do P.A. permitir que um/a vereador/a intervir nos 5 min.dado ao público,é anti regimental e abre um grave precedente. A partir de agora os Deputados da Ass.Municipal passam a ter mais 5min
    cada um para além do que o Regimento define para cada força política e o direito à palavra que pertence à Presidente ou ela aceita dar a qualquer um dos Vereadores passa a ser da Presidente e 5 minutos de cada vereador/ a que é manifestante contra a lei.
    Um deputado ou vereador não pôde pertencer a este órgão autárquico às 9 da noite , às 10 horas é um cidadão com direito a 5 min. de intervenção e às 10 e 30 volta a pertencer ao órgão onde interveio como público.
    O Sr.Presidente da Assembleia na minha modesta opinião avaliou muito mal o pedido de intervenção da Sra.Vetradpra Ana e criou um grave probleme para si próprio como Presidência deste órgão ..
    Esta a minha opinião que a deixo para si.
    Um abraço
    Telmo Ferraz

    Enviado a partir do meu smartphone Samsung Galaxy.
    ——– Mensagem original ——–

    1. Avatar

      O Luís Guerra Marques está a mostrar uma capacidade muito superior ao Telmo Ferraz na condução da AM.
      Ele nunca deixaria que um deputado fizesse o que fez o João Paulo Pedrosa e atacasse cobardememte um vereador e uma deputada que por ser funcionária da Câmara quiseram condicionar. Tivemos de ser nós a chamar-lhe à atenção nessa mesma Assembleia.
      Tenho a certeza que se isto acontecesse com alguém, independentemente da força politica, manteria o respeito que deve ter um órgão como a AM.
      Se o Presidente da AM acedeu é porque tinha razões para o fazer.

  3. Avatar

    Concordo em absoluto com o que diz o Curioso e Telmo Ferraz, aliás brilhante deputado e ex-Presidente da Assembleia Municipal. Abriu-se um precedente que não está previsto nem no anterior nem no atual regimento. Muito mau. Parecem não aceitar as regras da democracia.

    1. Avatar

      Para além de tudo o que foi escrito, esta aberração de alguém que vai à A.M. enquanto vereadora, assina a respetiva folha de presença, toma assento na qualidade e no local destinado à vereação, recebe a correspondente senha de presença e vai daí… intervém enquanto publico… valha-nos Deus! é esta “douta sapciencia” técnica superior de uma Câmara?????????
      Da intervenção da dita, apenas para requerer uma certidão, o Sr. Presidente da A.M. abriu outro precedente que se poderá tornar caricato. A partir de agora qualquer municípe, em vez de apresentar nos serviços da Câmara ou enviar qualquer requerimento pelo correio, inscreve-se na sessão da A.M. e requer oralmente o que quiser. Um destes dias lá iremos assistir à apresentação de requerimentos orais para despejo de fossas, ocupação da via pública, licença de porta aberta, venda ambulante, sepulturas nos cemitérios, ……. eu sei lá que mais…. Veremos qual o deferimento do Sr. Presidente da A,M.
      Isto realmente só nesta terra, pois que se fosse em Ourém a dita vereadora nem se atreveria esperteza saloia.

  4. Avatar

    A Ana está a querer destacar-se mas não lhe está a correr bem. Nas reuniões de câmara faz o mesmo. O que se passou na assembleia municipal foi uma cena de teatro evitável.

  5. Avatar

    E ainda pensei que a Ana fosse fazer uma intervenção de jeito! Já que criou tanta polémica, ao menos tinha aproveitado para ser polêmica na intervenção! Pedir a cópia da intervenção da Presidente de Camara? Está na acta!!!! Que estupidez.

  6. Avatar

    Ficou finalmente claro. A intenção da Ana é manter o palco e os holofotes sobre seu ego. Para isso, recorre a expedientes de esperteza saloia, usando indevidamente vantagens sem qualquer respeito pela Assembleia Municipal e pelo seu Presidente que, aliás, se deixou levar pelo canto da Sereia, abrindo assim um precedente que não poderá negar a todos aqueles que ali poderem assumir dois papeis.
    Na mesma linha, percebe-se também que a intenção do Wilson, com a alteração ao regimento, é manter a campanha eleitoral em todos os palcos, procurando transformar todas as ocasiões em “arena política”, ainda que sem política a apenas com arremedos e floridos tecnocratas .
    No que toca às “arenas políticas”, mas que diferença de ambiente entre a Assembleia Municipal e a Reunião de Câmara. O primeiro é pautado pela elevação, pela argumentação política “tout court”, pelo respeito, mesmo quando o MpM revela o seu toque arrogante de por tudo e todos em causa com jogos de baixa política (nem o presidente permitiria que fosse de outra forma). Já na Câmara, é o que se vê. Um permanente confronto de guerrilha, a permanente paranóia, a 7ª arte na política com a habitual encenação para entreter a turba.
    Para aqueles que avidamente esperavam as transmissões destes órgãos em livestream, para para justificar as suas adjectivações e insultos , é bom lembrar que estas transmissões põem tudo a nu. Não estão sujeitas aos filtros maliciosos e manipuladores que na maioria das vezes aqui se podem ler. Expõem-se também aqui aqueles que se julgam alheios ao olhar crítico de quem os vê.

  7. Avatar

    Posso dizer que estive presente na Assembleia, dai o meu primeiro post. E verifiquei que oposição pura e dura não existe. PCP mais da mesma cassete, direitos e mais direitos, bla bla bla. Os deveres e mais produtividade zero. O + concelho está morto. Psd a precisar urgente de nova liderança, felizmente parece haver boas notícias na praça . MPM grupo de vaidosos que regionalmente nada representam e as ideias que surgem são saloias. O confronto na Assembleia é deslavado, o qual merece ser apelidado de hipocrisia caviar. Um presidente da AM já sem paciência para o cargo.
    Estamos tramados.
    Abraço

  8. Avatar

    Esta foi a forma que a vereadora do MPM encontrou para chamar a atenção para um problema maior que é a falta de respostas que os munícipes vão tendo todos os dias por parte de quem os governa.
    Grave mesmo é o estado letárgico em que o concelho se encontra.

    1. Curioso

      Caro Anónimo. Tem razão quando refere que estamos com um concelho, em muitas áreas, em situação pré-comatosa, mas havia necessidade de ter sido feito daquele modo?

  9. Avatar

    Volto a referir e quem viu em direto a AM, que nas intervenções dos deputados nada foi dito sobre a situação desastrosa da governação da camara, estava tudo bem. Tudo passou quase por unanimidade. Nem um debate sobre o plano plurianual, entram mais 50 pessoas no quadro da camara e está tudo bem, não se fala na necessidade do progresso da cidade, visão futura…
    Devo deixar aqui uma resalva para uma boa ideia do deputado Artur jorge, relativo a reativação do comboio de lata.
    De resto é tudo joguinhos de bastidor. Se algo está mal, e se a ( municipe) Ana não se faz ouvir é porque utiliza os canais errados e
    não tem credibilidade para o cargo, logo em protesto deve sair e deixar o lugar para a pessoa que esta a seguir na lista.
    Teatros infantis é que não.
    Abraço

  10. Reactivar o comboio de lata. Que bem faz ao nosso ego marinhense, como seria romanesco uma ida a S Pedro ou um passeio no dia da espiga pela mata.
    Mas já agora que tal fazer um estudo econômico da coisa?
    Se calhar acordava e caía na real

    1. Avatar

      Em matéria de cair na real, dois pontos, lições de estudos económicos a seu tempo poderemos falar, estarei certamente mais a vontade que v. Excia. Não querendo ser advogado do diabo o que destaquei foram as ideias, que neste momento são zero na câmara e assembleia. Porque a marinha grande tem um potencial que nunca foi explorado. Já agora e voltando ao tema inicial gostou do plano económico do espetáculo Paulo gonzo? Acha estee xecutivo capaz de prepar algum projecto de visão futura? Não creio…

  11. Avatar

    O problema está aí, os senhores do Mpm estão a revelar-se também uma nódoa, penso que no futuro terão o mesmo caminho do +concelho. Só com grandes injecções de capital privado poderão continuar nas urnas como aconteceu nas últimas eleições. Para fazer figurinhas tristes como a Ana, dispensamos obrigado.

Leave a Reply