CMMGMatas

Ontem a questão do memorial aos incêndios deu mote a noticias nos jornais e a muitos comentários nas redes sociais. Parece-nos que a única parte boa que o memorial tem é o facto de o preço ficar nas mãos de um conterrâneo. Fomos, no entanto, fazer contas. A câmara comprou pinheiros que vai plantar na iniciativa da próxima semana e comprou pinheiros com o donativo da cidade geminada. Comprou 40.000 pinheiros com o nosso dinheiro e 50.000 com o que foi oferecido. Feitas as contas, com o dinheiro que se vai gastar para fazer o memorial poderiam ser comprados 1.862.069, se considerarmos o preço que a câmara pagou com o dinheiro oferecido, ou 1.542.857 se comprados ao preço que a câmara comprou com o nosso dinheiro. Ou seja, já que é para gastar dinheiro, porque não gastá-lo em algo que as gerações futuras possam desfrutar e não em algo que apenas nos vai trazer tristeza. A ideia de que há que ‘sepultar os mortos e cuidar dos feridos’ parece ser o contrário do que aqui se faz. Gasta-se sete mil euros na compra de pinheiros e duzentos e dezasseis num memorial! Todos os executivos gostam de deixar algo que os marque e a ideia deste parece ser a de deixar algo que não serve para coisa alguma, mas provavelmente irá ter uma placa com o nome de quem irá fazer a inauguração, e essa placa irá ficar para o futuro. Nos anos que se seguirem ficamos com a garantia de que a quinta-feira da Ascensão poderá não ser feita à sombra de pinheiros, mas poderá sê-lo à sombra de um gigante de aço. E ainda há quem critique o busto que está no aeroporto da Madeira! Esse  é uma brincadeira de crianças quando comparado com o que aqui se vai fazer.


Seguir
( 8 Seguidores )
X

Seguir

E-mail : *

Comentar com conta do Facebook

comentario(s) no Facebook

22 Comentários

  1. Há que louvar! Já não podemos acusar de nem sequer saberem gastar o dinheiro. Fica o mérito da movimentação dos Euros para ajudar a economia.

  2. “Parece-nos que a única parte boa que o memorial tem é o facto do preço ficar nas mãos dum conterrâneo.” sic
    Esperava muito mais do Curioso. Gostava que de vez em quando intercalasse, discutindo ideias e politicas em vez de, como faz sempre, atacar pessoas, curiosamente (quase) sempre as mesmas, usando do populismo mais básico.
    Os nossos netos hão-de olhar um dia para o memorial, esperemos que artisticamente tão bem conseguido como é usual no autor, e ficar gratos e orgulhosos por terem tido antepassados com preocupações para além do mesquinho. O incêndio de Outubro, promovido ao que se vai sabendo por mandato de interesses criminosos e tornado possível pela incúria, incompetência e desonestidade intelectual de quem tinha a obrigação e o mandato para defender o património, foi sem dúvida a maior tragédia em todos os tempos vivida no Concelho que se junta às maiores tragédias nacionais. É essencial que a sua memória perdure pelos tempos, bem como o testemunho da dor que vivemos.
    Depois, por alguma razão cultural o Povo põe na espiga da Ascensão as papoilas coloridas, que não sendo alimento nem riqueza, simbolizam a ideia de que a vida não deve ser só sacrifício.

    • Caro Anónimo. Só porque a decisão foi tomada pela câmara temos que concordar com ela? Não temos direito a ter opinião e expressá-la? Que se faça um memorial aos que combatem os fogos, que se lembre a incúria dos que mandaram e mandam estamos de acordo. Que se gaste dinheiro para lembrar algo que está vivo na memória de todos e irá ficar durante muitas e muitas gerações, parece-nos desperdício de recursos que poderiam ser utilizados para, por exemplo, comprar pinheiros. Os nossos netos irão olhar para o memorial e irão pensar na incompetência dos que permitiram que o pinhal ficasse no estado em que ficou e pensar porque se fez aquela obra e não se plantaram pinheiros para eles poderem vê-los crescer.
      Quanto à discussão de ideias, nós tentamos, mas nem sempre quem aqui passa está muito virado para uma discussão sã e transparente, optando muitos pela discussão rasteira.

  3. O autor do memorial é conterrâneo? Mora no Concelho? Não
    Faz parte das listas do Aurelio do MPM?
    Sim é Sim
    O MPM paga assim aos seus apoiantes?

    • Peço ao anónimo das 15:40 que me esclareça. Mas foi o MPM que mandou fazer o memorial? É que até agora na minha santa ignorância, pensava que, quem tinha o poder executivo da Câmara era o PS. Será que houve novas eleições sem eu saber, o MPM ganhou e já é executivo? Por favor esclareça-me, se calhar estou muito desatualizado em relação ao que se passa em termos políticos no nosso concelho.

      • Não se esqueça que a proposta foi do MPM, e a oposição tem a maioria. . Se não fosse aprovado, o orçamento chumbava.
        A há mais que se diga sobre tal coisa
        E para mim o que move esses movimentos do trazem esse tipo de promiscuidade . O autor é membro efectivo da Assembleia Municipal.
        Fosse com um elemento do PS e imaginem o folclore que não seria por aqui.

  4. O Memorial será a imagem da Cidália com a mangueira do bombeiro em punho! A bricolage tem limites Sra Presidente sabe lá de quê!!!

  5. De quem foi, afinal, a paternidade da proposta?
    O Curioso não acha curioso que ninguém da oposição escreva uma linha sobre o assunto?
    Se era assim tão descabido, como passou na CM e na Assembleia Municipal sem qualquer reparo e sem votos contra?
    Ficam as perguntas para o Curioso responder.

    • Caro Anónimo. Está enganado. O +concelho opos-se na AM. Foi aliás esse o fundamento para não aprovarem o orçamento.

      • Caro Anónimo. Parece-nos que a resposta que demos esclarece. Se apenas o +C levantou o problema pode concluir-se que tudo o mais concordou.

      • Caro Anónimo. Pelo que vem na notícia da Lusa o autor foi o próprio artista plástico.

  6. Sr.anónimo deslumbrado, deve respeitar as críticas de todos aqui no largo. Toda gente sabe que o memorial é um disparate e um desperdício de dinheiro. O facto de ter votado nas pessoas que nunca valorizaram a manutenção das matas, não deveria dar-lhe o direito de impor a sua cegueira ao resto da população. Acorde para a vida…

  7. A proposta é do PS. Que apareceu com a verba incluída no orçamento. O orçamento passou com a abstenção da oposição. Agora vamos ver qual a posição da oposição quando tiver que ser votado a adjudicação da obra. Podem votar contra e a obra não vê a luz do dia.

  8. Simples, o valor mantém-se no orçamento, depois basta mudar a rubrica. Ou seja compra de pinheiros. Feito…

  9. Informo a todos especialmente aos “sabios”
    Que tal como aqui no largo está a decorrer no facebook uma petição para o memorial dos incendios. Como é natural ninguém quer descentrar as verbas de 216 mil euros. Estas deveriam ser para a reflorestação e não para mediatismos políticos de circunstancia. O povo não concorda vamos ver a teimosia.

  10. Lanço, daqui tambem uma petição. O memorial deve ser pago directamente pelo bolso dos deputados que votarem favoravelmente o memorial? Que tal? Assim se calhar o dinheiro público passará a ser mais bem gerido pelos eleitos.

Comentários estão bloqueados.