CMMGCreche

Desde há muito que se fala na creche da Ivima. Não tem saído do papel, mas da reunião de câmara o assunto foi falado. Em cima da mesa foi colocado o problema de as instalações estarem com humidade e da conveniência de ir colocar crianças num local que poderá não ser o mais aconselhado para elas. Como alternativa foi falada a possibilidade de repensar a instalação da creche naquele local e colocar ali valências que hoje estão em instalações degradadas como seja as que dão apoio a toxicodependentes, prostitutas e sem abrigo. A ideia seria a de colocar naquele local apenas valências mais ligadas com o apoio social. A maioria parece estar inclinada para uma solução deste tipo, apenas de a Cidália estar contra. A verdade é que a creche não anda nem desanda! Está parada há anos, por uma ou outra desculpa. Um dos argumentos que foi usado foi o de que o berçário irá, de acordo com o projecto, ficar mesmo junto à estrada, o que irá perturbar o descanso dos bebés. Não podemos dizer que conhecemos as instalações e, como tal, qualquer afirmação que fizéssemos sobre elas seria desajustada. A ser como foi afirmado que as instalações estão cheias de humidade, é provável que o espaço possa não ser o mais adequado para ali serem colocados bebés ou crianças pequeninas. E aí surge a ideia, possivelmente inexequível aos olhos cristalizados dos que mandam, mas que poderia ser pensada. Já antes o afirmámos, não concordamos que o “barraco” da Música seja destinado a ser exclusivamente utilizado por uma instituição. Não nos vamos repetir. A verdade é que a obra está ainda por entregar e passível de ainda poder ser adaptada. Porque não utilizar aquele espaço novo, adaptando-o na medida das necessidades, e colocar ali a tão desejada creche? Um espaço verde, com sol, bom para as crianças poderem sair à rua e poderem conviver com os animais que existem no parque ao mesmo tempo que brincam numa zona verde, sem estradas por perto. Estando a obra ainda por entregar, seria ainda possivel reconvertê-la e dar-lhe um uso bem mais útil do que o que está previsto. Em vez do “barraco” da música, passaria a ser creche, integrada num espaço próximo das escolas e sem que o barulho que se prevê que ali vá existir, se for dado o destino inicialmente previsto àquele espaço, possa ser mais um motivo para deslocações da PSP, já que deixaria se existir. Para a instituição que estava previsto ir para ali, alguma outra solução poderia ser encontrada que passe pela partilha de espaço com outras que existem no concelho e que se dedicam à mesma actividade. Gastar 200.000 euros para uma creche parece ser bem mais justo do que gastar para uma única instituição que, tendo dinheiro, tem vindo a mendigar apoios da câmara para a sede. Talvez pudesse ser ainda o momento para que a Cidália olhasse para o assunto da creche com outros olhos.


Seguir
( 5 Seguidores )
X

Seguir

E-mail : *

Comentar com conta do Facebook

comentario(s) no Facebook

9 comentários

  1. que ideia mais hilariante… na óptica do curioso o “barraco” deixava de ser para a música e seria, então, o “barraco” da criança.
    Oh macaco uma creche não é propriamente um jardim zoológico onde normalmente habitam os seus congéneres.

  2. Parece-me que o edificado municipal é mais que suficiente para os projectos que se conhecem para a sua utilização e dos projectos conhecidos é sempre possível e saudável discutir se não haverá voltas a dar.
    Nada a discutir por aqui e ali o melhor que há a fazer a alguns elefantes (brancos ou da côr que cada um gosta) Assim de repente lembro-me do mercado do Atrium, da resinagem, da Ivima que grande parte continua às moscas e sem utilização definida, claro que um edifício abandonado, mas ou bem construído é um foco de humidade.

  3. aro Curioso. Falta dizer com todas as letras que estas duas propostas do acampamento cigano e dos toxicodependentes virem para centro da Marinha tem o carimbo do MPM e da sua vereadora Ana Monteiro.
    Parece que lhe custa chamara os ditos pelos nomes, por isso aqui fica .
    Sim senhor agora percebo aquela tirada tantas vez apregoada,”connosco será diferente”. Em vez de proporem cousas sérias para o orçamento vem com estas ideias só comparáveis com o tao famoso outlet.
    E o curioso e ué o Curioso até tem uns comentários muito delicodoces.
    Sinceramente Curioso o senhor chega a causar vomito

    • Caro Anónimo. Que saibamos, a ideia de poder reconverter o espaço que anda há anos para ser transformado em creche não prevê a mudança das instalações para o centro da Marinha. Tanto quanto sabemos, aquelas instalações não são amovíveis! Tendo em contra o centro da Marinha, o local onde neste momento essa valência existe e as instalações em causa, estaremos a falar no afastamento em relação ao centro!

Deixe uma resposta

Seu endereço de e-mail não será publicado.

  
Please enter an e-mail address

Postar Comentário