Cidália

Want create site? Find Free WordPress Themes and plugins.

Ontem assistimos a uma ‘discussão’ num dos grupos do Facebook que nos deixou algo espantados. A certa altura do texto que deu origem à discussão pode ler-se que, referindo-se à Cidália, “Não pode dizer que ganhou as eleições quando a esmagadora maioria dos eleitores NÃO A QUER PARA PRESIDENTE DA CÂMARA MUNICIPAL DA MARINHA GRANDE! Esta é que é a VERDADE!“. Refere a certa altura que, comparando com o que se passou a nível nacional, “significa que a maioria dos eleitores não se reconheceu nessa coligação e que não os queria para governar! Se são os votos que contam, não ter a maioria desses votos, só pode ter um leitura: a maioria repudiou essa coligação! A esmagadora maioria não os quis para governar! E isto é que é democrático, não acha, ó Miguel? Não é democrático ser presidente seja do que for e governar, quando a esmagadora maioria dos eleitores não votou, não deu o seu voto a essa pessoa….“. Isto afirmado por um qualquer munícipe sem conhecimentos especiais seria compreensível, mas não o é quando quem o escreve tem obrigação de conhecer o sistema eleitoral sob o qual nos regemos a nível autárquico. É, no mínimo, estranho! O texto não apenas induz em erro quem o lê como evidencia uma enorme falta de fair play. A verdade é que quem ganhou foi a Cidália e é ela quem tem, de acordo com o nosso sistema democrático, que ser a Presidente da Câmara. Independentemente de ter tido menos votos que o somatório de todos os outros, ganhou. Por não ter tido mais votos que todos os outros, não tem maioria! É a democracia a funcionar. Goste-se ou não do que fez no tempo que esteve no poder, goste-se ou não dela como pessoa ou do seu programa, foi ela quem teve mais votos e é ela quem deverá ser e será a futura Presidente da câmara. À oposição cabe fazer isso mesmo, oposição, fazendo-o em conjunto ou cada um por si, mas é apenas isso que lhes cabe fazer. A eleição para as autarquias não funciona como a eleição para o parlamento, de onde sai o chefe do Governo. Textos como aquele que lemos, vindo de quem está muito próximo de uma das candidatas que não foi eleita para Presidente, apenas deixa ainda mais em maus lençóis a imagem que se tem do partido e o sentimento de mau perder não pode deixar de se extrair daquilo que se leu. Claro que o início do texto começa com “Não perco nenhum dos seus inteligentes quanto assertivos comentários, opiniões, análises e sugestões, que merecem ser partilhadas pelo maior número possível de pessoas! Parece-me que, pela sua postura independente, séria e objectiva, lhe granjearam o respeito da nossa comunidade, em geral” terminando com “continue a deliciar-nos com as suas prudentes, sérias, independentes, isentas e objectivas intervenções” e talvez o erro seja nosso ao termos dado alguma credibilidade ao texto já que depois daquele início é mesmo provável que se deva entender todo o texto apenas como o resultado de uma visão distorcida da realidade!

Did you find apk for android? You can find new Free Android Games and apps.

Seguir
( 8 Seguidores )
X

Seguir

E-mail : *

Comentar com conta do Facebook

comentario(s) no Facebook

17 Comentários

  1. No governo não foi “quem ganhou que esta a governar” mas por sorte, nas autarquias a mesma “Democracia” não é bem assim e não da para fazer geringonças de derrotados, pelo que não há alternativa senão termos mais um mandato apenas para cumprir calendário, mesmo que a maioria dos Marinheneses o assim não queira. E comer e calar !

  2. Não lhe bastou andar a mandar mensagens em catadupa para que se votasse na filha, mesmo sabendo que não era permitido, como agora quer à força arranjar-lhe emprego. O que vale é que ninguém lhe dá credibiliadde em matéria de politica.

  3. Sendo eu infoexcluido como carinhosamente alguns amigos me chamam por não ter conta no Facebook, pergunto. Esse texto e da autoria do ex juiz Dengucha?

    • Caro anónimo. Sim, é. Para que fique a par, deixamos o texto integral bem como alguns comentários.

      “Olá, Miguel, boa noite! Não perco nenhum dos seus inteligentes quanto assertivos comentários, opiniões,análises e sugestões, que merecem ser partilhadas pelo maior número possível de pessoas! Parece-me que, pela sua postura independente, séria e objectiva, lhe granjearam o respeito da nossa comunidade, em geral! Haverá sempre quem discorde e se fôr com argumentos racionais e não com “emoções e paixões “, também essas diferenças de opinião são salutares e benvindas! Achei muito perspicaz e até bem “observado” o que li sobre o paralelo entre os resultados eleitorais na Marinha Grande, agora para as eleições autárquicas e os resultados para as últimas eleições legislativas para a Assembleia da República! Claro que, a nível autárquico, a formação do executivo camarário não depende da correlação de forças existente na Assembleia Municipal, enquanto que a nível da formação do Governo Central e do seu Presidente e Primeiro Ministro, o que determina a viabilidade da formação de um Governo é a correlação de forças na Assembleia da República! Feita esta ressalva prévia, aquando das últimas eleições legislativas, apesar de a coligação PSD/ CDS ter sido a mais votada por comparação com os demais partidos e ter cantado vitória, apregoando que “tinha ganho as eleições”, quem acabou por formar Governo foi o PS, ao saber pela voz de Jerónimo de Sousa, do PCP, que o PS só não seria Governo se não quisesse…E porquê? Porque a maioria dos eleitores não votou nessa coligação PSD/ CDS…O que significa que a maioria dos eleitores não se reconheceu nessa coligação e que não os queria para governar! Se são os votos que contam, não ter a maioria desses votos, só pode ter um leitura: a maioria repudiou essa coligação! A esmagadora maioria não os quis para governar! E isto é que é democrático, não acha, ó Miguel? Não é democrático ser presidente seja do que fôr e governar, quando a esmagadora maioria dos eleitores não votou, não deu o seu voto a essa pessoa….Vejamos então o que se passou agora na Marinha Grande, nas eleições autárquicas do passado dia 1 de Outubro! Resultados eleitorais para a Câmara Municipal da Marinha Grande:
      PS – Cidália Ferreira – 4.940
      CDU – Alexandra Dengucho – 4.129
      MpM – Aurélio Ferreira – 3.710
      + Concelho – Carlos Logrado – 1.281
      AD- PS – Ricardo Gallo – 818
      BE – Ilda Coelho – 815
      CDS – Paulo Ferreira – 135
      Fazendo as contas, Cidália Ferreira só teve 4.940 votos a favor dela, a dizerem que a queriam para Presidente da Câmara Municipal da Marinha Grande, enquanto que 10.888 eleitores disseram que não a queriam para Presidente da Câmara Municipal! E agora? Não pode dizer que “ganhou as eleições quando a esmagadora maioria dos eleitores NÃO A QUER PARA PRESIDENTE DA CÂMARA MUNICIPAL DA MARINHA GRANDE! Esta é que é a VERDADE! Boa noite, Miguel e continue a deliciar-nos com as suas prudentes, sérias, independentes, isentas e objectivas intervenções!”

      “Não, esses não disseram nada…Nem que sim, nem que não a qualquer candidato…Enquanto que quase 11000 eleitores disseram bem que não queriam a Cidália Ferreira pois, se quisessem, tinham votado nela…”

      “Não tem não mais votos, mais pessoas a dizerem que querem a Cidália Ferreira para Presidente da Câmara Municipal da Marinha Grande! O que teve foi mais do dobro das pessoas a expressarem a sua vontade de que não a queriam ver como Presidente da Câmara, senão tinham votado nela…Quase 11.000 eleitores marinhenses não querem Cidália Ferreira para Presidente da Câmara! Só 4.940 a querem…Grande “cabazada” levou Cidália Ferreira e o PS: não foi 11.000 a zero, mas foi 11.000 a 4.940! Com esta derrota monumental, que fazer? Aceitam-se sugestões…”

      “Não,não tem mais votos! Cada voto representa uma vontade, uma pessoa, um eleitor e a Cidália Ferreira só teve 4.940 votos a favor dela, enquanto que quase 11.000 pessoas expressaram bem a dua vontade de que não a queriam para Presidente da Câmara Municipal da Marinha Grande! Não há volta a dar aos números! A Cidália Ferreira é uma “persona non grata” à esmagadora maioria dos eleitores marinhenses…Não vale a pena tentar “dourar a pílula”, pois não ganhou nada as eleições! As eleições não são um jogo de futebol… Mas se o fossem, Cidália Ferreira tinha tido uma derrota estrondosa : quase 11.000 a 4.940! Que grande “cabazada” levou a Cidália Ferreira e o PS! Já agora, aonde estão os tais 39 por cento que a sondagem do Jornal de Leiria deram à Cidália Ferreira? Tinha ou não eu razão quando disse, aqui no fb, que essa sondagem tinha sido encomendada pelo PS ao seu Jornal de Leiria, que lhe e afecto? Afinal, ficou-se pelos 29 por cento…E então agora o “manda chuva do PS”, João Paulo Pedrosa, acolitado pelo seu “lugar tenente” ou “sargento”, ex-padre Nelson Araújo, não dizem nada ? Estão caladinhos que nem uns ratos…Então aonde “meteram” os 39 por cento da Cidália Ferreira? Aceitam-se sugestões…”

      • Obrigado pela informação. Presumindo bwue o outro interlocutor será o Prospero, estou esclarecido. São efectivamente duas pessoas de cuja opinião pública ou publicada merece um lugar . Caixote do lixo bem fechado para não impestar o ambiente.

      • Caro anónimo. Os excertos copiados têm todos o mesmo autor. Não são diálogo. O diálogo integral está aqui.

  4. De facto e tendo em conta o curriculum profissional do escriba, este texto só pode mostrar uma certa senilidade. Ainda bem que já é Juiz jubilado. Devia ser bonito vê⁻lo à frente de uma comarca a interpretar assim as leis.

    • Obrigado pela publicação integral.
      Sinceramente, vindo da Prospero vá lá , agora do Sr dr ex juiz, é de pasmar. Veja bem se alguma vez a filha deste ex juiz tivesse Oder na Marinha, o que aconteceria.

  5. Eis uma “pudente intervenção” de quem o Celso elogio “Se o PCP e o MPM se unirem num projeto politico (gerigonça2), o PS não leva a mal que seja a Alexandra Dengucho ou o Aurelio Ferreira o presidente de Câmara, pois não?”. Santa ignorância.

  6. Trata-se de um diálogo entre duas pessoas, em que ambas se expressam com total liberdade de expressão. É assim em democracia, e ainda bem! Há quem concorde ou discorde das opiniões dos escribas! Aliás, como sucede neste Largo. Mas que são tão legítimas como quaisquer outras…lá isso são. Assim, como legítimas são todas as críticas!
    O insulto de senilidade é que já não é apropriado.

    • Caro Anónimo. Perdoar-nos-á que discordemos. Não se trata de um diálogo entre duas pessoas. Trata-se de afirmações que, vindo de quem vêm, poderão levar quem lê a pensar que até poderá ser assim. Não vinculando a candidata e futura vereadora do novo executivo, não pode deixar de levar a que se reflicta no que foi escrito. Sendo um cenário que não está previsto como sendo admissível, a sua exposição num local onde muitos dos que por lá passam mostra nem sempre serem dotados de conhecimentos na matéria é arriscado, ainda mais porque não se consegue dissociar quem faz aquelas afirmações do partido que a candidata encabeçou. As redes sociais são um local bom para que se exponham ideias e pensamentos, mas quem os escreve tem que ter em conta que o que fica escrito pode influenciar ou desinformar quem lê. Basta ver-se pelos comentários que se seguiram para se perceber que houve quem visse no texto algo de exequível.
      Quanto ao insulto à senilidade, estamos de acordo.

  7. Por essa ordem de ideias, quantas coisas aqui escritas teriam que ser banidas, por inexequíveis? Continuo a pensar que a liberdade de expressão é isto mesmo. Escrever o que se pensa! Ainda que se possa discordar do que se pensa…

    • Caro Anónimo. Sim, liberdade de expressão é isso mesmo e, por isso mesmo, ninguém baniu e não à a pide atrás de ninguém (por enquanto). Ainda assim, parece-nos errado (valendo-nos da liberdade de expressão) quando quem escreve tem obrigação de saber que nada do que foi escrito pode ser posto em prática, não porque as pessoas não queiram, mas porque a lei não o permite, o que nos leva a pensar no que terão sido as verdadeiras motivações.

  8. Jerónimo de Sousa, e vejo agora na TV, diz que não haverá acordos com outros partidos nas autarquias. Já o BE está aberto a coligar-se com o PS para cidade Lisboa!

    • Olá Vilas. Presumo que não está de acordo com o Jerónimo de Sousa quando diz que não haverá acordos com outros partidos nas autarquias. Está a ver, levou tantas que acabou por dizer uma certa.

      • Caro Anónimo,
        Se o diz, quem sou eu para discordar de sua Ex.ª.
        Sempre a aprender…

        Cumprimentos

  9. Pode ser que a Cidália com o seu espírito de diálogo resolva o problema dos ciganos na Nery capucho. E polícia todos os dias mas o André Ventura e que é doido não?

Deixe uma resposta

Seu endereço de e-mail não será publicado.

  
Please enter an e-mail address

Postar Comentário