Vitor

De entre os que irão abandonar, para já – ainda que acreditemos que não deverá retornar a ela -, a vida política está também o ainda vereador Vítor. Depois de quatro anos de mandato, dois dos quais com pelouro, o vereador deixa aquilo que poderá dizer-se foi o que mais marcou o concelho nos últimos anos em termos de dinamismo: as Festas da Cidade. Pessoa afável e modesta, o vereador ‘conseguiu’, no entanto, o impensável quando o partido o pôs de lado em detrimento da que tinha sido a número dois na lista de há quatro anos. Nos dois anos em que esteve com pelouro houve coisas que poderia ter conseguido fazer, como seja a alteração dos regulamentos, mas conseguiu deixar o que é hoje um dos sinais marcantes da terra, sinal esse que quem o sucedeu não conseguiu alterar em nada, limitando-se a fazer uma cópia do que havia sido feito. Muitos são os que o viam encabeçar a lista pelo partido depois do que foram os anos de mandato e anos de trabalho na vereação, mas a surpresa veio sem que se fizesse anunciar e foi afastado. Apesar de convidado para integrar as listas do partido, manteve-se fiel ao sentimento de ingratidão que se podia, e ainda pode, ver no olhar. Foi evidente que o trabalho que foi feito na oposição a si se deve já que se notou sempre que a vereadora ia atrás, sem que levasse o trabalho preparado de casa. A ele se deveu a oposição que veio da parte do partido que a partir de certa altura deixa de estar numa coligação que rompe um pouco à sua revelia e contra a sua vontade. Ficou sempre a sensação de que achou que a ruptura da coligação surgiu cedo demais e por razões que não foram suficientemente fortes para que tal tivesse acontecido. Não temos dúvidas que deverá sair com o sentimento de dever cumprido, apesar da ingratidão com que foi tratado pelo próprio partido. Da nossa parte, como munícipes, fica também o agradecimento ter sabido ocupar condignamente o lugar que muitos lhe confiaram.


Seguir
( 0 Seguidores )
X

Seguir

E-mail : *

Comentar com conta do Facebook

comentario(s) no Facebook

6 comentários

  1. Homem humilde e sempre respeitou o partido (mesmo se o partido não o respeitou) e sempre olhou para os problemas do povo; sem FORTUNA pessoal pois assim é tipico do seu partido, vai fazer falta mas estou de acordo com a sua escolha e desejo muita saude para gozar com felicidade junto dos seus; um abraço e obrigado pelo que fez; um amigo de longe

  2. Quem manda no Partido Comunista não dá valor a quem trabalha. A Alexandra nada prepara e aparece depois a dar bitaites. Foi assim durante 4 anos.
    Foi a mais faltosa, não escreveu no jornal nem noutro lado a explicar alguma ideia ou qualquer coisa que tenha feito.
    Foram muito injustos para com o Vítor. Os eleitores não lhes vão perdoar.

  3. Que dignidade na saída. Nem uma critica fez aos que o tentaram enviar para o lixo. Colocou sempre o Partido em primeiro lugar. Estou convicta que voltará à actividade política.

Deixe uma resposta

Seu endereço de e-mail não será publicado.

  
Please enter an e-mail address

Postar Comentário