Debate sem surpresas

CuriosoEleições, JFMG11 Comentários


Sem surpresas, o debate que hoje teve lugar com alguns dos candidatos à Junta da Marinha alicerçou a posição da Isabel. Todos os candidatos foram unânimes em atribuir culpas ao Vicente e à Cidália por aquilo que a Junta não fez, pelas verbas que não foram entregues e pelas obras que a Junta não conseguiu fazer. Os candidatos não conseguiram demarcar-se do que a Isabel disse e fez, ficando-se com a ideia de que foi apenas uma conversa entre amigos que partilham as mesmas ideias. Se havia esperança de que se notassem diferenças, elas não foram evidentes. O candidato do BE evidenciou a inexperiência que tem e foi dando algumas ideias avulsas, ainda que válidas. O candidato o + Conselho mostrou ser capaz de ler o que levava escrito e alguma experiência dos anos passados, mas evidenciou alguma incapacidade de conseguir convencer o que defendia quando confrontado. Aí o candidato do BE esteve bem! Ficou a ideia de que o seu tempo para estar à frente da Junta já passou. O candidato do MpM tentou alicerçar a ideia que tem vindo a ser defendida pelo vereador, sem conseguir, no entanto, demarcar-se do que foi dito pela actuar presidente. A candidata do PS, antes defensora de outro movimento, não conseguiu convencer e nem mesmo a ideia de centrar o seu programa na renovação do site da Junta foi o suficiente para se destacar. Não conseguiu defender as acusações da Isabel dirigidas à câmara, tendo-se associado à necessidade da câmara colaborar mais. O candidato do + Marinha não se saiu mal, mas não conseguiu convencer. Não sendo fácil destronar a candidata, ainda presidente, os demais candidatos não conseguiram aquilo a que se propunham. Do debate o que se pôde retirar foi o facto de as obras que a Isabel queria fazer há quatro anos não estarem ainda adjudicadas e tudo ir começar quase do zero.


Seguir
( 0 Seguidores )
X

Seguir

E-mail : *

Comentar com conta do Facebook

comentario(s) no Facebook

11 Comentário em “Debate sem surpresas”

  1. Avatar

    Oh Curioso, “O candidato do +Concelho mostrou ser capaz de ler…”. Não seja tão parcial e tenha respeito pelos mais velhos e mais experientes em política.

    1. Curioso

      Caro Anónimo. Se ouviu o debate ter-se-á apercebido que grande parte do que disse foi a ler. Se, pelo que refere, devemos ter mais respeito pelos mais velhos, significa que os mais novos, digamos com menos de 40 anos, não merecem tanto respeito? O ser-se mais velho não dá mais capacidade política. Poderá dar mais experiência, mas isso não pomos em dúvida. Naturalmente que vindo de quem é mais “experiente em política” esperávamos que parte do que foi dito não fosse uma declamação.

      1. Avatar

        Seguramente que concordará comigo, que apenas os candidatos do +Concelho e ps apresentaram propostas concretas. Também concordará comigo que para apresentar corretamente uma proposta na rádio, convém que ela seja dita de uma forma clara e concisa. Não é menos verdade que se não tivermos um guião com essas ideias chave, não conseguiremos ser incisivos. Assim, não vejo mal absolutamente nenhum no facto dos candidatos levarem as suas ideias chave escritas… Já agora o curioso percebeu qual será o papel do “Provedor do Lugar” e o programa “SOS Medicamentos”, propostas apresentadas pelo candidato do +Concelho?

        1. Curioso

          Caro Anónimo. Percebemos que a ideia do “Provedor do Lugar” é partilhada pelo PS e que o programa “SOS Medicamentos” existe já há algum tempo. Se em relação ao primeiro nos parece que será mais uma figura cuja existência se esbaterá no tempo, quanto à segunda não vemos qual a originalidade.

  2. Avatar

    Ah! Vê como percebeu a mensagem… O +Concelho não inventa nada, até porque a roda já existe há muitos anos. O +Concelho busca as boas práticas que se fazem por este país fora para as implementar no nosso concelho. Também me vai dizer que isso não é correto?

    1. Curioso

      Caro Anónimo. Não nos cabe aferir se é correcto ou não, poderemos apenas dizer o que pensamos. Temos dúvidas que seja algo que caiba à Junta fazer quando há já outras instituições a fazê-lo. Sobrecarregar um qualquer órgão autárquico com o que pode ser feito, quiçá melhor, por outras entidades parece-nos sobrecarga desnecessárias e, no final, “quem muitos burros quer tocar…”.

      1. Avatar

        Então o Curioso não considera proveitoso o GAP. Pois como diz, já existem outras instituições a fazê-lo…

  3. Avatar

    E o ajuste direto da obra da Junta de 350.000 euros? Não se explicou?
    Já agora… conseguiu a Isabel explicar porque é que o concurso para a obra ficou deserto??
    Agora a Isabel vai convidar duas ou três empresas para apresentarem propostas… e vai escolher a que mais lhe convier.

    Também podia ter explicado a opção que fez por gastar dinheiro do orçamento da Junta de Freguesia para pagar salários aos membros do seu Executivo, nomeadamente a Lara Lino que passou a estar a tempo inteiro na Junta.
    O Orçamento de Estado apenas transfere o vencimento da Presidente, como manda a Lei.
    Os restantes membros do Executivo (Secretário, Tesoureiro, Vogais) a quem seja atribuído tempos parciais ou inteiros o salário tem de ser pago pelo orçamento da Junta.

    Será que a Isabel precisava mesmo de ter uma Tesoureira a tempo inteiro?!
    Os quase 2.000 euros/mês x 14 meses não podiam ser usados em outras coisas mais prioritárias para a Freguesia?!

    O debate foi apenas discussão sobre, como a própria Isabel disse, palha!
    O essencial das questões para a Freguesia ficaram por esclarecer e por debater.

  4. Eu também gostava de ser assim. Programar obras prometer tudo aos fregueses e depois dizer a Câmara: dêm cá o dinheiro para as fazer. Queremos fazer umas ruas asfaltadas para uns amigos mas a câmara tem que nos dar o dinheiro. Queremos uma. junta novinha com auditório para umas 400 pessoas a camara tem que subsidiar. A junta faz alguma limpeza das ruas mas quem paga é a câmara. O dinheiro do orçamento da junta? Para pagar os gastos do próprio executivo presidente secretário e tesoureiro. A orquestra que a Isabel sempre disse que era da junta exigia dinheiro a câmara para a pagar. Assim também eu andava gordo.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.

  
Please enter an e-mail address