DebateEleições

 

 

 


Seguir
( 0 Seguidores )
X

Seguir

E-mail : *

Comentar com conta do Facebook

comentario(s) no Facebook

13 comentários

    • Por lapso, o comentário ao qual respondemos foi apagado. Fica aqui a transcrição do comentário feito por Carlos Romeira:

      “É de lamentar que não tenham lido o comunicado da AD, como pedido, em vez da nossa intervenção. Receiam o quê? Isso prova que a informação afinal É MESMO tendenciosa!…

      Mas aqui o deixo mais uma vez, para que seja interpretado pelo eleitorado como bem entenderem. Sem medos ou receios.

      COMUNICADO

      A “AD – Aliança Democrática” vem por este meio esclarecer os eleitores do Concelho da Marinha Grande que a partir deste momento deixará de estar disponível para participar em qualquer debate promovido pelo Jornal da Marinha Grande e pela Rádio Clube Marinhense.

      Ao longo dos últimos meses têm sido mais do que evidentes os sinais de parcialidade e más práticas na transmissão da informação, com a promoção de historietas falaciosas para atacar a nossa candidatura. A agressão verbal a alguns dos nossos candidatos, especialmente ao nosso cabeça de lista, através do uso de retórica depreciativa, não honra quem a publica. Apenas revela que não existem condições para continuar a colaborar com o jornalismo menor.

      Apesar disso, a AD – Aliança Democrática reconhece que é importantíssimo dar a conhecer a todo o eleitorado as suas propostas e intenções para o nosso Concelho, pelo que não deixará por isso de marcar presença em todos os debates promovidos pelos demais órgãos de comunicação social da região, estando já a preparar alguns dos convites que entretanto recebeu. Reitera-se portanto que esta indisponibilidade apenas se circunscreve ao Jornal da Marinha Grande e à Rádio Clube Marinhense.

      A AD – Aliança Democrática apenas se presta a colaborar com jornalismo com elevação e nunca com alguns jornalistas que tentam determinar e controlar a agenda política dos candidatos.
      O poder político não pode manipular ou condicionar a comunicação social mas por seu turno, o jornalismo jamais deve ceder à tentação de querer subjugar os políticos que são em primeira instância os representantes do povo.

      Não podemos por isso pactuar com quem exerce a actividade de jornalista pensando que essa condição lhe atribui o poder para determinar e controlar agendas políticas, posturas e posições partidárias, eleger ou derrubar governantes. O tempo do controlo das massas através da informação já passou. As pessoas devem ter o direito de poder decidir por elas mesmas sem influências desleais motivadas por poderes ocultos.

      Valham-nos os bons jornalistas. Aqueles que exercem com elevação a sua nobre profissão. Para esses estaremos sempre disponíveis! Eles sabem que sim.”

  1. Obrigado pela correcção do erro técnico.
    Mau caro “Curioso”, eu leio o LC.
    Sou até leitor assíduo. Só assim fico a par do que se passa na MG.
    Das notícias que gosto e até daquelas que não gosto.
    Faz parte! 😉
    Cumprimentos.

    • Caro Carlos Romeira. Apareceram dois comentários iguais e o sistema que temos instalado classificou-os como spam. Nós respondemos por email e só depois nos apercebemos que o comentário tinha sido apagado. Foi reposto do modo que é possivel. Pedimos desculpa pelo facto. Para evitar este tipo de situações tivemos o alerta para que não sejam feitos comentários repetidos, ainda que não surjam quando são escritos. Por vezes ficam pendentes. Agora, com o que está instalado, eles são apagados e o comentador poderá ser mesmo bloqueado automaticamente.

  2. Adorei!
    O Pedrosa devec star a puxar as orelhas aos seus candidatos e aos substitutos.
    A Cidália foi o que se viu, o da Moita mostrou ainda melhor a falta de capacidade. O da Vieira nem pareceu com medo porque simplesmente não sabe. Mandou o artista que sabe tudo é fez uma figura degradante e deselegante, aparecendo como se fosse um ser superior.

  3. Ainda não consegui ler os elogios do Pedrosa (o Presidente sombra) e do Araújo (ajudante de campo) aos seus pupilos, Cidália, André e Rui Rodrigues pelo excelente desempenho nos debates. Ou anda não encontraram a mentira adequada ou devem querer fazê-lo em primeira mão ao Costa.
    Na próxima semana teremos a transferência do ano a defender o PS no debate da junta da Marinha.

  4. Bem! Na verdade só um reviravolta imprevisível tirará a junta de Freguesia ao PS. Se há freguesias onde os resultados são mais do que previsíveis a Vieira é uma delas. Pena que o mais que hipotético futuro presidente da junta da Vieira, não tenha estado presente e diga-se, tenha tão sido tão mal representado. De facto o “Pedantismo” do Dr. Rui Rodrigues não ajudou nada.

  5. O Rui Rodrigues nunca soube o que é o desenvolvimento de uma sociedade, só se for da sociedade de advogados a que pertence, aquela que defende com a mesma força um idoso agredido pelo filho, como o padre pedófilo de Santarém, enfim…
    Quando argumentou no debate que não se deve acrescentar a zona industrial a grande velocidade porque não há na freguesia mão de obra suficiente, é de uma idiotice de bradar aos céus! No tempo em que a indústria de vidros e limas estavam na máxima força, vinham pessoas dos arredores para cá, isso originou arrendamento e construção de casas desenvolvendo o marcado imobiliário, mais procura por produtos diversos o que desenvolveu o comércio, novas crianças para as escolas, atletas para o desporto e porque não dize-lo a constituição de novas famílias.
    Isto só não é evidente aos olhos de quem vive permanentemente no ódio e consequentemente na procura da redenção.
    O Álvaro é boa pessoa, se soubesse onde se está a meter e quando sentir nas costas o puxar dos cordéis como se faz às marionetas, vai pensar: estava eu tão bem sossegado no conforto do meu lar no carinho da minha família…
    Pois é Álvaro, tens duas opções: ou alinhas com a estratégia do mais do mesmo para os mesmos, ou dás o Grito do Ipiranga e mostras que os homens não se medem aos palmos.

  6. Na verdade, o representante do PS foi uma nódoa. Tudo dito. Da CDU ouvimos mais do mesmo com as mesmas propostas decalcadas do Comité. Do MPM a tecnocracia dos números e o divisionismo patente nas declarações com os Vieirenses e Praienses. O +Concelho a falar como se estivesse na sala de aula com medidas avulsas. O BE a falar de forma consistente com conhecimento e propostas abrangentes a pensar no futuro. Resultado: se os eleitores da Vieira forem votar nos mesmos de sempre e no partido estarão mal servidos, se votarem nas propostas e capacidade de pressionar a câmara a trabalhar para a população, só o candidato do BE estará à altura de assumir o cargo na junta.

  7. As propostas apresentadas pelo candidato da CDU são mais do mesmo, porque se trata de necessidades da Vieira e da Praia da Vieira. As principais obras da freguesia foram feitas pela CDU. Com o PS só mesmo a revitalização da Estrada Vieira-Praia (estrada essa feita pela CDU). E o candidato Júlio Letra esteve muito bem. Não só apresentou propostas concretas, como chegou para o Rui Rodrigues. E tudo com muita calma e postura correcta. Vai dar um grande Presidente de Junta.

Deixe uma resposta

Seu endereço de e-mail não será publicado.

  
Please enter an e-mail address

Postar Comentário