Lado-a-lado

Curioso+ Concelho22 Comentários


Ficou-se hoje a conhecer a quem pertence aquela estrutura que estava montada há há alguns dias em plena rotunda, com os postes da EDP de tamanhos diferentes. É uma outdoor como todos os outros, mas não deixa de ter uma particularidade interessante. Todos os que conhecem alguns dos que ali aparecem, sabem o que pensam e o que dizem. Não deixa de ser interessante ver-se o Chanoca ao lado do Constâncio, como se perfilhassem as mesmas ideias ou ideais. É, no mínimo, irónico que ali, bem na rotunda, possam ver-se duas pessoas que, em termos ideológicos ou em termos de pensamento nada têm em comum! Se por um lado temos quem defendeu sempre ideias de esquerda, tendo mesmo feito parte do núcleo forte do PCP, por outro temos quem é conhecido por ser saudosista de Salazar! Claro que em politica tudo é possível, mas se há um ano nos dissessem que iríamos estar a ver os dois, lado-a-lado, no mesmo outdoor, diríamos que mais fácil seria ver um porco a voar!

 


Seguir
( 0 Seguidores )
X

Seguir

E-mail : *

Comentar com conta do Facebook

comentario(s) no Facebook

22 Comentário em “Lado-a-lado”

  1. Bolas que tudo o que não seja Aurélio incomoda o Macaco. Só vê Aurélio oelo que se calhar o animal associado ao administrador cá do sítio deveria ser outro.
    De cartazes nem fala do que o Ateliê colocou em propriedade do Intermarché a tapar a publicidade do mesmo dizendo com arrogância ao proprietário que podia por onde quisesse.. vale que uma disputa seria desagradável mas falando de personalidades, pelo menos está tem pessoas com intervenção pública e ou política, já as do Aurélio são de uma pobre da confrangedor a. Só existe o chefe o resto é vazio. Que raio de implantação tem este empresário no tecido industrial ou comercial do concelho? Será porque o conhecem melhor que outros é o querem ver é bem longe?

    1. Curioso

      Caro Anónimo. Não percebemos porque razão o Aurélio é para aqui chamado, mas entendemos porque teima em nos querer associar a quem nada tem a ver connosco ou nós com ele. Fica mais contente assim? Acha que é isso que nos incomoda? Ou será que o facto de por aqui se ter conhecimento de tanta informação que o possa incomodar? Se for por essa razão que nos associa ao candidato Aurélio, se a sua candidatura tiver tanta informação como a que nos chega, talvez entendamos porque anda tão obcecado! Já reparou que se calhar escrevemos menos sobre algumas candidaturas porque nos dão menos assuntos para escrever? Já antes pedimos que nos facultassem temas sobre esse candidato para que possamos escrever, e estamos ainda à espera. Lançamos a si o repto: indique-nos assuntos sobre os quais possamos escrever sobre esse candidato que verá que não o deixaremos ficar mal. Ficamos à espera.
      Bem sabemos que tem uma fixação por esse candidato que soa a doentia, mas temos alguma curiosidade em saber em que medida nos poderia interessar se um outdoor, seja ele de quem for, é colocado em propriedade privada? Se há algum outdoor em propriedade privada, cabe ao dono assegurar que, se não o quer aí colocado, seja retirado.

  2. Avatar

    Subscrevo o que escreveu o Curioso.
    Há fotos mesmo que montadas, não ficam bem. É com “uma lágrima ao canto do olho” que vejo um dos melhores autarcas Marinhenses deixar-se enredar e envolver em tão má companhia.

  3. Avatar

    O que incomoda muita gente é a forma organizada e coerente como o MpM se tem apresentado. Sem confusões, sem hesitações, cada coisa a seu tempo. Mais, as pessoas que compõem as listas, e por muito que se esforcem para as demeritar, são pessoas com provas dadas, tanto em termos pessoais como profissionais.

    1. Avatar

      Provas dadas? de quem? com quem? Eu vejo naquela lista do mpm muita gente e muito mal vista, passados quatro anos esperava mais e melhor, uma decepção.

  4. Avatar

    Isto realmente aqui no largo…vai tudo parar ao Aurélio , e não por parte nem do curioso nem dos textos, que muitas vezes nada tem a ver com o dito Sr. mas por parte de quem aqui vem dar palpite, não se centra no que é escrito mas desvia atenções para a oposição.
    Mas como a inveja não mata mas mói , puxam sempre o mesmo nome ! porque é que será ?!

  5. Então o Curioso pede candidamente que lhe forneçam notícias do Aurélio. Tendo em conta a sempre ptonta informação que tem de todas as outras candidaturas das duas uma: ou não se passa nada com a candidatura do Aurélio o que só por si será uma notícia mas importante que as das outras candidaturas, ,ou então da razão a quem o cola ao Aurélio. E direi mesmo mais o Aurélio e um alimentador do Curioso. Ainda as pessoas não tinham saído da sala do tribunal no dia do sorteio dos boletins débito ja estavan aqui publicadas. Ora o juiz não foi, a escrivã estava a trabalhar , só podia ser das candidaturas. Do PS Estava o Curto, da CDU o Francisco, do PSD o Cruz, do Bloco a Ilda, mais dois do + Marinha uma advgada , do + C o Logrado e do Aurelio 9 pessoas. As certidões foram distribuídas aos mais representativos. Tendo em conta as apreciações que o curioso faz aqui adivinhem quem bufou..
    E depois muito cândido vem dizer que não tem informações sobre o Aurélio. Uma pessoa com formação em direito arranjava facilmente caso, e se fosse ousado até diria que o macaco é o Aurélio, mas sabemos que não.
    Mas que confundem isso sim

    1. Curioso

      Caro Anónimo. Há algumas notas que não podemos deixar de dar em relação ao que refere. Em primeiro lugar não dissemos que não temos informação. Temos informação, mas que, por não ser merecedora de critica, não nos parece que devamos perder tempo a escrever. Como sabe apenas vamos apontando o que achamos estar mal. Em segundo, refere que tivemos acesso a informação que publicamos quando as pessoas eatavam ainda no tribunal. Se sabe isso terá sido então uma das pessoas que lá esteve! Como escreve sob anonimato e muitas das informações que nos chegam veem desse modo, quem nos garante que quem nos deu a informação não foi o caro anónimo para que agora possa fazer essa acusação? Terceiro, no dia do sorteio estavam varias pessoas no tribunal, mas, como deverá saber, o sorteio foi feito na plataforma da CNE que fica com dados imediatamente disponíveis. A duvida fica, por isso em se saber se foi o caro anónimo quem nos deu a informação ou se a tivemos directamente da CNE. Sabe, para se obter informação basta estar-se atento e falar com as pessoas certas e que estão sempre presentes em tudo. Se acha que é quem diz que nos dá informação, como explica que saibamos o que acontece quando não está presente? Mas, caro anónimo, pode continuar a enviar-nos informação que nos damos conta dela. Ah, esqueceu-se de dizer sobre o que podemos escrever em tom critico daquela candidatura.

  6. Avatar

    Este post revela uma ausência de capacidade de análise crítica, que é confrangedora.
    O +Concelho não é uma organização político-partidária. Não tem matriz ideológica. Não se pronuncia, nem vota moções relativas a questões que tenham a ver a actividade política e partidária de âmbito nacional.
    A sua matriz, desde a primeira hora, é a defesa intransigente dos interesses dos marinhenses, do progresso do Concelho, da sua afirmação a nível nacional. Para o +Concelho, todos os que concordarem com estes princípios, independentemente da sua preferência ideológica e até da sua militância partidária, são bem vindos.
    Eu, ideologicamente, coloco-me na área socialista e votarei PS em eleições legislativas e o Xanoca, certamente, não renega as suas raízes social-democratas.
    Eu acho que o PS local, enquanto for “controlado” por pessoas sem qualidade, sem outro projecto que não seja alcançar a sua promoção pessoal, não tem condições para representar todos os marinhenses dessa área política e muito menos aqueles que não são militantes ou simpatizantes.
    O Xanoca, por estas razões ou por outras, não se sente representado pelo PSD local.
    Ambos achamos que o +Concelho tem um líder e um programa de governação que coincide com as nossas aspirações.
    Ambos achamos que o Programa Eleitoral do +Concelho corresponde àquilo que gostaríamos de ver concretizados nesta terra que ambos amamos.
    O que é que o Curioso vê aqui de anormal?
    Já tivemos em campos opostos no plano político? Sim. E daí?
    Já tivemos acesas discussões no passado? Sim. E daí? Como pessoas civilizadas, a convite de um amigo comum, infelizmente já falecido, juntámo-nos na casa dele e, olhos nos olhos, colocámos tudo em cima da mesa. Ouvimo-nos um ao outro e no fim, apertámos as mãos e somos amigos.
    Tenho muitos amigos no PCP. Tenho muitos amigos no PS e até no PSD. Nada, desde que nos respeitemos uns aos outros, porá em causa a amizade, que é um valor maior.
    Lamento, mas o Curioso falhou o tiro.

    1. Curioso

      Caro A. Constâncio. Em política é dificil dizer-se que há algo de anormal. Já se viu tanta coisa que tudo passou a ser normal. Não tentámos dar nenhum “tiro” e muito menos por em causa amizades. É bom que elas se mantenham ainda que haja divergências politicas. O que achámos estranho foi vermos na mesma lista pessoas que têm ideias para o concelho que não vemos como sejam inconciliáveis. Bem sabemos que o Chanoca entrou na corrida para poder afrontar quem não deu o apoio prometido ao ACM e que, no seu caso, nos parece que seja para dar uma ajuda o Logrado uma vez que sabe a dificudade que o movimento tem para poder conseguir eleger um vereador (apesar de acharmos que a forma como a campanha está a decorrer seja algo com o qual não se reveja), ainda assim não deixamos de achar estranha a comunhão de esforços quando o que os une em termos de soluções para o concelho não é convergente. Ainda que não se possa falar em termos ideologicos num GCE, as ideologias marcam a forma como cada um age e o que pensa para o futuro.
      Amizade é algo que se deve manter (não fazendo o que o PS fez ao ex-presidente), mas não foi nessa vertente que escrevemos o post.

      1. Avatar

        Caro curioso, sou obrigado a comentar o diálogo entre o próprio e o Snr. Armando Constâncio, só porque o mesmo envolve a minha pessoa. Como tal se me é permitido e por o que subentendo do que está dito, lastimo que se confunda amizade com hipotéticas divergências politicas que só ás duas pessoas em questão dizem respeito. Se me permite e para que fique definido de uma vez para sempre, considero-me amigo do Snr. Armando Constâncio, quanto mais não fosse pelo facto de que, quando foi oportuno, em relação á minha pessoa, teve uma atitude digna de HOMEM, o que muitos por muito que queiram nunca conseguirão ter, pela simples razão de que, como em tudo na vida, não é quem quer, mas sim quem È. Em relação ás divergências políticas já lhe tentei explicar ( sem conseguir) que as pessoas de bem (não compram votos) DIALOGAM. Para culminar e segundo percebi, não entrei na corrida para afrontar ninguém por qualquer afronta feita ao A.C.M. MAS SE SE REFERE Á QUEM EU ENTENDI, PODEREI AFIRMAR, COM TESTEMUNHAS, QUE QUEM VOTOU CONTRA EM REUNIÃO DE CÂMARA A ATRIBUIÇÃO DO SINTÉTICO DO A.C.M. E FEZ DECLARAÇÃO DE VOTO, QUE ESTÁ EXARADA EM ACTA, ……MENTIU……E PIOR, DEPOIS DE SER INFORMADO DE TODO O PROCESSO, (LEGALÍSSIMO) TAL COMO TODOS OS OUTROS VERADORES, E TER AFIRMADO PERANTE OS INTERESSADOS A SUA ANUÊNCIA E CONCORDÂNCIA, VEIO POSTERIORMENTE A VOTAR CONTRA O QUE TINHA ASSUMIDO, E GRAVÍSSIMO, NA MESMA DECLARAÇÃO DE VOTO MENTIU DESCARADAMENTE E CONSCIENTEMENTE. Posso provar o que atrás digo pois possuo documentação para tal. Eu sou do tempo em que a palavra valia. Nunca me identificarei com pessoas que pela frente dizem uma coisa e pelas costas outra dizem.

        1. Curioso

          Caro Anónimo. Tal como já referimos, em momento algum quisemos que fosse entendido o que escrevemos como podendo ser posta em causa relações de amizade. Essas devem sempre prevalecer acima de tudo.

  7. Vilas

    Não tendo sido chamado para esta discussão, nem pouco o meu nome tivesse sido referido, não posso deixar de dar a minha opinião. Ninguém ma pediu… é certo, mas arrisco.
    Sendo amigo dos dois, mas sem dúvida alguma mais do Cristiano Chanoca, pessoa com quem privei e continuo a privar, começo por dizer que para o cidadão comum, é sem dúvida à partida uma coisa …impensável Até porque o Chanoca foi sempre um crítico do A. Constâncio. Mas até aí tudo bem.

    Mas há uma coisa que temos que colocar nos pratos da balança – as eleições autárquicas! Não se tratam de eleições para a A.R., onde como sabemos existe muito efeito politico! Ser de esquerda ou de direita tem resultados diretos na “gestão do país”. Já no que na gestão autárquica diz respeito, já não é tão notório. Correto? Estou convicto disso…!
    Daí, não achar estranho, até saudar ambos que apesar das divergências politicas se terem unido, para debaixo de um denominador comum, estarem ambos unidos para lutarem por uma M. G. moderna, arejada e desenvolvida!
    Todos estamos cientes do atraso a que foi sujeito este concelho quando comparados com os concelhos vizinhos, e todos sabemos quem foram as forças políticas responsáveis.
    Todos estamos cientes que a M.G. tem gente boa, trabalhadora e que sabe “fazer”. Temos empresários capazes de criar postos de trabalho e empresas de nível mundial com as quais podem ombrear, seja nos vidros, nos moldes, nos plásticos e até nas novas tecnologias, etc.

    Então porquê manter a cidade parada no tempo? Porque não juntar forças? Creio que foi isso que levou o Cristiano e o Constâncio a unir esforços e ideias para o concelho e a deitar para trás das costas as ideologias politicas que cada um carrega, pelo querer de ambos num concelho evoluído e moderno!

    Termino com um chavão antigo de um partido que é em muito culpado de tudo isto…UNIDADE… UNIDADE…UNIDADE….!

    Abraço
    A bem da Marinha!

  8. Avatar

    O Vilas parece esquecer que o PS governou durante 20 anos! Não venha dizer que a culpa do que não temos é da CDU. Seja intelectualmente honesto.

  9. Vilas

    À especial atenção do Anónimo das 20h30

    Não, não esqueci e já aqui o referi inúmeras vezes! O PS e o PCP,governaram (ou não!),, a autarquia marinhense desde 1974! De quem é a culpa? Ah! Já sei…é da telefonista!

    À especial atenção do Anónimo das 17h29

    Então foi o que fizeram? Agora se está de acordo ou não, é outra questão!

  10. Avatar

    Ao Vilas: governaram a autarquia em períodos completamente diferentes. No tempo da CDU, fez-se o que se podia fazer, naquele tempo. E nunca a CDU esteve 20 anos praticamente seguidos ao leme da autarquia. Quem não soube aproveitar os Fundos Comunitários que, como sabemos, foi a alavanca de muitos concelhos, foi o PS. Com maiorias absolutas e tudo. Portanto, Vilas, não queira confundir a população.
    O PS é que foi o mais incompetente. O marasmo total deste Concelho deve-se ao PS. E se foi assim até aqui, com a Cidalia pior será!

    1. Avatar

      Preferia usar o contraditório conhecendo o autor deste comentário, mas não sendo isso possível, vou tentar acrescentar algum rigor às afirmações sem fundamento que ali são feitas.
      O PS, liderado por Artur Neto Barros, ganhou as primeiras eleições autárquicas na Marinha Grande. Naquele tempo, 1976 a 1979, se a memória me não falha, as Autarquias não dispunham de recursos financeiros e o trabalho desenvolvido assentava no entusiasmo de querer fazer e na grande mobilização das comissões de moradores.
      O Presidente, Dr. Barros, generoso e leal, distribuiu, e bem, pelouros à APU e aqui destacou-se o saudoso Emílio Rato, que desenvolveu a sua actividade no terreno, junto das populações. O trabalho feito foi quase todo em melhoramentos de estradas e caminhos, pequenos ramais de saneamento, algum crescimento da rede de água e pouco mais, porque os recursos eram escassos.
      João Barros ganhou em 1979, na lista da APU e marcou o seu mandato com a modernização da rede viária junto do Centro Cívico, onde pontifica a Av. da Liberdade. Mandou também construir o depósito do Alto dos Picotes e as adutoras para a Marinha e S. Pedro.
      No mandato seguinte, de 1979 a 1982, o candidato da APU foi Emílio Rato, que venceu as eleições, tendo-se destacado neste mandato o investimento nas escolas do Casal do Malta e da Várzea, bem como avanços significativos na construção de habitação social, em parceria com o Estado.
      De 1982 a 1986, novamente a CDU com Emílio Rato, repetindo a dose, com folgada maioria absoluta de 1986 a 1989. Neste mandato destacam-se o arranque da Zona Industrial, as Feiras de Actividades Económicas, a construção do Pavilhão Gimno-Desportivo de Vieira de Leiria, um sustentado apoio ao ensino, ao desporto e à cultura, que marcaram este ciclo liderado pela CDU.
      De 1989 a 1993, agora de novo com Barros Duarte, a CDU voltou a assumir os destinos da Autarquia, perfazendo um total de 14 anos consecutivos de responsabilidade do PCP/CDU/APU.
      O PS ganha as eleições em Dezembro de 1993 com maioria relativa, volta a ganhar com larga maioria absoluta em 1997 e ganha novamente em 2001, completando 11 anos e 10 meses de mandato sob a sua gestão.
      Nestes quase 12 anos, citando de memória, podemos registar:
      – Dinamização da instalação de empresas na Zona Industrial, que estava completamente parada e com os lotes devolutos;
      – Criação do Open (Incubadora de Empresas), do Crisforme, agora Cencal, para apoio à actividade Económica.
      – Participação em Feiras com Stand próprio, para divulgar o vidro e a marca Marinha Grande.
      – Apoio aos trabalhadores da Manuel Pereira Roldão, hipotecando um lote de terreno no Centro Cívico, para que os trabalhadores recebessem um subsídio de Natal em 1994.
      – Apoio ao Sindicato Vidreiro, participando financeiramente na compra de gás para os fornos da MPR e mobilizando outros empresários para o fazerem.
      – Realização do Pacto Territorial para o Emprego, que captou cerca de 2 milhões de euros para financiar a Open, o Crisforme e o Centro Empresarial.
      No plano do Património, Álvaro Órfão conseguiu negociar a cedência à Autarquia do Património Stephens e o Palácio Stephens foi recuperado e instalado o Museu do Vidro. O edifício administrativo, quase em ruínas, foi restaurado e lá instalada uma moderna Biblioteca Municipal. Foi construído o Arquivo Municipal, para tratar e guardar milhares de documentos que apodreciam nos sótãos do velho mercado e no da Câmara.
      Recuperou-se o Palácio dos Barosas e instalou-se o Museu Joaquim Correia.
      A casa alpendrada em completa ruína, encostada ao Palácio, foi totalmente reconstruída e passou a ser a casa do vidreiro.
      Com o Programa Polis, recuperámos os jardins Stephens, os lagos de pedra, os tanques de arrefecimento. Construímos o Parque da Cerca e o dos Mártires do Colonialismo, que são duas das maiores manchas verdes de lazer de centro de cidade, sem paralelo na nossa Região. Recuperámos a Ribeira das Bernardas, dignificámos os bairros sociais que lhe estão próximos.
      No campo das acessibilidades e território, nos mandatos de Álvaro Órfão, modernizou-se a estrada Marinha Vieira, a estrada Marinha S. Pedro com pista para ciclistas, construiu-se a Estrada Atlântica, entre Água de Madeiros e Vieira de Leiria, com ciclovia.
      O túnel da Amieirinha, o túnel do Santos Barosa, a Rua 10 de Junho, a estrada Picassinos Albergaria, a estrada da Amieira, as acessibilidades à Pedra e Fonte Santa, as circulares ao Parque da Cerca com 4 faixas, as acessibilidades à Garcia e Pilado, a ponte na Escoura, a Rua Pires de Campos na Vieira, a Marginal da Praia da Vieira, várias ruas na Moita com saneamento básico instalado.
      No apoio à Cultura e ao Desporto, criou-se o Regulamento de apoio às Colectividades, organizaram-se Bienais de Artes Plásticas. Comemorou-se o 18 de Janeiro com peças de teatro encenadas por Norberto Barroca, recriando esse movimento revolucionário na nossa terra.
      No campo de apoio ao desporto, instalámos as pistas de tartan, as torres de iluminação. Construímos o campo de treinos.
      Restaurámos o Estádio e construímos coberturas com dignidade. Fizemos os arranjos exteriores e ordenámos os estacionamento no estádio.
      Contribuimos para que o IDV, em Vieira de Leiria, pudesse ter instalações que dignificassem a terra e as suas gentes.
      Adquirimos a Cerâmica Vitória para que o SLM pudesse também dignificar o seu espaço desportivo.
      Construímos o Mercado Municipal, que a CDU andou a prometer para as Vergieiras, de 1976 a 1993, sem nunca ter mexido uma palha.
      Em resumo, de 1979 a 1990, tendo em conta os recursos disponíveis, a CDU/PCP, para mim, fez o que lhe competia fazer e fê-lo com competência. O mesmo não se pode dizer de 1990 a 1993, com cenas tristes de afastamento do Presidente eleito, com reflexos e impactos directos na gestão da autarquia, que foi medíocre. Este filme repetiu-se de 2005 a 2009, quase a papel químico e o resultado foram 8 anos perdidos e consequente derrota eleitoral.
      Os mandatos “deste” PS, liderado por João Paulo Pedrosa e Teresa Coelho, desde 2009, nem sequer comento. De facto, foi mau demais e também eles, durante 8 anos, fizeram-nos parar no tempo.
      Portanto, anónimo das 00H14, não me parece que tenha legitimidade para assacar culpas ao lado de que não gosta. O seu, infelizmente, está a perder protagonismo e peso político, por ausência de liderança e de estratégia e é pena, porque um PCP forte é bom para a democracia.

  11. Vilas

    À Atenção do Anónimo das 00h14

    Então dá-me razão!
    Quando diz que o PS foi o mais incompetente!. Pelo que dá a entender que todos foram incompetentes, havendo no entanto um que se destacou – o PS!

    Com a Cidália a estagnação é mais que certa…é uma certeza!

  12. Avatar

    Logrado na Street Art seria um desastre a considerar a “obra” implantada agora na rotunda… Que medo!

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.

  
Please enter an e-mail address